De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sábado, março 26, 2011

A caminho da Andaluzia 24 a 31


Marina de Almerimar - ''grafitti''
Dia 24 – 26.MAR.11 – Sábado
S.JUAN DE LOS TERREROS – ALMERIA – ALMERIMAR
Despertar com o dia repleto de sol.
Ainda mal havia saído para o exterior e uma carrinha fazia soar ‘’a buzina’’… dúvidas não tenho de que os espanhóis agarram melhor as oportunidades de negócio… um aglomerado de AC eis que o ‘’padeiro’’ decide vender o seu pão… o máximo!
imensidade de estufas
um mar de estufas
A parte inicial do percurso fizemo-lo pela sinuosa estrada, sempre ao lado de imensas áreas agrícolas, sobretudo, extensões enormes de estufas rastejantes. Nalgumas propriedades vimos imensos grupos de ‘’africanos’’ a colher os produtos que entravam em enormes camiões. Até autocarros serviam para transportar o pessoal sazonal.
a paisagem entre a estrada e o mar
Os 100 km  finais entramos na gratuita autovia que nos levou até para lá de Almeria que não visitamos. Havia-mos anotado uma AS para AC no porto/marina de Almerimar.
A zona poente onde fiquei
Do lado poente, defronte dos yates, um parque para AC sem electricidade por € 7,75 as 24 horas. Do lado nascente da marina, um outro espaço idêntico com electricidade, junto ao paredão por € 12,00. Este local é procurado por AC que praticam a pesca de mar.




O wi-fi pode-se aceder em toda a marina por € 3,75. Ambos os parqueamentos com WC dotado de duche.
A zona nascente com electricidade - Um bom local para pescar no mar.
Aproveitei a ida a um dos bares-restaurante para aceder graciosamente à net.
um casarão polaco
Um local agradável para se pernoitar.
GPS: N 36º 41’46.68’’  --- W 2º. 47’39.12’’
o dono queria trocar o lamborguini com a minha AC... não aceitei!
Marina de Almerimar
Percorridos: 2.376 Km – Dia 168 Km

Porque razão na minha cidade e em tantas outras do meu país, as autarquias não fazem pequenos investimentos como este? Coisa tão simples... Uma ''Mesa de Ping-Pong''... desporto tão salutar e interessante!... em MOTRIL.

Dia 25 – 27.MAR.11 – Domingo
ALMERIMAR – ADRA – MOTRIL
Cerca das 23 horas o vento ‘’apertou’’ e obrigou a baixar a antena parabólica.
Apesar desse inconveniente não tardou muito a que a serenidade voltasse.
De manhã soube bem dormitar até tarde já que a hora de inverno deu lugar à de verão.
À saída, lá ao longe... a Sierra Nevada...
Arrancamos pela Autovia, sempre por entre o mesmo adorno campestre… as estufas enormes… sendo que ao passar Adra, a Autovia sumiu e passamos a estrada pior de toda a viagem. Cortes e mais cortes, a construção de autovia inacabada e as targetas dos locais a apelar ao poder central para terminarem a Autovia.
Uma viagem sem história e muito ventosa.
Objectivo da viagem: Procurar camping em Motril (o frigorifico da AC vizinha não funciona a gás) e ensaiar a possibilidade de encontro com casal de Granada que sabemos vir periodicamente a Motril para ajudar as netas aqui residentes. 
O casal em questão, conhecemo-lo na descida do Cabo Norte, após a passagem de ‘’Ferry’’ de Helsínquia para Talin na Estónia.
Da amizade  ganha, ficou o desejo do reencontro para troca de experiências de viagem.
Chegamos ao Camping ‘’Playa de Poniente’’, estranhamente repleto. 
É que soubemos hoje comemoravam o seu dia campista. Um camping tradicional pejado de caravanas com avançados. Dotado de uma boa piscina que hoje não registou clientes, e de outras infraestruturas que o tornam agradável. De notar que existe mesmo um ‘’duche’’ de água ‘’caliente’’ para ‘’perros’’… claro que a ‘’cuca’’ que nos acompanha teve de ‘’ir ao banho’’…
No Camping, com a Sierra Nevada lá ao longe...
Após contacto telefónico, fomos visitados pelo casal Marifi e Juan, que nos deliciaram com a sua viagem em AC (organizada) à União Soviética e também à Croácia e Bósnia.
Da esquerda para a direita... O Juan e Marifi (de Granada), a Emília e Artur Castro... e... o Je!!!O nosso abraço ao casal amigo.
Percorridos: 2.465 Km Dia 89 Km
Num ápice... bandeiras ao vento... para em duas horas estarem já bem cheirosas e prontas a utilizar...
Camping Playa Poniente – MOTRIL – www.infonegocio.com/camplapo
Paredes meias com o Camping ‘’Playa de Granada’’.
Situados na Praia Poniente, a 2 km de Motril, centro da ‘’Costa Tropical’’, que nos dizem disfrutar de microclima que permite a prática de numerosas actividades e desportos ao ar livre. Próximos de Granada (69km) tendo a Sierra Nevada como pano de fundo. 
Casa... e reboque para automóvel... Coisas de súbditos de Sua Magestade do Reino Unido!



Percorridos: 2.465 Km Dia 89 Km

Dia 26 - 28.MAR.11 - 2ª. Feira
MOTRIL - NERJA - MÁLAGA - TORREMOLINOS - BENALMÁDENA - FUENGIROLA - MARBELLA - RONDA
Ronda
A manhã surgiu radiosa. Sol... muito sol.
Apontamos para a localidade de NERJA, onde existia uma AS para AC sobre a praia... pois... mas o Ayuntamiento decidiu por-lhe cobro... 
Nerja
O que era ontem para os autocaravanistas... poderá deixar de ser hoje... mas... para a frente é que é o caminho... encontramos um estacionamento sobre o mar... próximo do ''pueblo'' de Benalmádena... mas... como a AC do Artur tem o frigorífico a pedir electricidade, avançamos.
Fuengirola... no a perros
Ainda tentamos um Camping em Fuengirola mas... sempre um mas... não aceitam ''perros''... um outro mais adiante em Marbella que tinha como gerente um jovem português... um pouco no interior, longe do mar... caro... decidido avançar para o interior... 43 Km de curvas mesmo se estrada boa... chegamos ao Camping de RONDA.
as muitas curvas até Ronda
A pé fomos ao centro histórico.
Era sabido que valeria a pena a visita.

As imagens falam por mim.


O regresso ao camping fez-se de táxi (os meus parceiros) e eu próprio a pé... não custou nada... em mangas de camisa... cheguei às nove da noite a tempo de subir o ''mastro'' da antena satélite e ligar a net, e claro confeccionar uma omolete de presunto e chouriço ''revilla''...
Percorridos: 2.700 Km Dia 235 Km
Marina de Gelves - Sevilha AS para AC
Dia 27 – 29.MAR.11 – 3ª. Feira
RONDA – PUERTO SERRANO – UTRERA . SEVILHA (SEVILLA)
A manhã surgiu embrulhada em nevoeiro algo chuvoso, contrastando com o belo dia da véspera. Deixamos o agradável camping a apenas 1,5 Km da cidade.
Iniciamos o regresso pelo centro da urbe. Muitos turistas e até dois autocarros portugueses.
A estrada inicial, um tanto ou quanto sinuosa por entre montículos de de verde claro, regados pela fraca chuva matinal.
Nada de especial a registar na trivial viagem. O local escolhido de paragem, a Àrea de Serviço para AC no porto fluvial de Sevilha em Gelves, onde uma vez mais partilhamos espaços com as gentes que sulcam os mares.
A méteo foi alterando nas proximidades de Sevilha e embora uma ou outra nuvem clara vá cobrindo os céus, faz calor.
Pernoita na AS próxima de Sevilha – em Gelves – Calle de Puerto Labarca  (€ 11,80/AC e €2,73 electricidade). Uma boa opção e alternativa ao Camping para quem rume a Sevilha. Dispõe de transporte autocarro e metro para o centro citadino.
GPS: N37º 18’48.96’’   ---  W 6º 1’ 26.76’’
Dia 28 – 30.MAR.11 – 4ª. Feira
SEVILHA  – PILAS – EL ROCIO
Mais um dia esplendoroso, algo quente… de muito sol.
Iniciamos a saída de Sevilha com pequena paragem para abastecer. Achamos o preço do diesel aceitável  € 1,305 numa Estação de Serviço da BP e as laranjas a € 3,00 os 5 Kg… dois ou três km após, fomos ao supermercado… e, ao lado… 5Kg de laranja por € 2,00 e o gasóleo a € 1,295…  
Optamos por desviar para estrada secundária em direcção a El Rocio… são menos uns 30 km e… pese embora, a cada km existirem barreiras de som, deu para ter uma noção da vegetação da área protegida do Parque Nacional de Doñana, um dos maiores parque húmidos da Europa. Mais de 75.000 hectares de matas, dunas e lagoas, uma fauna super variada.
Desde 1969 que a área foi declarado espaço protegido, onde passam abundantes espécies endémicas, milhares de aves migratórias incluído o flamingo, escalam no inverno quando as zonas húmidas são inundadas pelas águas até secarem nos meses de verão e ainda existem os poucos ‘’línces hibéricos’’ que pelos vistos serão uns 60 casais…
Tentamos a visita à parte visitável que, pese embora o seu custo elevado (€ 26,00/pessoa), mas… somente daqui a três dias haveria disponibilidade de reserva. Ficará para uma outra passagem na zona.
Aparcamos no imenso largo arenoso fronteiro à ‘’ermida de Nuestra Señora del Rocio’’, local de romaria anual, onde acorrem por ano cerca de um milhão de pessoas.

El Rocio... a ermida...

O altar mor da igreja é de uma beleza indescritível. Após a visita demos uma olhada à povoação que mais parece uma qualquer cidade sul-americana pois os seus mil habitantes recusam a pavimentação das ruas, permitindo assim os passeios a cavalo… e… à porta de cada casa, qual cidade do oeste americano, dispõem de parqueamento para os cavalos.
Na lagoa fronteira alegramos a visão com os flamingos e outras aves a alimentar-se ao abrigo do magnífico sol. Alguns cavalos do parque partilham os pastos por entre as aves.
No final de dia, uma surpresa sonora… nas palmeiras contíguas arribavam muitas centenas de ‘’passarões negros’’ iniciando uma chilrreada fora do comum… lindo… a ver vamos como vai ser a alvorada.
O estacionamento e pernoita ao pé da ermida é pago - € 1,00!... é assim em El Rocio.
Percorridos: 2.919 Km Dia 79 Km
GPS N 37º. 7’53.8’’   ----- W 6º. 29’ 11.8’’
Punta Humbria
Dia 29 – 31.MAR.11 – 5ª. Feira
EL ROCIO – MATALASCAÑAS – MAZAGÓN – HUELVA – PUNTA HUMBRIA
Uma noite em que o silêncio predominou. Pela manhã, apenas os pardais deram os primeiros sinais do dia e o céu límpido deixou que o sol brilhasse.
Descemos por entre o Parque Nacional, despedindo-nos dos flamingos e cavalos que do outro lado da vedação pastavam indiferentes.


Primeira paragem em Matalascañas junto às imensas dunas do Parque. 
Matalascañas
A marginal de Matalascañas
Um bom local para os passantes passarem a noite, no verão não direi o mesmo pois a localidade estende-se pela enorme praia e como em todas as zonas balneares as coisas complicam-se em Julho e Agosto.
Nova paragem em Mazagón com a sua marina em crescendo.
Junto à Marina de Mazagon... ótimo local para pernoita
A passagem em Huelva sem paragem. Uma cidade de média dimensão, bastante industrial, com porto de mar e inúmeras refinarias.
O almoço numa das entradas da baía...
Contornamos a península e instalamo-nos do outro lado… mesmo ‘’na ponta’’ de Punta Humbria num parque fronteiro à baía.
Pernoita: Na baía de Punta Humbria – GPS N 37º 10’ 22.2’’  ---  W 6º 57’ 1. 5’’
Percorridos: 3.014 Km Dia 95 Km
Ayamonte... o banho ''dos putos''... 
Dia 30 - 1.ABR.11 - 6ª. Feira
PUNTA UMBRIA - AYAMONTE - CASTRO MARIM (Portugal)
Aproveitando o maravilhoso dia, pela manhã fomos ao centro de Punta Umbria na companhia de 3 casais espanhóis com quem trocamos galhardetes ontem. Vão fazer um passeio pelo nosso país que já conhecem. O mais animado do grupo chama-se Paco e sem dúvida um Catalão de Tarragona super interessante.

Ainda ficaram a aproveitar o belo dia de praia.
Já se avista a ponte de Vila Real de St António
Seguimos até Ayamonte onde entre outras coisas colhemos informação sobre a possibilidade de dotarmos a casa rolante com botijas de gás propano da Repsol já que a diferença de preço é convidativa a ‘’trair a nossa economia’’… dos € 24,00 pagos em Portugal, a coisa em Espanha fica por € 13,00!... não dá para entender… como dizem da Euronews… ‘’sem comentários’’!


Arribamos ao nosso país desta vez com pernoita na simpática Castro Marim, onde a AS para AC estava repleta e os AC já ocupam parte do antigo largo que agora tem placas de proibição, mas… ninguém incomoda os autocaravanistas onde predominam os franceses, ingleses e alemães.
Castro Marim!


Os restaurantes, supermercados e ‘’tasquinhos’’ da terra gostam dos forasteiros pois o negócio supera talvez o da população local.
Percorridos: 3.093 Km Dia 79 Km
GPS: N37º 13’ 9.6’’   ---  W 7º 26’ 39.7’’


Dia 31 – 2.ABR.11 – Sábado
CASTRO MARIM – VILA REAL DE STº ANTÓNIO
Amanhecer com nuvens cinza claro. 

O edifício camarário... com uma remodelação pouco condizente com o anterior e restante praça...
A feirinha de produtos da terra...
Balneário Público... funciona? Assim me pareceu...
A temperatura ronda os 22ºC. o que torna o dia agradável pelo que fizemos a viagem diária mais curta de toda a viagem.
A ideia era dar uma voltinha e almoçar no centro de VRSº António, acontece que ao chegarmos deparamos com uma imensa ‘’cidade autocaravanista’’.
Havia cadeiras no exterior, e outros sinais de ‘’acampamento’’ que pela conversa que tivemos com agente da PSP é tolerado pelas autoridades mesmo se existem dezenas de placas de ‘’proibição’’.
Se o espaço na margem do Guadiana pode ser fruído por centenas de estrangeiros, porque não fazer o mesmo?
Uma placa indica quem inaugurou... um Presidente da Câmara... e o Autor? Será Cutileiro?
Assim o pensamos, assim o fizemos.
O ''Ferry'' ainda labuta...
Percorridos: 3.098 Km Dia 5 Km
Pernoita: GPS N 37º 11’ 53. 5’’ / W 7º 24’ 52.8’’
Enormes espaços repletos de AC (mais de uma centena) entre o Rio Guadiana, a desativada estação CF e o edifício do Ferry para Ayamonte. 
Enviar um comentário