De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sábado, agosto 27, 2011

Campo Maior 2011 (em Autocaravana) - Parte 1



Dia 1 - 24-AGO.11 – 4ª. Feira
BRAGA – COIMBRA
Travessia da ponte pedonal e ''a outra margem'' - COIMBRA
Já ‘’cansado’’ de variada gente mais ou menos amiga me dizer que ‘’finalmente – por cá?’’, decidi uma vez mais rumar a outras terras e outras gentes… faz-me falta esse sentimento que me invade de me sentir ‘’dependente’’ de viajar, ainda que neste pequeno país onde há sempre algo a descobrir ou redescobrir.
Saí após o almoço, pela A3… é muito frustrante iniciar viagem pela EN de Braga ao Porto pelo que havia de fazer essa parte já conhecida de olhos fechados, pela AE.
Saída na A1 em Grijó onde percorri a EN1. A parte inicial é cansativa já que a circulação automóvel é demasiado densa. Entretanto após S.João de Ver e na zona de S.João da Madeira já o trânsito flui razoavelmente nas vias semi-rápidas.




A 50 km de Coimbra, decidi fazer uma das coisas que me enchem a alma nas viagens – parar - para visitar uma ponte medieval que o comum dos mortais não resiste a olhar de relance na sua rápida passagem à ilharga, mas nunca ou raramente visita.
Intermitentes numa zona segura da estrada e… o percurso pedestre até à bonita área natural do Rio Marnel, imensamente fustigada pelo ruido do imenso tráfego rodoviário que a ladeia.
Patos, pescadores… bonita e agradável espaço em fase de recuperação.
Havia que ir ao encontro dos meus parceiros de outras viagens que disseram estar na margem esquerda do rio Mondego, em Coimbra. 
Pelo caminho ainda quase assisti a uma ‘’carambola auto’’, impressionante como num dia soalheiro as distrações dos automobilistas permitem o embate de 4 viaturas em cadeia… cruzei os dedos e continuei… pois felizmente talvez devido à minha condução defensiva… até ao momento nunca vivenciei tal situação… mas… obviamente tal pode até acontecer sem que nada faça que o provoque… basta um qualquer ‘’louco’’ descontrolar a sua viatura… e… as coisas acontecem.
Há que ser positivo, prudente e com sorte passar ao lado destas situações.
4 de uma vez... 
No final de dia estacionei na AS de Coimbra onde já estavam uma dúzia de AC, algumas Espanholas. O jantar? Pois… a convite dos ‘’meus vizinhos’’ uns pãezinhos da ‘’Bairrada’’ com o respetivo leitão regado com um magnífico ‘’champagne’’ da dita  ‘’Bairrada’’…
Um passeio pedestre ao centro Coimbrão… e o dia a findar-se.
Percorridos:  178 Km
Dia 2 – 25.AGO.11 – 5ª. Feira
COIMBRA – PINHEL – SERTÃ – PORTALEGRE - CAMPO MAIOR
Mais um dia agradável mesmo se o sol ia de tempos a tempos esconder-se por detrás de nuvens passageiras.
Junto à Ponte Romana na Sertã... As nossas AC no centro... 5*
Seguimos a rota aconselhada pelo GPS, havendo previamente decidido parar para ‘’reabastecimento’’ e almoço na simpática SERTÃ ao Km 263 - ( 85 km volvidos desde Coimbra).
Estacionamos num largo arborizado próximo de ponte romana de onde avistávamos restaurante já nosso conhecido e onde o apetite em lá ir foi superior ao desejo de confecionar o dito ‘’a bordo’’…
O Restaurante... a esplanada... o almoço...
Casa cheia, com lista de espera, mas lida a ementa optamos por aderir a um prato já testado em tempos idos: ‘’bucho’’…
Como acabamos por ficar um pouco ‘’entalados’’, fizemos o apetecido passeio pela urbe.
A AS para AC da Sertã
Terminado o mesmo, fomos conhecer a AS para AC que fica ali a uns 300 mts, próximo do supermercado onde havíamos estado (Pingo Doce), entre este e, a GNR e Campo Desportivo – GPS: N 39º 47’ 51.8’’  W 8º 05’ 45.3’’.



De qualquer das formas, para pernoita o mais agradável será estacionar no mesmo local arborizado cerca do restaurante por ser mais agradável e dispor de sanitários públicos em: GPS: N 39º 47’ 59.7’’  W 8º 05’ 58.9’’.
Portalegre - Alto Alentejo

Feito o restante percurso com pequena incursão de 20km na A23 que segue para o Norte interior, passagem em Portalegre para reabastecer carburante, por entre imensos campos de cor de palha sêca, (os cereais já colhidos) e entremeados pelo ocre e verde dos imensos olivais, sobreiros e pinheiros, lá chegamos a Campo Maior onde já estariam AC há cerca de uma semana.
pelo
Já em Campo Maior, ''o nosso bairro''
Estacionamos em novo loteamento junto às piscinas e fizemos a primeira incursão pedestre ao centro da cidade que já se encontrava  encerrada ao trânsito automóvel.



À noite já o ‘’povo’’ iniciava a colocação de mastros de madeira nas ruas objeto de intervenção festiva.
Regressamos ‘’à base’’ já a noite ficava algo ventosa e fresca que não obstante a brusca mudança de temperatura, criava um agradável ambiente.
Percorridos: 430 Km - Dia 252 Km
Dia 3 – 26.AGO.11 – 6ª. Feira
CAMPO MAIOR
A meio da manhã, a digressão citadina onde se notava já uma grande azáfama nos preparativos da estrutura onde noite fora o Povo irá ‘’vestir’’ os arruados de milhares de flores de colorido papel, para gaudio dos inúmeros forasteiros esperados.
Subimos até ao Castelo de onde se avistam os longínquos campos alentejanos.
Os ''paus'' e o Restaurante Faisão...
Todas e Todos trabalham - São as Festas do Povo



A igreja contígua à Capela dos Ossos

A ''sagrada família'' da minha infância...
Chegados à praça central, uma vez mais nos chegou a preguiça e havia de ir ao encontro de conceituado restaurante. O escolhido, ‘’Restaurante Faisão’’ portou-se à altura pela simpatia, agradabilidade e qualidade do menu apresentado.
Já com o organismo refeito, tendo logo ao lado a magnífica igreja contígua à capela dos ossos, lá fizemos a visita ao templo.
No seu interior, e logo à entrada, um ‘’icone’’ que nos transporta a memória para os tempos de infância,  tempos idos em que lá em casa dos meus pais, se ia a casa de um vizinho - uma vez por mês – levar a ‘’sagrada família’’ que nos era entregue na véspera por um outro…
Magnífica ‘’recordação’’, mesmo se hoje já nem os ‘’praticantes’’ mantêm esta prática… outros tempos…
O regresso ‘’a casa’’ para retemperar forças e o regresso de novo à praça central para a ‘’imperial de fim de tarde’’.
Ao chegar, já o nosso bairro estava ‘’fechado’’ com grades do Município Lisboeta’’, imensa GNR e ainda avistamos os membros da Comissão de Festas’’ para ‘’cobrar o dízimo’’ de € 5,00/dia.
Na Praça Central, os preparativos e água em forma de nevoeiro, para refrescar...
A invasão literal deste loteamento ainda não habitado, levou a que tenham decidido alterar o plano de ‘’forçar’’ as AC de ficarem num enorme largo térreo mas vedado onde pensavam cobrar € 25,00 por todo o período festivo, passando esse preço para os € 5,00/dia, valor mais justo e aceitável.
A GNR a cavalo, patrulha o ''nosso bairro'' para gáudio da criançada
Os meus amigos voltaram à noite para assistir ao avançar dos trabalhos de arranjo das ruas, ficando eu a alinhavar estas linhas e a preparar algumas fotos colhidas.
Amanhã teremos invasão de forasteiros e como a Méteo parece favorável, iremos percorrer aquilo que cá nos trouxe: As Festas do Povo.


Enviar um comentário