De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sexta-feira, setembro 30, 2011

E lá vou eu... a caminho de Itália - Dia 1 a 10

Já andava um tanto ou quanto ''nervoso''... Dizem que no próximo ano estaremos mais de tanga que agora... por isso, aqui vou eu.
Itália é um destino que mereceria uma digressão de 2 a 3 meses... até para rentabilizar os custos do combustível... mas... não vai poder ser... passei por lá no ano passado na viagem à Capadócia... conheci novas cidades como Montagnana e Mantova... desta vez veremos... a ideia será revisitar Florença, Pisa e Roma e descer um pouco mais até Pompeia de onde eventualmente poderei dar uma olhada a Nápoles... a ver vamos... o decurso da viagem ditará as visitas. 
A ''revisão'' do ''telhado'' à partida...
De Braga a Florença
Dia 1 - 10.SET.11 - Sábado


BRAGA – GUIMARÃES – CHAVES – BENAVENTE – PALENCIA – BURGOS

Partida após o almoço, com chuva não muito forte. Céu encoberto.

a PASSAGEM em Guimarães

Como o objetivo de viagem está longe e o tempo da mesma limitado, optamos por fazer a viagem por AE de Braga a Chaves. De Guimarães a Vila Pouca de Aguiar, veio juntar-se à chuva, um cerrado nevoeiro.

Às portagens em Vila Pouca seguem-se mais cinco pórticos que em breve tornarão insuportável o custo destes 120 km de distância… lá voltaremos a utilizar a EN que embora com muitas curvas tem um bom piso.


A partir de Chaves entramos na nova AE que liga a Autovia até Benavente. Aí o sol voltou a raiar e as nuvens sumiram-se.

Aproveitamos para contrariar o ‘’Via Michelin’’ e os GPS, indo ‘’a direito’’ até Palência, um percurso de 100 Km de muitas retas e boa estrada.




em direção a Nascente...
lindos e belos tons de amarelo palha...
e a Lua a indicar ''o rumo''...
até o sol se esconder...

A chegada a Burgos ocorreu pelas 20,30h portuguesas.
Estacionamos no centro da urbe num Parque ‘’pago’’ onde já estavam 2 AC Francesas e 1 Espanhola. Após pequena espera surge um apetecível lugar.
Uma pequena volta no animado e moderno centro.
Percorridos: 526 Km
Dia 2 – 11SET11 – Domingo
BURGOS – VITÓRIA – ST JEAN DE LUZ (França) – BAYONNE -  DAX – MONT-de-MARSAN – AUCH
à saída, um bom local para pernoitar e visitar Burgos.
A manhã surgiu algo nublada mas sem chuva. Saímos em direção de Vitória onde apontamos paragem para almoço na AS para AC já nossa conhecida num imenso parque de estacionamento de apoio aos transportes urbanos para o centro histórico.
cada vez que aqui ''entro'' a vontade de repetir a foto... próximo de Vitória...
Pelo caminho ainda tentamos ir às compras num Hiper, mas, já havíamos esquecido que nem hiper’s nem mini’s--- tudo encerrado.
A magnífica AS para AC de Vitória.
Em Vitória estava a conversar com o Agente da Polícia Local que amiúde patrulha a zona e eis que chegam 2 AC portuguesas… ambos amigos ou conhecidos do M Vitorino, David Estrêla e Duarte (de Messines) e outros mais. Vinham de fazer férias em França e regressavam - uma breve troca de galhardetes.
Fiquei a saber pelo super simpático Agente que podiamos visitar Vitória e o seu lago onde arribam aves migratórias, solicitando numa rua próxima uma bicicleta graciosamente com a apresentação do Bilhete de Identidade... um verdadeiro Agente Turístico.
Ao pedir no café/esplanada contíguo com o Parque, 1 expresso e 1 ''café traçado''... os dois funcionários riram e responderam alegremente... ''boa... um pingo''... que saudades... são os dois portugueses de Valongo (Porto)...
Desta vez optamos por fazer a viagem mais a norte da conhecida via que passa em Pau e Lourdes… pensamos parar na AS para AC de St Jean de Luz que fica mesmo a facear a estrada nacional que nos leva até lá… mas… estava repleta… é que a praia mesmo se estava uma tarde ‘’meio embrulhada’’, estava pejada de veraneantes.
Bayonne
Prosseguimos e em DAX fizemos o mesmo. A AS é vizinha de um bairro de moradias e nem acreditávamos… fica num parque arbóreo com parcelas para as AC… ainda a tarde não tinha terminado e decidimos avançar para fazer mais uns kilómetros.
A noite chegou e a paragem já às 9 da noite (Pt) fez-se no parque de acesso ao Camping de Auch onde se situa a AS.
Içada a ‘’parabólica’’ para o satélite, lá abastecemos o organismo e visionamos as sempre iguais notícias da terra.
Percorridos: 1.038 Km (512 km)
Dia 3 – 12SET11 – 2ª. Feira
AUCH – GIMONT - TOULOUSE – ALBI – ST AFRIQUE – LE CAYLAR – MONTPELLIER – Palavas-Les-Flotes

AUCH

Saída com um sol radioso não perdendo contudo a olhada necessária ao centro histórico de AUCH.



AUCH

Paragem em Gimont  junto a um lago onde existe uma AS para AC, onde abasteci de água e providenciei outras operações necessárias.


Gimont

AS para AC de Gimont

Passagem em Toulouse – enorme cidade – onde inúmeros jovens de várias proveniências tentavam ‘’lavar’’ os para-brisas nos semáforos e pedinchavam.

Prossegui na busca de hiper para abastecer gasóleo já que os preços por estas bandas superam os nossos... já vi diesel a € 1,65/litro!!!... Acontece que nos 2 ''Carrefour'' onde parei... o atendimento é automático e não aceitam cartões ''Visa''... 

Paragem para almoço num ''Leclerc''... et voilá... € 1,32/lt e net no ''Mac'' ao lado...

mesmo nas áreas de repouso... existem AS para AC

ALBI - linda cidadesinha.

Dei rédea solta aos GPS, ao apontar como destino Nimes, enviou-nos por estradas nunca antes visitadas, com paisagens campestres e em todo o percurso fomos avistando uma meia dúzia de AS.






Finalmente na descida ao Mediterrâneo nem precisava já dos Gps pois uma vez 
mais fui parar à desta vez superlotada AS da marina de Palavas-Les-Flotes.

A descida para Montpellier



Palavas-Les-Flotes







Ainda estacionei num dos cinco lugares no exterior da rede, com tomadas de corrente instaladas, mas ao ser informado por ‘’residentes’’ que pagaria € 15,50 + € 3,00 (com descargas e abastecimento de água), que logo sai do local indo parar uns 20 mts mais adiante… sempre ficará mais em conta.

À noite a voltinha pelo canal. Nada como nos meses de Julho e Agosto… tendas desmontadas, e poucos restaurantes a laborar.

Lição tirada: Deveria ter experimentado outra AS pois num raio de 220 Km para Este existem umas seis.

Percorridos: 1.423 Km (Dia 385 Km)

Já do lado Italiano... após Menton
Dia 4 – 13SET11 – 3ª. Feira
PALAVAS-LES-FLOTES – ARLES – AIX-EN-PROVENCE – FREJUS – CANNES – MONTE-CARLO MÓNACO – MENTON – Fronteira França-Itália
Mais um dia soalheiro e quente.
À saída percorremos as vias que circundam as reentrâncias marítimas formando imensos lagos. Impressionante toda a beleza proporcionada por milhares de Flamingos que arribam a estas bandas vindos de Àfrica. Não consegui fotografar as imensas colónias dessas belas aves pois na via em que seguia não encontrei desvios apropriados .
Havia que prosseguir pois este cenário neste local já não era novidade para mim.
Percorremos bastantes ‘’scuts’’, até que em chegando a Aix-En-Provence saímos para a EN.
Penso nunca haver feito este percurso bastante sinuoso e fastidioso. Ao chegar a Frejus decidido entrar na AE com portagem pois os ‘’bouchons’’ eram mais que as mães… toda esta zona de praias até ao Mónaco aconselham esta opção e mesmo assim, não nos livramos de situações idênticas em plena AE.
(AE – Cannes/Antibes 2,10 + 2,30 – St Isidore 2,30 Monaco 3,30 Total €  10,oo os   51 Km)
A saída fez-se à entrada do Mónaco que passamos a ‘’passo de caracol’’ mas deu para ouvir uns berros de portugueses emigrantes que se cruzavam por nós.
A passagem do Mónaco
A passagem em Monton na grande e bela avenida marginal que desemboca na antiga fronteira com a Itália. 
Menton
O edifício e demais estrutura do lado Francês está intacta, sendo que do lado Italiano ajardinaram a zona.

já do lado Italiano
Os Franceses já reabriram este espaço... nunca se sabe se voltarão a fazê-lo...
à cautela, fiquei do lado Italiano...
a AC da direita... tb já em Itália é dos jovens PT...
Ao ver todo o complexo ocupado por uma trintena de AC, decidimos pernoitar no local que se presume não seja ruidoso durante a noite.
Eis que entretanto se junta a nós um casal de jovens portugueses que faziam a sua primeira viagem em AC (dos pais). Vão como nós fazer périplo Italiano.
Percorridos: 1.817 Km (Dia 394 Km)
Dia 5 – 14SET11 – 4ª. Feira
Fronteira França-Itália – SANREMO – IMPERIA – DIANO MARINA – CERVO – ALÁSSIO – SAVONA – GÉNOVA – RECCO – CHIÁVARI – SESTRI Levante
A chegada a CERVO
Despertar bem cedo pois esperava-nos uma jornada cansativa. A ajudar o sol surgiu forte pelo que às nove da manhã já ao longo de toda a costa da ‘’Riviera Italiana’’ se avistavam imensos banhistas água adentro das claras e verdes águas.
A passagem em Sanremo foi mesmo isso, muito tráfego e passagem lenta sem visita pois sendo uma importante estância de férias, mantém já pouca elegância por a mesma ter vindo a desvanecer..
Uma igreja, um mercado e o combóio... 3 em 1!!!





Em Diano Marina testamos as ‘’áreas sosta’’ gentilmente instaladas no GPS pelo amigo Duarte de Messines. Levou-nos lá, sendo que havia de ‘’entender’’ o seu funcionamento. A cerca de 1 Km das praias, lote com piso de cimento e apenas 3 AC no local que custa € 13,50 + € 2,00 eletricidade. Dispõe de duche quente.
Prosseguimos serpenteando as acidentadas costas fronteiras ao mar com o seu casario de tonalidades que vão do creme amarelo ao rosa ôcre… bos sincronia de cores..
CERVO 1
CERVO 2
CERVO 3
CERVO 4
cervo 5
Cervo 6
Cervo 7
Cervo 8
Cervo 9
Cervo 10
Cervo - Uma das localidades que havíamos pensado visitar surge uns Km adiante.
Estacionamos num pequeno Parque e subimos por estreitas ruelas até ao alto onde se situa a igreja de fachada barroca de San Giovanni Battista. Esta também é conhecida por ‘’dei corallini’’, devido à apanha de coral, que em tempos trouxe alguma prosperidade à população local.


A sempre agradável passagem em Savona onde os grandes barcos de cruzeiro acostam junto à rua onde passamos.
SAVONA e os ''Paquetes''
Génova uma enorme cidade que embora mereça uma visita, resolvemos não o fazer  uma vez mais,  pois,  com o calor sentido representaria um certo ‘’stress’’ sendo que continuamos a ‘’driblar’’ as encostas indo parar a Recco – localidade onde pernoitei no ano passado – e aí a subida pela serpenteada e estreita estrada deu num certo cansaço pelo que em chegados a Chiavári demos indicação ao Gps para nos levar ao Camping.
A coisa não correu como desejava… fui parar às ‘’barreiras de portagem’’ e… teria de prosseguir… coisas que acontecem. Percorri uma meia dúzia de Km e saí em SESTRI Levante onde estacionamos num grande parque grátis para pernoita.
Dia cansativo mesmo se foi o mais curto de toda a viagem. Por este andar teremos de fazer mais alguns percursos de AE.
Amanhã veremos.
Percorridos: 2.053 Km (Dia 236 Km)
Dia 6 – 15SET11 – 5ª. Feira
SESTRI Levante – LA SPEZIA - PORTOVÉNERE –LUCCA
Portovenére
Mais um alvorecer quente. A preguiça de conduzir atacou-me de novo pelo que avançamos para a Autoestrada. Muitos túneis e viadutos.
Saída em La Spezia, interessante cidade à beira mar onde se situa importante Base Naval para numa sinuosa estrada chegar a Portovénere em ‘’Cinque Terre’’.
Lá chegados numa rotunda à direita a uns 2 km, a estrada para a pequena localidade e à esquerda um Parque pago com pequena área para AC.
Portovenére
Decidido não fazer a visita e regressar de novo a La Spezia e prosseguir na AE até Lucca.
A chegada a Lucca deparamos com placas a indicar Área para AC. Seguimos e coincidiam com a informação do Gps. Apanhamos ‘’seca’’ de duas horas pois o ‘’camping’’ encerra para almoço das 12,30 às 14,30h.. De construção recente, trata-se de uma área bem demarcada com alvéolos individuais onde se pode aceder a água e corrente elétrica. O preço de € 20,00 por 24 horas é bem aceite já que os Wc são de qualidade com duche de água quente.
Lucca - janela 
Muralhas de Lucca
Uma das entradas de Lucca
Igreja de Lucca
A visita à cidade muralhada cujas estreitas ruas dentro das muralhas revelam  ainda o antigo padrão da colónia romana fundada 180 a.c.. As grandes e sólidas muralhas erigidas nos Séculos XVI e XVII vão servindo no século atual para afastar os automóveis do centro urbano e permitindo aos transportes públicos o acesso ao miolo da cidade fortificada.
Lucca
Um ''grupo organizado'' escuta a ''guia''... só alinho neste ''filme'' quando tem de ser... ''seca''!!!
Já algumas vezes '«'passei por isto''... agora ''tudo ao molho'' para a ''foto de família''...
Chega o ''112''... uma turista... escorregou... e fraturou um braço...

sob o olhar atento da ''polícia municipal''...
O ''Ex-libris'' de LUCCA


''no comments''
Torre 

Duomo de San Martino
Músicos Russos
''carrossel''
Lucca
Lucca
Visita efetuada e o regresso a pé até ao Parque de AC que dista 1,5 Km da fortificação.
Tinha a ideia de encontrar uma cidade mais cosmopolita... mais monumental... a exemplo do que vi na última passagem em Itália por exemplo em Mantova... mesmo assim, valeu a pena ter conhecido.
O ''jantar'' em Lucca
Portagens AE : € 15,00
AS para AC - € 20,00/24h. (duche,wc,AS e eletricidade incluidos)
Percorridos: 2.217 Km (Dia  164 Km)
Dia 7 - 16SET11 - 6ª. Feira
LUCCA - PISA - FLORENÇA (FIRENZE)
Dia 7 - 16SET11 - 6ª. Feira
LUCCA - PISA - FLORENÇA (FIRENZE)
No final da manhã, novamente com um dia quente, se sol aberto, seguimos pela estrada nacional até Pisa que dista uma vintena de Km por boa estrada, apenas com uns 2 km de curvas e contra-curvas.


Imenso trânsito e toda a cidade ''marcada'' com zonas pagas de estacionamento. Depois de uma volta à zona amuralhada, apontamos para um enorme parque de estacionamento, também ele com AS para AC incluida. Pagamos apenas 3 ''ore'' por € 3,00 e se nos interessa-se poderiamos optar por 24h/€12,00.
A visita ao ''núcleo duro'' de Pisa... a ''torre inclinada'' que já havia visitado há nada menos que 28 anos!... tudo na mesma, exceto o custo da subida aos 270 degraus que agora para além do desgaste físico e das solas gastas ainda se tem de pagar: € 15,00!!! Caso para dizer: ??Mama Mia''!!
Percorridos os 1.000 mts até à ''choupana''... havia de decidir se ir para Florença pela AE ou pela Autovia... é claro que a Autovia não tem custos... apontamos o ''cruise control'' para os 90 km/hora (velocidade permitida... de forma a que apenas os mais ''ousados'' nos ultrapassavam...
O Gps dava-nos várias opções... AS, Camping´s... optamos pela AS para AC servida pela ''carreira 6'' dos autocarros por distar cerca de 3,5km do centro. Não fora o Gps e não chegaríamos lá pois não existe qualquer sinalização e a entrada por terrenos protegidos a ''rede'' jamais nos surgiria de outra forma.
Os mesmos € 20,00 por 24h, incluindo eletricidade, wc, duche e net... e ainda a possibilidade de compra de bilhetes para os transportes para a cidade (linha 6).






Na ponte Vecchio, dois músicos dão vida à mesma...
eis senão quando, convidam o público a imita-los... tocando e cantando deitados no chão da ponte... olhando o céu...



Chegamos ainda a tempo do ''telejornal'' na net já que a ''parabólica'' não nos deu essa ''chance'' por estarmos com uma árvore na sua direção.
O jantar ''a bordo'' e... por hoje nada mais ''a declarar''.
Percorridos: 2.336 Km (Dia 119 Km)
Dia 8 - 17SET11 - Sábado
FLORENÇA (FIRENZE) - S. Gimignano - SIENA
A manhã de novo quente, serviu para descansar na AS e para atualizar minimamente o blog.

Almoço mais cedo que o habitual e a saída por estreita via onde havia que parar para cruzar outras viaturas. Uns 2 km apenas já que após isso entramos numa autovia de mau piso (que saudades das estradas portuguesas) até à rotunda de S. Gimignano, onde uma motoreta com o condutor munido de colete com a palavra ‘’Camper’’ nos convidou a segui-lo até à sua AS (área de Sosta) que dista 1,5 km do casco urbano. Existe uma outra AS a idêntica distância.

Que podíamos estacionar (questionei-o por 3 horas) e a resposta foi de que seriam € 3,00, com transporte gratuito. A pernoita ficaria por € 22,00 (água, descargas, duche, ‘’wireless’’, wc e eletricidade.






Um casal ''janota''



O melhor gelado do mundo!!!






Fizemos a visita que não passou das 2 horas pelo que ao pagar pensei me levariam € 2,00… mas o ‘’funcionário’’ era outro e pediu-me € 6,00/2 horas… não aceitei… como estavam mais pessoas para pagar e não lhe interessava discutir… respondeu ok… são € 3,00… Nestes locais temos de agir como se estivéssemos em Marrocos, mas lá até já sabemos que é assim… há que negociar… discutir… e acaba sempre bem…





o descanso do viajante




Achei interessante toda a envolvência da pequena localidade, contudo, nada que me surpreendesse pela grandiosidade ou beleza monumental e hesitei após meia dúzia de Km volvidos não ter parado para visitar pequena cidade murada que não vem nos cardápios para turista… porventura teria mais pontos de interesse – tratava-se de Monteriggioni – rodeada por espessas muralhas e 14 torreões. Dizem ser a pérola das povoações medievais fortificadas.

Havia que abastecer de combustível a AC. Já na França tive dificuldades em o fazer com cartão de crédito e aqui em Itália, tem acontecido o mesmo, é que como é fim de semana, muitas das estações de serviço funcionam de modo automático. Valeu então a inserção de notas de € para poder avançar.

Em chegados a SIENA, estacionamos num enorme largo destinado a AC (tem apenas wc de dia e descargas). O preço está lá afixado para não haver dúvidas: € 20,00/24 horas… e se for apenas 2 horas, questionei? Paga 24! Manifestei a discordância de tão estúpida medida… ao que me respondeu me faria € 10,00 até às 21h….

Uma autêntica sangria. Nem tem pés nem cabeça… e lá fomos visitar a cidade.

A pé até à estação de comboios onde existe um centro comercial, e daí até ao alto da cidade, seguimos em tapetes e escadas rolantes encosta acima…  mais 1,5 km entramos na Piazza del Campo, que dizem ser uma das maiores Praças Medievais da Europa.










A maior Praça Medieval da Europa?






Fonte Gaia








A imponência do Palazzo Pubblico de estilo gótico, dão ao largo em anfiteatro uma rara beleza.

O edifício concluído em 1.342. A Torre del Mangia – o campanário, com 102 mts de altura – é a segunda torre medieval mais alta de Itália.

Do lado oposto a bela Fonte Gaia que inserida na grandiosidade da Praça fica ofuscada. A fonte é abastecida de água pelo aqueduto construído há mais de 500 anos.

Em chegados ‘’ao nosso bairro’’, pelas 20h., os outros AC ainda não haviam ‘’arribado’’ e as AC estavam ‘’solas’’… sem qualquer ‘’segurança’’… pelo que quem chegar tarde… não paga! Incongruências dos ‘’Toscanos’’!
Percorridos: 2.426 Km (Dia 90 Km)

Dia 9 - 18SET11 - Domingo
SIENA - BOLSENA (Lago) - VITERBO - CAPRÁNICA - ROMA
Hoje o ''Papa'' sou eu!
Havia de repetir uma vez mais a visita efetuada a Roma há 28 anos atrás.
A passagem em Bolsena dá-nos a ideia de estarmos perante uma enorme zona de lazer pois ao longo do enorme lago existem campings fronteiros à água ''portão sim... portão sim!...)
Sendo Domingo havia pressa de chegar a Roma para não me deparar com os habituais engarrafamentos da Capital.






E assim aconteceu.
Levava indicação para ficar em ''camping'' algures fora de Roma, na zona contígua ao hipódromo (dica de italianos em Siena), contudo, chegados ao local, tratava-se de enorme área vedada onde os italianos ''guardam as AC''... aceitavam a nossa estadia a troco de € 20,00 com eletricidade e combóio à porta... Não estavamos para aí virados, pelo que optamos por apontar ao Camping disponível nos 2 gPS que sigo... e ambos me levaram lá após 15 km... ''Camping Village of Roma - um 5*!...
O preço justifica o que se pode fruir... a uns 6 kms do centro, com piscina... eletricidade, restaurante, bons alvéolos e wireless... tudo por € 32,00/dia.
O duche merecido à chegada e o ''Bus 246'' para o ''Metro'', com chegada às portas do Vaticano.
O ''metro'' de carruagens contínuas...
Surpreso com a entrada graciosa mesmo se da visita efetuada anos atrás o interior da Basílica dispunha de boa iluminação o que tornava o interior muitíssimo mais esplendoroso... coisa dos tempos?
Foi ''neste estado'' que voltei a Roma

Logo à saída da Praça, muitas lojas de ''souvenires'' e, ao conversar com um jovem ''comerciante'' do Bangladesh, eis que lhe compro, não um, não dois mas três chapéus... ''Made in Italy'' - um cinza, outro verde e o outro negro - já levo doze na AC... há que proteger a minha ''narigueta''...


Regressados ao nosso bairro ali para as bandas da ''Via Aurélia'', o descanso merecido.
Os meteorologistas já vinham ameaçando com ''alerta amarelo''... e às 3 da matina, a chuva caíu abundantemente e os trovões criaram um certo desassossego na noite.
A acalmia voltou passado uma meia hora e o descanso retomado.
Percorridos: 2.698 Km (Dia 272 Km)
Dia 10 - 19SET11 - 2ª. Feira
R O M A
Amanhecer mais fresco, convidando às extensas caminhadas.
O sol ia rompendo tímidamente em nuvens brancas e menos brancas.
Adquirido bilhete de um dia para todos os transportes de Roma, lá fomos penetrando na cidade, sobretudo nos ''icones turísticos''.



Dizem ser o Melhor Café do Mundo!!!
Muitas e muitos ''pinóquios''
A romântica Fontana di Trevi, um dos mais emblemáticos locais da Itália. 
A Fontana di Trevi - o barroco no seu grande esplendor - , tem 26 metros de altura e 20 de largura. 
Diz a lenda que se deve atirar uma moeda para a fonte para garantir o regresso a Roma, confesso que há 20 e tal anos atrás não o fiz,... mas voltei....  
É um dos locais que não podem deixar de ser visitados na capital Italiana.






Seria fastidioso estar aqui a descrever o que vimos e sentimos. As fotos ''falam por si'' pelo que a net tem carradas de informação sobre a parte histórica das zonas visitadas.
O cansaço haveria de surgir no final da tarde pelo que o regresso foi feito a tempo de ter evitado uma inesperada ''tempestade'' de chuva e trovoada que ocorreu no final de dia.
A ''missão'' ficaria cumprida, pelo que nos resta um breve descanso e preparar um pouco mais de ''descida na bota'' para amanhã-
Enviar um comentário