De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

segunda-feira, julho 18, 2011

TOUR DE FRANCE 2011 - Parte 1


TOUR DE FRANCE 2011
AC do Manuel Vitorino - foto de sua autoria - Obrigado à Maria e Manuel pela companhia inesperada.


Dia 1 – 8.JUL.11 – 6ª. Feira

BRAGA – ESTARREJA

Sendo a ideia principal a ida aos Pirinéus Franceses, acalentando assim mais um ‘’velho sonho’’ de assistir ao vivo ao ‘’Tour de France’’,  mesmo sabendo que hoje em dia é possível comodamente em casa visionar ‘’em direto’’ tal evento. Acontece que ver na TV terá as suas vantagens, sobretudo económicas, mas o ‘’ir lá’’ é bem mais repleto de emoções.

Assim pensei, assim o fiz…

Ainda cá, ia visionando as imagens... e as AC estavam lá...

Havia que antecipar a partida para uma vez mais confraternizar com quatro amigos de longa data, desta vez em Oliveira do Bairro.

Saída sem pressas, com chuva e muitos acidentes.

Será que ainda vai sobrar um lugar para mim?

Pernoita no local já conhecido de outras paragens, AS para AC em Estarreja.

Percorridos: 108 Km

Dia 2 – 9.JUL.11 – Sábado

ESTARREJA – ANGEJA – OLIVEIRA DO BAIRRO

Pela manhã, passagem no representante da AC para pequeno ajuste/afinação e para adquirir ‘’capa’’ para a bicicleta. Decidi traze-la comigo, mesmo se por razões de vária ordem poderá eventualmente não justificar o seu transporte. Veremos!

Cerca do meio dia, chegava à casa do Próspero onde se iniciaram as ‘’hostilidades’’ com um ‘’branco’’ da Bairrada e alguns acepipes…

Um pouco depois, chegam mais três ‘’compinchas’’, um ‘’açoreano’’  (Agnelo), vindo de Londres e os restantes dois (Galrito e Félix) de Lisboa.

O local já  não nos é estranho, mas para compor o ‘’naipo’’ juntaram-se mais alguns amigos locais.
A ''Katedral'' onde há de tudo...
Desta vez, não fiz fotos nem ao cabrito assado nem aos restantes acompanhantes, dediquei-me apenas a apreciar as iguarias que se me colocaram ao dispor.
Juro que ninguém falou de futebol!!!
À noite acompanhei os meus amigos a um conhecido Restaurante Benfiquista.  Eu sentia-me ‘’cheio’’ sendo o único a não tocar no petisco de bacalhau que nos foi sugerido.
Pernoita ao lado da casa de campo do Próspero, nosso anfitrião.
Daqui não saio, daqui ninguém me tira...
Percorridos: 155 Km (Dia 47 Km)
Dia 3 – 10.JUL.11 – Domingo
OLIVEIRA DO BAIRRO – ÁGUEDA – VILAR FORMOSO/FUENTES DE OÑORO
Pela manhã, ainda tinha no subconsciente a eventual aceitação do convite para fazer uma vintena de km  de bicleta… mas… ando numa de apetites… e… desta vez preferi a ‘’molenguice’’ da cama que nem os comboios que passavam na linha próxima me desmotivaram.
O almoço ocorreu ali para uma aldeia de Águeda na ‘’Adega/Katedral’’ dum amigo do Próspero de nome Tenente…
Como desta vez, não havíamos tocado no ‘’Leitão’’ tão peculiar nesta região, um dos amigos do Próspero que exerce as funções de Delegado de Saúde, deu-nos o prazer da sua visita.
O Agnelo e o Próspero dissertando na parte subterrânea  onde a frescura abundava
Enquanto visionávamos na TV o ‘’Tour de France’’, o referido senhor doutor, após nos ter feito uma auscultação oral… ahah foi-nos dizendo que ia ali ao lado e voltava já… e voltou… eram uma 4 da tarde… e… que antes da partida nos faria bem degustar umas tranches dum belo leitão com que nos presenteou… recomendou apenas para fazermos a viagem com cuidado já que a saúde física resistiria a mais esta investida! É destes Médicos que gosto e me acalentam o espírito e a ‘’alma’’…
Pelas cinco da tarde, rumei calmamente a Àgueda e daí até à fronteira próximo da Guarda, foi ‘’um tirinho’’…
A rotunda de Àgueda, saúda a minha ideia de ir mais longe ver o TOUR...
Cheguei a Vilar Formoso e ‘’posicionei-me’’ nas traseiras do antigo edifício da Alfândega… que não me agradou por duas razões: O ruído do constante passar de viaturas e… coisas da ‘’nossa’’ crise… o piso que já foi alcatroado, dá um aspeto terceiro mundista, contrastando com a parte espanhola devidamente alcatroada (sem ligar a nada…) e protegido do ruído do tráfego. Assim, fiquei ‘’do outro lado’’ em Fuentes de Oñoro.
Noite bem passada com uma acalmia agradável de um tímido verão.
Percorridos: 350 Km (Dia 195Km)
Dia 4 – 11.JUL.11 – 2ª. Feira
FUENTES DE OÑORO  (Espanha) – CIUDAD RODRIGO – SALAMANCA – TORDESILLAS – VALLADOLID – BURGOS – MIRANDA DE EBRO – VITÓRIA-GASTEIZ
O local de pernoita... ao fundo à esquerda da ''Douana''
Mesmo não conhecendo Ciudad Rodrigo, passei-lhe à ilharga. Parei para almoço naquela que está ligada à nossa história – Tordesilhas -,  (ao Km 555 -205Km após a saída da manhã)  mas após o almoço, prossegui, sempre por Auto-Estrada (sem custos para o utilizador) até Miranda de Ebro.
Achei interessante e curioso, estarem a instalar ''ninhos'' de cegonha, com uma ''pintada'' para as atraír...
Se Espanha aplica a estratégia do governo português, quero ver o que nos acontecerá pois em toda a AE são aos milhares ao camiões TIR portugueses. Que Satanás nos livre dessa decisão.
Logo após a saída em Miranda do Ebro, numa das rotundas encontra-se placa indicativa de AS para AC ali a 100 mts… Mas, ao pé muito desleixo e algum lixo em bidões cortados a meio… uma pena pois já lá passo há uns tempos e por continuar assim, apenas serve para descargas e abastecimento grátis de água e nunca lá vejo ninguém a aparcar.
-

Com um agradável dia, cheguei ao final da tarde a VITÓRIA, parando na enorme área de estacionamento periférica onde se situa uma boa AS para AC. Uma vez mais notei que umas boas dezenas de AC e ‘’roulotes’’ aproveitam o gracioso parque para aí colocarem placas de venda ou mesmo ‘’guardar’’ as ditas viaturas.
A magnífica AS para AC de VITÓRIA
Alí próximo passa um moderno ‘’metro de superfície’’ que passa no Centro Histórico.
A preguiça uma vez mais me ‘’atacou’’ e assim não retirei a minha pobre bicicleta do seu ‘’andaime’’ e da sua ‘’nova cobertura’’,… mas… em ligando o GPS, ponderei deambular já noite pela cidade até ao centro.
Percorri os 3,3 Km até ao centro com a ajuda do GPS (para não me perder!!!).
Adoro apreciar bons ''grafittis''... Lindo!!!
Parte da cidade já estava deserta, o que me surpreendeu… no Centro, muitas esplanadas bastante frequentadas por locais que se deslocam em bicicleta…
Uma cidade bem ordenada, moderna, de avenidas largas e com a construção a surgir de modo a facultar aos moradores uma agradável zona de lazer nas partes centrais/interiores das construções de grande harmonia e enormes parques verdes  em zonas centrais da cidade.
Confesso que gostaria de viver numa cidade deste tipo, já que comparando com a minha, nem existem espaços nas novas urbanizações (desta dimensão), deixamos de ter ‘’elétricos’’ e ‘’troley-carros’’… apenas um grande estádio que nos leva parte significativa dass receitas municipais… e mais não digo.
pode haver quem não goste... eu achei genial e barata a ideia...
O centro histórico

A paragem dos autocarros...
Cheguei à minha residência temporária na cidade cerca da meia-noite (de PT), já a precisar dum bom descanso
Na próxima visita já prometi a mim mesmo que farei um passeio de bicicleta nesta cidade.
Pernoita - GPS: N 42º 51’ 57’’ W 2º 41’ 7’’
Percorridos: 837 Km (Dia 487 Km)
Dia 5 – 12.JUL.11 – 3ª. Feira
VITÓRIA – PAMPLONA – RONCESVALLES – LUZAIDE/VALCARLOS (Espanha) – St JEAN –PIED-DE -PORT ( França)
Consciente de que escolhi o percurso ‘’mais sinuoso’’ é uma verdade. Mas a cidadezinha do lado francês onde gosto de passar de nome St Jean-de-Pied-de-Port, leva-me  por Pamplona…
À chegada a Pamplona no Hiper Eurosky, constatei algo curioso: novos, velhos e crianças, todos vestidos de branco, com os tradicionais lenços encarnados e as cinturas de enormes lenços da mesma cor… seria esta tarde a ‘’tourada nas ruas de Pamplona’’ – as tradicionais Festas de S. Firmin!
Ora aqui estão estes ''avuelos'' vestidos à rigor, para irem à Festa
Ainda pensei ficar, mas… não vinha para ‘’confusões’’ e prossegui encosta acima até à cidade francesa  sempre repleta de turistas.
Em Pamplona tive o pressentimento que ao entrar nos pirinéus chegaria a chuva... lá tapei a bike...

A AS para AC estava quase repleta. Como pretendia apenas dormir, furtei-me ao pagamento do valor do parquímetro de € 5,50 pelas 24 horas… e passei para o outro lado ‘’da sebe’’ onde já estavam aparcadas uma dezena de AC – o Parque do Mini-Carrefour-, não sem antes haver ensaiado prosseguir a viagem, sendo que o céu em minutos ficou negro e uma carga de granizo e chuva diluviana demoveram-me pelo que voltei lá.
St JEAN-PIED-DE-PORT – com um milhar e meio de habitants, foi a antiga capital de Basse-Navarre e fica situada no sopé do desfiladeiro de Roncesvalles (do lado Espanhol por onde passei). Foi aqui que os bascos aniquilaram a retaguarda das tropas de Carlos Magno em 778. Durante toda a Idade Média, esta cidade fortificada foi famosa como último ponto de reunião, antes da chegada a Espanha, na rota para Santiago de Compostela. Mal era avistado um grupo de peregrinos, o povo fazia tocar os sinos da igreja para indicar o caminho, e os peregrinos respondiam a cantar. Ainda hoje os peregrinos e turistas se deslocam a esta cidade.
Vale a pena visitar a pé a parte alta com as suas ruas estreitas, entrando pela Porte d’Espagne, passando por cafés, restaurantes e pensões e prosseguir a pé ou de carro até às muralhas e cidadela, com as suas vistas panorâmicas. Desta vez, fiquei-me pelo meu apartamento rolante ainda mais… toda a noite choveu.
Percorridos: 1015 Km (Dia 178Km)
Dia 6 – 13.JUL.11 – 4ª. Feira
St JEAN-PIED-DE-PORT – NAVARRENX – MOURENX – PAU – TARBES – LANNEMEZAN – ARREAU
Belo conjunto!
Da parte da manhã a chuva reduziu substancialmente e lá fui percorrendo esta agradável zona dos pirinéus, não tendo parado por em Agosto passado ter feito a visita aquando da minha ida para a Capadócia. Terei sim numa próxima passagem de ver mais aprofundadamente a linda cidade de Tarbes onde passei nas estreitas ruas.
O objetivo era ir pernoitar à pequena e linda cidade de ARREAU, onde pretendia assistir à 1ª. etape do TOUR 2011.
ARREAU
Tentei ficar mais acima mas àquela hora já havia poucos lugares onde estacionar na berma da estrada e ainda ensaiei o início da subida, onde dificilmente cruzariam duas viaturas e a inclinação indicada da via era de 10%!!!... ufff… voltei para trás num calmo local próximo em 1 km da cidade de Arreau.

Já a noite se aproximava, decido sair ‘’da toca’’ para fazer umas fotos ao local e… eis senão quando, passa por mim na sua AC o meu amigo M Vitorino (de Queluz), acompanhado da Maria… exitei… uma vontade enorme me invadiu para com ele fazer a tal ‘’subida’’ para sentir melhor o ‘’Tour’’.
Tentou mais tarde ligar-me a dizer-me que havia lugar ao pé dele… mas não tinha rede… coisas das montanhas…
Fiquei onde já estava e comecei a sentir a ‘’adrenalina’’ desta festa do ciclismo. Durante ‘’toda a noite’’ os ‘’doidos’’ que iam lá mais para cima, buzinavam ao passar… Em não sabendo, não vim munido de ‘’tampões’’ para o ‘’orelhame’’, pelo que a adaptação não foi nada fácil…
ARREAU Pequena aldeia com menos de um milhar de habitantes. Fica na confluência dos rios Aure e Louron. Existem ainda casas de madeira, lojas e restaurantes e um ótimo local para se comprar muito do material necessário para o alpinismo e montanhismo ou pesca na montanha.
È uma tradição... ''pifar'' as setas do ''Tour''... custou-me, mas como estavam lá duas... saquei uma... pela calada da noite... que o ''Tour'' me perdoe...
Percorridos: 1.237 Km (Dia 222Km)
Dia 7 – 14.JUL.11 – 5ª. Feira
ARREAU – COL D’ASPIN – SAINT.MARIE DE CAMPAN – CAMPAN – ARGELÉS/GAZOST – AUCUN – MARSOUS – ARRENS – COL DU SOULOR (1.474 mts)
Ainda a manhã não ia a meio, e já muitas famílias subiam estrada acima e os menos afoitos iam parando na berma munidos de cadeiras, farnel… uma autêntica festa.

No percurso pessoas de idades várias, sobre bicicletas devidamente equipados, iam fazendo o trajeto de mochila às costas.
Os meus ‘’vizinhos’’, espanhós, franceses e belgas, abriam os toldos e colocavam cadeiras na berma junto à sua casa rolante.
É claro que me vi na necessidade de ‘’copiar’’ o ato.

Não prescindi de confecionar o meu almoço... e ao mesmo tempo pela ''janela da sala'' ia assistindo ''ao cenário''...
De um ritual não prescindi: Ao meio-dia, meti o estrugido no tacho e fiz uma refeição agradável acompanhada de um ‘’maduro’’ Alentejano.
Decidido assistir aqui, antes da subida... logo veremos...
Devidamente ‘’composto’’, toca de ter à mão uma pequena bandeira portuguesa para que os portugas (poucos emigrantes) que iam passando me saudarem.
Auto-retrato... fiz como todos os outros... cadeira... bandeira... mas já almoçado...
A partir da 1 da tarde, surge aquilo a que chamam: ‘’La Caravanne’’, ou melhor dizendo, a caravana publicitária.
As primeiras viaturas repletas de cor e música...
Para mim, uma surpresa total. Muita música, muita alegria, centenas de viaturas ‘’travestidas’’, com imensa animação, ao ponto de uma meia dúzia de viaturas representarem a polícia francesa, com os ‘’bófias’’ equipados de camisola amarela, músicas adequadas daquelas de fazer abanar o capacete e… a atirarem ‘’material publicitário’’ tipo porta chaves, autocolantes, etc e tal… uma autêntica surpresa e uma certa ‘’loucura’’…
Aqui comecei a compreender que assistir a toda esta loucura nada tem a ver com uma reportagem completa nas TV’s… INDESCRITÍVEL!








A etape 12 – Cugnaux a Luz Ardiden - de 211 Km.
O local escolhido, estava a 84 Km da meta e 127 km percorridos.




ciclistas a bordo das motos publicitárias... a pedalar... loucura!...
Após este local, os ciclistas teriam de subir 3 ‘’picos’’ de 1.538 mts, 2.115 mts e 1.715 mts, ou seja, o primeiro teste de subidas para os ciclistas.
Sabia que passariam por mim dois ciclistas portugueses – Sérgio Paulinho nr 77 – que compõe a equipe Americana onde fez guarda ao famoso AMSTRONG, e o meu ‘’vizinho’’ de Vila do Conde RUI COSTA nr 83, que tive o prazer de conhecer na AC do Manuel Vitorino no final do almoço em Aver-O-Mar!
Como no local o pelotão chegou em força, com a velocidade imprimida, bem acenei com a bandeira, mas nenhum dos nossos compatriotas consegui avistar.
Uma hora após... ei-los que chegam...
Para começo da experiência: 5* - Adorei. Mas aceito que somente Adora quem gosta mesmo.
Poucos na dianteira já que a subida apenas agora começaria...
Uma autêntica festa do ciclismo. Muitas, mas mesmo muitas ‘’ciclistas’’ femininas… jovens e até avós… uma delícia, todo este colorido humano. Não vi ninguém triste.
Finalmente o pelotão compa(c)to...

Voltei para o interior para ver a evolução da ''corrida''... estive atento... e vejo a AC do M Vitorino na TV... ora pois... lá estava a bandeira...

Havia que mudar para a nova etape, ali para os lados de LOURDES, tinha de ‘’voltar atrás’’…
O famoso Col D'Aspin... que desta feita não foi percorrido 
Aponto o GPS para uma das etapes de amanhã, logo percorridos méis dúzia de km, tremi como varas verdes… o ‘’raio do Gps’’ manda-me por uma estreita estrada ‘’histórica do TOUR’’ que este ano não foi utilizada… e eis senão quando, me manda virar à esquerda… de 6 mts a estrada passa para três!!!... uma autêntica aventura… nem em Àfrica… sobe que sobe… talvez por proteção dos deuses, nem um ‘’pó-pó’’ em sentido contrário… mas… numa povoação que nem o nome fixei, havia de virar à direita… sempre a subir… e… para fazer a manobra, nem um humano para ajudar… e razão tinha para suar as estopinhas… é que era VIRAR À SÉRIA… mas como fazer a coisa sem bater nas paredes ou arrastar nu fundo???
Fica-te para trás... aldeia do caraças...
Por entre a frondosa ramaria das árvores, lá fui ''furando'' ... raras vezes estive tão ansioso... e inquieto...
Bom… surge um campónio, dois… três… 15!!! Às janelas e portas, mas daquelas pessoas que apenas falam para os boisinhos e ovelhas que pelos vistos estavam escondidos por detrás das janelas e cortinas e envergonhadamente iam saindo…
Um deles mandava-me recuar e eu a ver na câmara que ia bater numa esquina…
Já lá no cimo... dei graças ao criador, por me ter deixado passar esta tormenta... é só alargar/ampliar a foto e ver lá bem no fundo a aldia por onde passei... nem o nome fixei... e nem uma foto para demonstrar a proeza...
Ainda ouvi o fulano dizer para outro: estes vem de casa às costas e depois ficam medrosos a passar aqui!...
Depois de indagar o indígena se seria melhor regressar ou prosseguir, a resposta veio firme: Sempre em frente! Et voilá… reencontrei a boa estrada já próximo do histórico ‘’Col d’Aspin’’ a uns 1500 mts… Muita gente… e… lá no fundo a tal aldeia onde passei stressado!!!
Já lá no alto do ''Col''... respirei de alívio... 
Recebo telefonema do M Vitorino a dizer que estava a passar lá no fundo do Col D’Aspin… pois… safou-se… é que após fazer a descida, fui encontrar o ‘’nó’’em SAINT.MARIE DE CAMPAN onde se cruzavam as viaturas que desciam do final da etape… levei 3 horas… é verdade 3!!! De pára-arranca… mais pára que arranca!
O M Vitorino seguiu para PAU para entregar material ao Rui Costa (Movistar), pelo que chegaria mesmo assim mais tarde que eu.
Já na descida... na zona do pára... arranca de 3 horas... uff
''malucos'' há-os em todo o mundo... este encostou uma carrinha... e ''arrumou'' sobre ela mais traquitana... bonito...
num minúsculo espaço junto a uma moradia,... estacionadas a milímetros 3 AC...
Passados uns km estava já a entrar no percurso do ‘’dia seguinte’’… encosta acima, já com as plateias repletas de AC, automóveis, ‘’roulotes’’, tendas… inimaginável tal mobilização de gentes de inúmeras nacionalidades. Muitos espanhóis! E Franceses, claro!
Um desporto saudável e libertador...

Em Saint Marie de Campan... as casas estavam decoradas com figuras vestidas de gente...

Mesmo à porta das lojas...
A sugestão do meu ‘’parceiro’’ de viagem era de ficarmos para lá do ‘’Col du Soulor’’, próximo do ‘’Cold’Aubisque’’ ( 1.709 mts), mas… ao chegar ao cimo do primeiro (1.450 mts) os ‘’Gendarmes’’ dizem-me já não ser possível passar… muitas desculpas… je suis desollé…. Ok… ok… pás de probléme… e como ia estudando os pontos de passagem, optei por escolher o que mais gostei por poder em caso de ‘’temporal’’ visionar comodamente da AC… estava apenas a uns 100 mts do topo.
Haverá quem não se renda a esta maravilha... de bem com a natureza???
É claro, que a Polícia lá do alto, tem outra visão das coisas...
Não havendo lugar nos enormes relvados... fiquei faceando a estrada...
Um cenário inesquecível. Montanha… neblina… gado… AC… tendas… tudo às centenas… e mesmo já noite dentro alguns acordaram com o ‘’roçar’’ dos ‘’burros’’ que vinham dos pastos…
A chegada dos ''burros''...

Já tarde, eis que me liga o M Vitorino que ainda conseguiu um lugar próximo de mim.
Percorridos: 1.332 (Dia 95Km)
Dia 8 – 15.JUL.11 – 6ª. Feira
COL DU SOULOR – NAY – TARBES – ST GAUDENS – ST. GIRONS – FOIX – LES CABANNES
Amanhecer com o gado que passava a chocalar. Céu parcialmente encoberto por forte neblina com momentos (poucos) de visionamento do pico próximo.
Os agricultores aproveitam para alertar o ''poder'' para a débil situação...
Umas idas ‘’ao cimo’’ para ver como iam as coisas… Um heli da polícia aterra mesmo ali ao lado… bandeiras de várias regiões de França e de outras nacionalidades… Francesas, Inglesas, Holandesas, Italianas… outras mais… um colorido e uma massa humana divertida. As pessoas interagem entre elas mesmo não se conhecendo.
Ora ali está a ''minha amiga''... ao entrar da curva...
E muitas outras AC em redor...

Muitas mulheres de todas as idades a ''sprintar''... 
Lá do alto Maria viu uma AC com 4 enormes bandeiras… Uma enorme curiosidade me invadiu de saber a razão de tal mescla…

4 bandeiras??? Farturinha...numa só AC...
Então mantive uma conversa animada com uma família… ele… diz-me não ter nacionalidade… penso ser francês daí a bandeira francesa, ela espanhola, claro a bandeira espanhola… a brasileira? Sim, tinha uma nora brasileira… e a portuguesa? Ah… pois… a minha nora está a trabalhar e não veio, mas… é portuguesa!



Há pessoas de bom gosto... que nos altinhos se instalam, como num qualquer camarote de teatro...



Os ''Gendarmes'' tinham todos os meios...
Os ''motards'' Gendarmes...


Um ''movimento'' para voltar a colocar ''Ursos'' nos Pirinéus... e se Portugal os exportasse?
Viaturas para todas as emergências...
Lá no alto antes de chegar a ‘’tal caravana publicitária’’, aterram 5 helis de Tv’s e um outro da Polícia… a caravana chega, e … a mesma cena… os arremessos de porta-chaves, rebuçados, chapéus, camisolas, bonés… tudo a fazer voos para conseguir ‘’un cadeaux’’ …
Há bandeiras que trepam...
Os ''helis'' das Tv's  picam e aterram sobre os pequenos morros do ''Col''...
A ''chiquitita'' Basca,,, ccorrendo alegre ccom a sua bandeira
Gps... Gps... diz-me onde estou...
quem não pode vir de véspera... tem de subir montanha acima...

Esta foto tinha de surgir... é cclaro... a Maria... o Manuel Vitorino... e o Je... lá no ''Col''
A mãe aproveita para ''dar aulas'' aos filhotes...
A Etape nº 13 – PAU a LOURDES – 152,5 Km
O nosso local de pernoita estava a 32,5 Km (de descida) até Lourdes e já estariam percorridos 120 Km com a passagem do Col d’Aubisque a 1.709 mts e este onde nos encontramos a 1.474 mts e a Meta a 380 mts.





A polícia integra a ''caravana'' do ''Tour'' com uma 6 viaturas vomitando música ''pop'' e atirando material publicitário... autocolantes, porta-chaves... etc... e os agentes vestem de amarelo!!!







O ''desgraçado'' sprinta sempre em cima da carripana...


Aqui sim. Já se fez sentir as subidas sendo que os ciclistas iam passando a conta-gotas.
O ''fugitivo''...


Lá no alto vinha sozinho o Rui Costa, que julgo mais preocupado que as mudanças automáticas da bicicleta se adaptassem à grande descida de 1.000 mts, que o esperava nem ouviu chamar por ele e nem o acenar da sua bandeira natal lhe chamou a atenção. Está desculpado este simpático jovem nortenho.

Nem o meu grito de ipiranga escutou... eram os óculos do RUI COSTA que o tolhiam no início da descida...
Então Rui... já nem o acenar da bandeira te desvia da ''missão''?
O Sérgio Paulinho não vislumbrei.
Acabada a passagem, ficamos ‘’acantonados’’ no cimo, vá-se lá saber porquê… Aqui fiquei com a sensação que a polícia francesa de tão descoordenada que estava, desceu ao nível de alguns colegas africanos que conheci no percurso para a Guiné-Bissau.
Finalmente, libertaram-nos, sem antes me fazerem sinal de paragem após o M Vitorino ter passado pois daria passagem a um ‘’combóio’’ de 2 autocarros, 4 carrinhas e 2 viaturas descaraterizadas da polícia… 
foi-me dada a primazia de ir ‘’encostado’’ a toda esta escolta de m eia centena de polícias que pelos vistos acompanham o ‘’tour’’ nesta região…
A descida por vias alternativas estreitas mas sem os problemas da véspera pois o M Vitorino sabedor destes ‘’bouchons’’ aconselhou-me e bem, fazer o mesmo que afinal a própria polícia fez… fugir a Lourdes…




Para conseguirmos chegar a horas decentes, entramos na Auto Estrada, até St Gaudens, para paragem na já nossa conhecida AS de ST GIRONS, onde aproveitamos para descargas e onde jantei na AC de Maria e M Vitorino, mesmo sendo de improviso, um jantar agradável e gerador de novas energias para a cansativa viagem.
A ideia seria subirmos um pouco na ascensão para a meta que dista 15 km de LES CABANNES.
Acontece que já noite dentro, fizemos paragem em FOIX para colher a foto noturna do majestoso castelo e… eis senão quando somos ultrapassados por uma enorme caravana de camiões TIR de apoio à etape… para dar uma ideia da situação criada, diria que ‘’nos lixamos’’ pois a uns escassos 50 mts do centro, a rua ficou ‘’barrada’’ pelos camiões que iam um a um estacionando num parque destinado aos mesmos… e… o acesso à subida estava prestes a acontecer…
Passagem em FOIX já a noite corria...
Depois de contornarmos a cidade, entrando em estreitas ruas… ‘’com dois sentidos’’… suei tanto que voltei a um relvado onde decidi estacionar por entre tendas, automóveis, AC… a um a 2 km do centro. O M Vitorino apanhou ‘’uma vaga’’ na dita rua estreita, e lá ficou por saber que assim poderia regressar a Portugal sem ficar ‘’enlatado’’ como se previa que eu ficasse.
Aqui já os espanhóis dominavam. Impressionante, toda a noite iam chegando automóveis que com lanternas iam montando tendas para dormir. Acordei vezes sem fim com o bater de portas e algum tagarelar.
Percorridos: 1.592 Km ( Dia 260 Km)
Dia 9 – 16.JUL.11 – Sábado
LES CABANNES
Às 9 da manhã dormia a bom dormir. Sou acordado pela chamada do  M Vitorino que com essa atitude, felizmente,  me empurrou para o duche indo de seguida ao centro onde os reencontrei.
A Maria decide democraticamente ouvidos os cavalheiros, adquirir um frango assado e lá fui de novo almoçar fora…




Uma ''bizarria francesa''... colocar nos ccampos, mesmo de futebol... a bicicleta... enorme... para heli ver...
Pelas 13 horas já havíamos subido 1 km no derradeiro percurso para os restantes 15 km da meta.
A ETAPE DE HOJE: 14 – SAINT GAUDENS – PLATEAU DE BEILLE – 168,5 km.
Só mesmo de quem gosta... ainda há dias ''levou uma facada'' no hospital... e já anda na ''luta''...
Incentivo para o Rui Costa e Sérgio Paulinho... e para quem passava...
Com a bandeira, a ''coisa'' compôs-se... e lá posou o M Vitorino
A passagem no local onde assistimos, dá-se após haverem trepado 4 picos de 1070 a 1570 mts e termina no 5º de 1.780 mts sendo que os últimos 15 km representam um desnível de cerca de 1.240 mts!!! é subir até dizer: Basta!
Pelo caminho alguns portugueses emigrados em França.
Com o meu chapéu de palha Cubano... lá me fiz à foto...
Um lugar em plena sombra onde voltamos a ver a ‘’caravana’’ passar e… uma hora mais tarde… os ciclistas que uma vez mais vinham em pequenos grupos e distantes uns dos outros.










Instalamos uma bandeira de cada lado da via que merecia o comentário de algumas viaturas que passavam.




Já cansados de ‘’tanto TOUR’’ lá me despedi dos meus amigos a quem agradeço uma vez mais a sua agradável companhia e, a seu conselho, fui dar uma olhada a todo o imenso ‘’quartel’’ de viaturas das equipes.











Aguardei junto ao Autocarro da Movistar para fazer uma foto com o Rui,… mas… nabice que assumo, olhei sempre para a estrada onde passavam centenas de ‘’corredores’’ misturados com os ciclistas já que nesta etape se sabia que os ciclistas desceriam ao 15 km até LES CABANNES, eis senão quando, o primeiro autocarro a partir… já com os ciclistas lá dentro, foi mesmo o da Movistar… acontece que provavelmente terão vindo em viaturas e não dei pela sua chegada… foi pena… teria fechado em beleza a experiência.
Mais uma olhadela aos espetaculares autocarros que dispõem de gerador próprio e até alojam 2 máquinas de lavar e secar roupa!!!
Quando for ‘’grande’’ vou comprar uma coisa destas!
Passarei certamente uma calma noite num local a 200 mts do anterior mais protegido de ruídos ao pé de algumas tendas e AC.
Dia 10 – 17.JUL.11 – Domingo
LES CABANNES – AX-les-Thermes – L’Hospitalet-Prés L’Andorre – (França) – PAS DE LA CASA (Andorra)

Seriam sete da manhã quando a chuva voltou e quando a dita se quedava uma neblina cerrada surgia. Antes de partir, dei ainda uma olhada à AS para AC que não utilizei pois restavam ainda muitos AC que a utilizavam.
À saída estavam dois adolescentes Belgas a pedir boleia… é claro que lhes dei boleia bem como às suas enormes mochilas. Conversamos durante a curta viagem até AX-les-Thermes localidade onde se deriva noutra estrada para Barcelona, para onde iriam.
Reparei que nesta simpática localidade dispõem de iguial modo de AS. A chuva embora menos intensa intercalava com a pesada neblina que dificultava ou impedia o visionar da paisagem. À passagem na muito pequena localidade antes da fronteira com Andorra de nome L’Hospitalet-Prés L’Andorre, um enorme cartaz anunciava a recente abertura de AS para AC junto à gare.
Passada a fronteira do lado francês, estacionei na berma da estrada a uns escassos 100 mts do posto fronteiriço de Andorra já que sendo Domingo terá havido uma invasão de pessoas que se agravou com muita gente vinda do ‘’tour’’.
Fui a pé ao edifício do Turismo onde voltei a colher informação atualizada. Desci pela parte traseira desse edifício para entender os preços do Parking onde se pode pernoitar das 20h às 8h da manhã por apenas € 1,65! A qualquer hora do dia é possível utilizar o Parque durante meia hora gratuitamente o que permite utilizar a AS para AC que se encontra do lado direito do parque para as necessárias descargas e abastecimento de água, graciosamente.
Impressionante a quantidade de pessoas francesas sobretudo, que continuam a ‘’consumir’’, trazendo cada um grandes sacos de compras… et voilá… la crise…
Percorridos: 1.651 Km (dia 59 km)
Dia 11 – 18.JUL.11 – 2ª. Feira
PAS DE LA CASA (Andorra)
 Após uma noite super calma, acordo às 7 da manhã e vejo que a temperatura no exterior ronda os 4ºC. É claro que voltei a dormir.
Subi até ao edifício contíguo ao edifício do Turismo onde pensava ser lá que poderia aceder à net... que não, era grátis, mas no 7º. piso sobre a piscina do complexo desportivo.
Nem precisei de hablar em espanhol nem em ''franciu''... todos os funcionários com quem me cruzei são Portugueses... e aqui ficarei para tentar atualizar parte da viagem.
Uma caminhada pelas ruas de grandes subidas onde ouvia a miúde gente a falar português.
Noite super calma, não tendo sequer tido o trabalho para pernoitar no enorme P onde apenas pernoitavam uma quarentena de AC... 


PARTE 2 - CLICAR AQUI
Enviar um comentário