De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

domingo, abril 06, 2014

Marrocos 2014 - Impressões e Dicas

A primeira visita que efectuei a Marrocos, aconteceu há cerca de 25 anos.
Percorri então as vias que me levaram às cidades Imperiais.
Prometi a mim próprio, voltar um dia... com mais tempo.
Li bastante na Net, sobretudo depoimentos de casais Franceses, que percorreram esse País do Norte de Àfrica por períodos que vão de 1 a 6 meses.
Tracei no mapa os percursos que me permitiriam atravessar cerca de dois terços do País.
Voltei em 2006, 2007, 2008 e 2009 e 2014. Fiquei cliente. Tenho uma visão razoável do país e das suas gentes.
Marrocos
Viajar por Marrocos, é conhecer a sua história, a sua cultura, principalmente a popular, descobrir um país diferente, outras paisagens, outras formas de vida.
Dizem existir um ditado popular muito antigo, lembrado diariamente: “ A Pressa Mata “! 
Para sentir Marrocos, é necessário tempo. O relógio terá de ficar em casa ! Existem em Marrocos duas facetas diferentes. Se vamos pela costa ocidental e não repararmos no povo, parece que estamos a viajar em qualquer outro país europeu, só que mais sujo ! Mas se nos deslocarmos para o interior, então o caso muda radicalmente de figura, e embora a pobreza subsista, o povo humilde e simpático, parece não ser deste tempo! Pouco têm para comer, mas logo nos oferecem um chá! É no interior do país, que está a beleza, o encanto o deslumbramento, que nos cativa de imediato. Quem visitar Marrocos, não pode pensar em luxos e comodidades. Terá sempre de se lembrar, que nas suas autocaravanas, têm muito mais condições de vida que os nativos desse país. Muitos povoados, não têm água corrente nem energia; as condições higiénicas destes lugares são bastante precárias e fazem-nos lembrar filmes dos velhos tempos. 
Ao visitar Marrocos (o verdadeiro, o interior, o povo berbere), dever-se-á ter em conta o seguinte: 
Muita paciência ao entrar na fronteira, cuja passagem será sempre morosa e pouco se poderá fazer para que o processo seja acelerado.
>. A primeira visita, será aconselhável uma viagem partilhada com duas AC. Tem acontecido que uma AC com um casal. os receios e medos, os preconceitos... poderão originar o regresso prematuro.
Já pouco ou nada faço para preparar a viagem, contudo, para quem de autocaravana nunca visitou este cativante país, aqui vão algumas dicas a saber: -
=> GPS com o mapa de Marrocos inserido, carregamos o PDA/GPS – 1 Garmin e 1 Tom Tom. ( na primeira vez fiz a viagem apenas com o Mapa e nas seguintes, com o OziExplorer e os mapas 1:250.000 de Marrocos digitalizados e calibrados cuja utilidade foi indiscutível, mesmo se na actualidade esse ‘sistema’ está obsoleto).
=> Mapa de Marrocos da Michelin 742 – indispensável ;
=>  3 Guias  do País (em Português);
=> 2 Walky Talkies (ajuda valiosa na comunicação entre  2 viaturas);
=> Depósitos de água sempre repletos.
A VIAGEM 2014  em números :
-> Km percorridos: 5.730 km dos quais 3.500 km em Marrocos.
-> Combustível: cerca de 550 litros -  +- € 500,00 ( 1lt € 0,90!!)
-> Travessia Algeciras/Tânger-Med.  (Acciona) - € 190,00 (ACaravana + 1 pessoa);
-> Parques de Campismo: Cerca de € 170,00 ( Preços €0,00 em Marrakech, € 1,00 Tafraout e Campings de € 3,00 a € 8,00);
-> Telemóvel Marroquino  (carregamentos a partir de € 5,00).
-> Cartão para cabines telefónicas da Maroc Telecom (chamadas para PT todas as redes € 0,10/min.);
-> Câmbio nas Agências bancárias: € 1,00 = 10,96 Dh
-> Como documentação, é necessário passaporte ( com validade mínima de 3 meses ), documentação automóvel própria e carta verde para o pais.
->A moeda em circulação é o dirhan (DH), mas é recomendável adquiri-los logo à saída do Ferry, pelo que  é aconselhável  levar Euros suficientes para a viagem e trocar em função das necessidades apenas nos Bancos ou Casas de Câmbios  (Câmbio Oficial em todo o País com diferencial mínimo).
->· Mais de uma viatura, recomenda-se o uso de vulgares ''walki-talkies'' evitando assim o uso de telemóveis cujo ''roaming'' inflaciona o custo da viagem;
->· Não esquecer, que para a moral islâmica, uma vestimenta extravagante ou ousada pode resultar ofensiva.
->· Nunca utilizar a palavra “Mouros”
-> Ao fazer compras, é quase obrigatório o regateio, pagando-se por vezes metade do preço pedido. Mas atenção: nunca recusar a compra se entretanto se fez uma oferta!
-> Ao visitar as dunas no deserto ( definitivamente a não perder ) hà que encontrar um guia, de contrário não andará mais de dois ou três Quilómetros.
->· Nunca esquecer de levar material escolar (cadernos, esferográficas, etc..) para oferecer às crianças que nos abordam - e são às centenas...
-> ·Pedir autorização, sempre que se pretenda tirar uma foto a alguém nativo.
->· Beber SEMPRE água mineral engarrafada. Não é necessário levar àgua em excesso. Existe abundante oferta por todo o país.
-> Salvo raras excepções, não existem à venda bebidas alcoólicas, apenas nos grandes Hiper-Mercados (Tetouan-Agadir-Rabat e Casablanca), nos Hotéis e muito poucos Restaurantes.
->· Descascar sempre a fruta e legumes, ou lavá-los com gotas de lexívia.
->· Fazer-se acompanhar de medicamentos específicos, tais como antidiarreicos, contra picadelas de insectos e protectores solares.
->· No regresso junto à fronteira é necessário muito cuidado, porque os Marroquinos aproveitam uma pequena distracção para se infiltrar na autocaravana e fazer a respectiva passagem da fronteira, salvo se o camião ‘radar’ estiver em funcionamento antes do embarque que os detetará.
Alimentação - A comida típica mais frequente, é a ''tajine''.  Com uma campânula de barro (base e testo cónico) onde se cozinha a lume brando uma série de hortaliças, as batatas, as ''zanahorias'' os guisados e os ''calabacines''. Cada tajine é diferente, podendo incluir carne de carneiro, novilho ou cabra, incluindo por vezes na costa o pescado e o sempre presente ''cuscus''... Não tivemos problemas de digestão, apesar de havermos frequentado um ou outro restaurante...Um bom método para nos alimentarmos na viagem, poderá ser a inclusão de pequena paragem nas pequenas localidades, junto aos estabelecimentos onde se cozinham as ''tagines'' sobre o fogo, e consumi-la na AC, acompanhada do vinho da própria adega, pelo que é recomendável ir bem aprovisionados. Há muito poucos locais onde adquirir bebidas alcoólicas (vinho ou cerveja). Uma tagine para 2 pessoas, ronda os 50,00 DH (cerca de € 5,00). 
Gaz - Quanto ao fornecimento de gaz, existe em todo o país a possibilidade de adquirir ''camping gaz'', mesmo nos sítios mais recônditos. O recarregamento de botijas de gaz butano ou propano apenas está disponível em Agadir e  Marraquexe, mas limitado a algumas marcas. No restante país, apenas existe essa possibilidade para botijas tipo francês de gaz propano. Uma forma de resolver o problema, será a aquisição de botijas de butano em Marrocos e recarregá-las quando necessário e devolvê-las no regresso. Para adaptar as botijas marroquinas, pode ser necessário dispor de limitador ou regulador prévio com saída entre 1,5 a 2,7 bar.
Combustível - O gasoleo 50, custou entre os 8,3 DH e 9,06 DH (€ 0,90).
 Recomendamos o abastecimento preventivo, mesmo se no mínimo a cada 100 km encontramos postos de abastecimento. No interior e a sul de Marrakeche, é inútil procurar gasolineira ou restaurante que aceite cartões de crédito pelo que aconselhamos se viaje munidos de DH ou mesmo os €...
ATM (Multibanco) - Quanto aos meios de pagamento, se bem que se deva evitar o transporte de verbas elevadas, tendo em linha de conta as altas comissões bancárias nos levantamentos em ATM, desde que se tomem os cuidados apropriados (distribuição por esconderijos na AC), procedemos ao levantamento prévio (em ATM de Espanha) dos efectivos suficientes para fazer face à viagem. As caixas ''Multibanco'' existem um pouco por todo o País.
Telemóvel - Útil a compra de cartão com número Marroquino - evitará o descontrolo dos ''Roamings''. Poderá ser adquirido nos sítios mais recônditos. Pedir para alterar a linguagem para Francês e... para inserir os códigos da ''raspadinha'' existente nos cartões de recarga - cartões a partir de 50 Dh ( € 5,00).Menos prático mas com imensa ''oferta'', será adquirir um cartão telefónico para as ''cabines'' existentes em todo o país - é esta a forma mais económica para falar para telefones fixos ou móveis de Portugal a cerca de € 010/minuto.
Língua - Muita gente fala o Francês... mas... o conhecimento do Francês é limitado a conversas simples e temas habituais. Paciência... a linguagem universal dos gestos e a boa disposição das gentes, ajudam.
Vendedores - Ao longo das estradas ''tropeçamos'' com uma imensidão de vendedores de diferentes objectos: Quarzazzate/ Marrakech, fósseis, diferentes peças de artesanato, etc., Os vendedores precipitam-se nas estradas, correndo ao lado das viaturas para oferecer as suas mercadorias, com o consequente susto se nos apanham desprevenidos...
Taxi – Os ‘petit-taxi’ são muito baratos. Os ‘Grand-Taxi´ fazem as ligações para fora dos perímetros urbanos. Param para permitir a entrada de até 6 ou 7 pessoas. Convirá perguntar previamente o custo da viagem.
TV satélite – com ‘parabólica’ de 80cms é acedível até Tiznit. Mais para sul, obrigará a um ‘prato’ maior.
Animais de estimação - Imprescindível cumprir com a legislação comunitária para evitar gastos desnecessários e contratempos no regresso. (Passaporte Animal com anotação de vacinas obrigatórias + Colheita de sangue envio para laboratório alemão e anotação dos resultados no passaporte + declaração do Min Agric./Veterinária ).
Pretende-se com esta síntese, refletir as nossas experiências, com a esperança de que sirvam para esclarecer dúvidas que se colocam frequentemente, sobre a segurança e a viabilidade de uma viagem a um país africano, a bordo de uma autocaravana.
Marrocos é um país de contrastes.
Paisagens que vão do verde dos campos e das palmeiras, dos Vales (Oásis dos Rios Ziz e Toldra) , até aos grandes picos de montanha do Alto Atlas - as dunas do Erg Chebbi e o imenso deserto de pedra, aos brancos gélidos das neves e ainda ao amarelo maravilhoso das zonas desérticas.
Considero Marrocos um país mais seguro que o nosso.
A próxima viagem penso fazê-la prioritariamente para fruir do melhor clima a sul de Agadir.
Enviar um comentário