De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

domingo, outubro 02, 2011

E lá vou eu a caminho da Itália - Dias 11 a 22 FIM


Basílica de Pompeia
Dias 11 a 22 de viagem
Dia 11 – 20SET11 – 3ª. Feira
ROMA – LATINA – FÓRMIA - NÁPOLES – OTTAVIANO – POMPEIA
Quando me dizem que isto ou aquilo é difícil ou complicado, já está em mim… tenho de experimentar, ainda que essa decisão me custe caro. Porque não visitar Nápoles?


A entrada nas terras da Campania
O tempo ajudou pois o céu esteve semi-nublado tornando a viagem agradável.
Campos lavrados
O percurso por estradas nacionais desiludiu já que nada de interessante foi detetado pelo caminho e ainda a registar o piso com imensas mazelas. As praias – muitas – a uns cem km de Nápoles, semi-desertas e as estruturas balneares já encerradas na sua maioria.
Em Nápoles passamos a parte inicial na circular de 2 vias, ‘’minha nossa’’ – tanto lixo – sobretudo nas áreas de ‘’descanso’’… pilhas de lixaria…
A parte final foi cortada a direito por parte do miolo da cidade o que não é nada fácil pois o trânsito é muito, ruas estreitas… viaturas estacionadas ou paradas ‘’à toa’’ e a ‘’loucura das e dos condutores’’ leva a travagens repentinas para não bater.
Lá dizia o ‘’Frei Tomás’’… numa rua onde o cruzamento de viaturas não era nada fácil, levou-me a evitar o ‘’roçar’’ num ligeiro e… ‘’porra pró caraças’’ (termo nortenho)… bati fortemente com o retrovisor do lado do pendura num taipal de obras… de tal forma que os dois espelhos ficaram pendentes pelos fios elétricos… e na paragem feita uns 500 mts adiante ‘’lixado fiquei’’ por constatar que parti os dois… coisas de 3.000 km de viagem.
Ao chegar a Pompeia, apontei o GPS para a 1º. AS para AC, que muito embora o ‘’dito cujo’’ me tenha informado que era ali… nada vi… indo parar a um beco sem saída num bairro tipo social.
Um ‘’local’’ que saída de um largo fronteiro, com ar de ‘’mafioso’’, fez-me sinal para o seguir… afinal as aparências geralmente enganam… segui a criatura que ao passar num estreito portão semi-encerrado me fez sinais de que era ali!...
Era mesmo. Entrei… e um cidadão em cadeira de rodas deu-me as boas-vindas e a bordo da sua cadeira foi-me ajudando a passar a entrada para um simpático quintal onde já estavam quatro AC Italianas.


A 300 mts do cento da nova Pompeia e da estação de comboios de via reduzida para Nápoles. Perfeito.
A informação do que haveria para ver. Agendada para amanhã a saída às 7,30h (8,30h de Itália) para a visita ao local da erupção do VESÚVIO que 79 a.c. destruiu e matou a população de Pompeia e que havia sido precedido por demolidor tremor de terra.
Uma volta de reconhecimento ao novo centro da Nova Pompeia, e visita à Basílica de Nossa Senhora do Rosário e ao seu Campanário. Pena estarem os tetos em fase de restauro… mas existem já partes restauradas que apreciamos.
Pernoita: € 18,00 c/eletricidade.
Percorridos: 2.978 Km (Dia 280 Km)
Dia 12 – 21SET11 – 4ª. Feira
POMPEIA – cratera do VESÚVIO – NÁPOLES – POMPEIA
A manhã começou cedo.
Às 7,30h, eis que chega uma ‘’navette’’ do Parque Nacional do Vesúvio para nos levar até à entrada do Parque.

Aí chegados embarcamos em ‘’hunimogs’’ Mercêdes para a subida através dos 1200 mts de lavas do extinto vulcão Vesúvio.
Logo no final da abundante vegetação a visão sobre Pompeia e Sorrento surge


Preterimos a visita às ruínas a Pompeia pela visita àquele que após um violento tremor de terra, cilindrou e destruiu completamente a cidade de Pompeia.
Os primeiros kilómetros por entre diversa vegetação e na parte final por pistas de lava até cerca dos 1.000 mts de altitude.
A tal Nápoles do lixo... e da ''Camorra''! Mais logo, irei lá...
Defronte a ''nova Pompeia'', lá ao fundo no topo... Sorrento.
tudo isto é ''lava''...
A cratera do vulcão VESÚVIO que destruiu Pompeia.
Nápoles
Calor... frescura... lá no alto dos 1.200 mts de cratera...

Vista do Google mAPS
O ''protagonista''!!!
Nápoles 
à pé subimos até à mais importante ‘’chaminé’’ com  vistas soberbas para toda a costa até Sorrento à esquerda e Nápoles… à direita.
No regresso arribamos à Estação de caminhos de ferro vizinha das ruínas de Pompeia e ao lado do Camping Zeus onde estacionou simpático casal de franceses de Poitiers com quem trocamos impressões na visita ao Vesúvio.
Almoçamos na pizaria da estação (existem duas em Pompeia) de via reduzida, uma espécie de metro suburbano e aguardamos a chegada do referido casal para a visita conjunta de Nápoles.
O Pato que sorri ao cão...
Todos nos diziam para não transportar ‘’à vista’’ ouro, relógios e máquinas fotográficas ‘’caras’’… pois a máfia/camorra  napolitana nos atacaria…
Ruela de Nápoles
Muitas peixarias nas vielas... 


Lixo... muito LIXO
Assim se ''passa pelas brasas'' em Nápoles.
''No comments''!
Despreocupadamente fomos lentamente passando nas estreitas vielas onde a inquietação maior sentida eram as monstruosas lixeiras…


Saquei da ‘’Nokia’’ mas… no posto de turismo a meio do percurso, fui uma vez mais alertado para o perigo de roubo…



Francamente, aceitei de novo o alerta mas de concreto não senti qualquer ameaça.
Os ''Carabinieri'' passam em grupos de 3!



No final do dia o regresso na outra linha de combóio (tipo metro) que nos trouxe até Pompeia (Basílica).





Impressionante ver esta cena numa cidade europeia
Um dia mais de muito calor e muito vento no cume do vesúvio.

Nem o adro da igreja escapa...





O casal francês ainda nos desafiou para no dia seguinte de novo de combóio seguirmos a distância até Sorrento, e aí tomar o ‘’ferry’’ até à Ilha de Capri. Achamos a ideia genial, mas… o regresso não nos dava muitas hipóteses para mais devaneios.
No regresso de combóio, fomos rodeando a cratera do Vesúvio
O Veneno está no copo de água!
Amanhã reiniciaremos o regresso.
Dia 13 – 22SET11 – 5ª. Feira
O INÍCIO DO REGRESSO
POMPEIA – FORMIA – ROMA – NEPI – BORGHETTO – NARNI – TERNI – SPOLETO

A viagem de hoje, nada de novo nos traria pois até Roma traçamos o mesmo percurso da vinda, salvo a saída de Pompeia que para evitar Nápoles seguimos 30 km de Autoestrada.


Em Fórmia (cidade onde almoçamos na descida de Itália), fizemos um compasso de espera pois sendo uma cidade de aquartelamentos navais, teriam havido cerimónias politico-militares e as viaturas de pirilampo azul iam empacotando o trânsito.
Roma foi passada na circular já nossa conhecida e após isso, seguimos percurso de interior, por algumas estradas de via rápida mas todas elas imensamente remendadas.
Quando a noite chegou, decidimos infletir para SPOLETO. Pequena cidade onde nos dirigimos para a AS para AC. Com cerca de 40.000 hab., atrai pelos monumentos que são comuns em qualquer pequena cidade Italiana.
Noite calma e silenciosa.
Percorridos: 3.399 Km (Dia 421 Km)
Dia 14 – 23SET11 – 6ª. Feira
SPOLETO – TREVI – FOLIGNO – ASSIS - SANSEPULCRO - BAGNO DI ROMAGNIA - REPÚBLICA DE SAN MARINO
o ''FUNICULAR'' de San Marino
Inicialmente a ideia era ‘’trepar’’ até Turim. Mas quem viaja ‘’de casa às costas’’ a cada momento, se lhe der na real gana, muda a agulha e altera o previsto.
Assim fizemos… primeiro decidimos visitar ASSIS.
Sempre a mesma parafernália de Parques de estacionamento. O destinado a AC ficava lá no fundo e custava €2,00/hora… estava semi-desertico.


Vista panoâmica do alto de Assis
Cidade Património Mundial


Chiese - Sta Chiara
Voltamos para tràs, subindo de novo e ao passar num dos Parques centrais, interdito a AC, o ‘’portageiro’’ como o dia estava fraco, fez-nos sinal para entrar.







Fez-se a visita a meia dúzia de igrejas terminando o périplo na mais procurada – a igreja dupla – de Francisco de Assis…



As igrejas do ''santo'' Francisco de Assis





Surpresa ou não, não dispendemos ‘’um tostão’’ em todas elas pois a ‘’esmola’’ ali compete aos ‘’crentes’’ não ‘’aos contribuintes’’, digo eu…

O ''Santo'' estará aqui.





Prosseguindo, parecia ali ao lado a República de S. Marino, mas… a meia centena de kilómetros finais deram-nos água pela barba pois havia várias alternativas de acesso e todas elas de percurso estreito, de curvas e contra-curvas e de subidas e descidas acentuadas.

muitos campos de Tabaco
Mesmo se a época já começa a decair, os preços dos estacionamentos são idênticos aos de época alta. Estacionamos no ‘’Parque 10’’ destinado às AC e fizemos a visita. Claro que os turistas são sempre muitos.
Um sobe e desce até San Marino
Para não sobrecarregar a carteira em tempo de crise, decidimos descer um pouco abaixo do ‘’funicular’’ e então aí no Parque gratuito fizemos companhia a meia dúzia de AC. 
Mais um Património Mundial? Não sabia... surpreso...
San Marino - vista do alto... metade da foto já é Itália








Uma boa alternativa com 4 parques térreos e AS para AC a preço zero.
A subida no funicular ronda os € 2,50/ida.
Percorridos: 3.654 Km (Dia: 255 Km)


Dia 15 - 24SET11 - Sábado

REPÚBLICA DE SAN MARINO – PLACENZA – PAVIA – TURIM (TORINO)

Demos instruções aos dois Gps para nos guiarem para a Autoestrada, mas… como a dita apenas segue para Rimini, fizeram ‘’um corte’’ de 20 sinuosos kilómetros até que a mesma surgiu após Rimini.


Impressionante ver os campos lavrados, mesmo os que estão em declive

Pelo caminho havia muitas cidades a visitar, mas como Roma e Pavia não se fizeram num dia… saímos em Placenza para ir a Pavia!
Pavia

Aí chegados vimos que a distância até Turim era ainda longa pelo que paramos já à saída para almoço e entramos de novo na Autoestrada.

Castigo divino ou não, eis que entramos erradamente na AE em direção a Milão… reposta a trajetória correta tivemos de retornar uma vintena de Km precisamente em Pavia.



Nas AE as placas a anunciar Area de Serviço de combustíveis, assinalam também se tem AS para AC
Foram 40 km para ‘’o boneco’’… mas lá chegamos a Turim tendo a AE custado uns € 25,00.

Em Turim, chegados ao centro, escolhemos nos Gps ‘’Camping’’… os dois diziam que eram apenas 2km até lá, só que não tendo ‘’virado’’ na altura certa nem a placa de camping discretamente colocada se nos foi dada a ver  e… foi um meter em  ‘’quelhas’’ e ‘’becos’’ só parando quando entrei num ‘’sem saída’’.

Valeu a ajuda ‘’dos locais’’ que se compreendem com alguma dificuldade mas… sempre ouvi dizer que quem tem boca ‘’vai a Roma’’ por isso lá descobrimos que o acesso é tão complicado que só mesmo quem sabe…

uma referência para chegar ao Camping

Lá chegados vimos que os WC são do tempo dos Romanos pois estão velhos e caducos… pena pois o local sobranceiro à cidade tem todas as condições para servir melhor… bastaria umas obritas nas instalações sanitárias. O preço, claro não condiz mas… é o único da enorme cidade de mais de um milhão de habitantes.

Como positivo – net grátis na AC – eletricidade incluída.

Apontada a ‘’parabólica’’ para o ‘’Hispassat’’ lá descemos a calçada para uma primeira visita ao Centro Histórico.
nos semáforos... os jovens ''sacam'' uns tostões com as habilidades












Um campanário no telhado dum prédio...


Casamento de ''Principes''?









Muitas zonas verdes e muita gente a praticar desporto.


Chegamos até ao ‘’Sudário de Turim’’ que de Cristo está provado nada tem… mas lá continua como o sendo!
O ''sudário'' que pelos vistos é uma pintura bem posterior
Mais adiante, a ‘’Mole Antonelliana’’ – Uma excêntrica construção, equivalente à torre Eiffel que serve como ponto de referência urbano. Em 1954 foi atingida por um raio que destruiu 47mt mas que entretanto foram reconstruídos.
Molle Antonelliana
O edifício tem 157 mts de altura, concebido por Alessandro Antonelli (1798/1888) como uma sinagoga, após a sua conclusão em 1897, foi ocupado pelo Museu do Resorgimento. Na altura da sua inauguração, era o edifício mais alto do mundo. Alberga atualmente o Museu do Cinema.
Paineis nas ''fachadas mortas''

Percorridos: 4.154 Km (Dia 500 Km)

Dia 16 - 25SET11 – Domingo

TURIM – SUSA

Na  parte da manhã fizemos  a saída, tendo seguido em direção da AS de AC de Turim pois não justificava pagar € 27,00 num camping de 1 *…

A AS dista 4 km do Centro histórico pelo que sendo Domingo apostamos em seguir para o centro e procurar um Parque ainda que pago para podermos completar a visita.
Uma preciosidade ''estacionada'' se calhar para sempre!

Descobrimos amplo parque ‘’pago’’ que dada uma olhada às poucas viaturas estacionadas nos levou a pensar que ao Domingo não fiscalizam o pagamento. Ficamos a 600 mts do Museu Egípcio que o amigo Autocaravanista João Morgado me havia aconselhado visitar.





Percorremos mais uma boa parte do enorme Centro histórico, ‘’almoço volante’’ – uma kebab de vitelo com salada – e abandonamos a calma cidade em dia de descanso para os locais.

No Museu Egípcio...

Múmia!
























Na passagem em SUSA, não resistimos a fazer uma visita até porque decorria uma Feira de temas variados, produtos locais, animais do campo, e outros entretenimentos.
Vista geral de SUSA

SUSA

SUSA – Uma bonita estância de montanha que se desenvolveu no tempo dos Romanos.




O Arco de Augusto, construído no séc VIII a.C., celebra a aliança entre os Gauleses e o Imperador Augusto. 

Os outros monumentos incluem dois arcos de antigo aqueduto, ruinas de um anfiteatro e vestígios de antigas muralhas.






Tás tramado... a barriguita!!!...



A imponente Porta Savoia, construída pelos Romanos, data do séc. IV e foi remodelada na idade média.










Preciosidade ativa








O Teatro de ''Fantoches'' adaptados aos novos tempos... lindo...

O centro histórico maioritariamente é Medieval, e o Duomo (catedral) do séc. XIX.

Acabamos por ficar para pernoitar na magnífica AS para AC, dotada de acesso à eletricidade graciosa.

A AS de SUSA
Dia 17 - 26SET11 – 2ª. Feira 
 SUSA (Itália) – Col de Montgenéve (França) – BRIANÇON – GAP 
SUSA à saída.
Deixamos a simpática e bonita localidade iniciando a subida sinuosa dos Alpes até ao alto de Montgenéve em França.















Savines-Le-Lac










Nesta estância de inverno visitamos a AS para AC (paga) para cerca de 250 AC, que contudo neste momento se encontra ‘’devoluta’’ pois mais central existe um grande parque de estacionamento também ele ‘’pago’’ mas neste momento no painel eletrónico surge mensagem a avisar que é gratuito. Avançamos sem parar nos pórticos, o que valeu o comentário de dois portugueses que trabalham nesta cidade: ‘’olha os nossos conterrâneos’’ sabem bem que não é necessário parar’’ pois verifica-se que a recente medida ainda não foi digerida pelos ‘’nativos’’ que param e esperam pelo ‘’ticket’’. Isto foi-nos dito minutos após pelos dois compatriotas orgulhosos da nossa destreza… 
Há sempre quem teime em fazer a ''sesta'' sentado... a tombalear para o lado...
Duas de conversa e a visita à parte antiga. Esta região merecerá nova visita pela beleza das suas localidades e serranias. 

Prosseguimos não sem antes haver ‘’dado banho’’ à ‘’africana 2’’ que já estava crivada de óleos, mosquitos e lamas… Paragem num belo local já contendo várias AC, nas margens do enorme lago Savines-le-Lac. 
De novo a caminho, paragem para pernoita em GAP, cidade que não nos mostrou património de registo. 




Como o dia foi de acalmia, não avançamos muito no mapa mas o descanso também faz parte da viagem. 
GAP
O passeio noturno serviu para descongestionar as gorduras. 
Percorridos: 4.388 Km (Dia 160 Km) 
Dia 18 - 27SET11 – 3ª. Feira 
 GAP – Sederon – Sault – Mormoiron – Carpentras – AVIGNON (Avinhão) – NÎMES – MONTPELLIER – Gignac – Montagnac – Pézenas – Béziers – NARBONNE 
Mais um dia de sol e por isso quente. 


Demos ‘’rédea solta’’ aos dois Gps que foram unânimes em nos desviar da estrada principal, para cortar a direito por estradas mais que tortas… mas ao mesmo tempo, belas… 
Escarpas... na oblíqua... ufff
 



Não tenho dúvidas de que a esmagadora maioria dos Franceses, nunca passou por estas bandas… Estradas estreitas, em terrenos de escarpas acentuadas… ou melhor, uma zona de ‘’Gargantas’’ que tornam a viagem cansativa mas inebriam o olhar. Basta dizer que os primeiros 100 km foram percorridos nada mais nada menos que em 3 horas! 
Passamos por enormes pomares com lindas maçãs
À chegada a Avinhão (Avignon), havia que fazer a visita já que imagino ser a primeira vez que aqui passo. Cidade muralhada tendo imensos parques de estacionamento em redor da mesma, mas, estranhamente nada para AC. 


Podia ser eu... mas não sou !...
Atravessamos a ponte do Rhone e do outro lado ao pé do Camping ‘’Bagatele’’ lá conseguimos um lugar à sombra e gratuito. 



custa pouco - um exemplo a seguir


Uma manifestação de deficientes motores


Lindo...
Mairie














Na cidade uma vez mais se ouviu falar a nossa língua… já sabia que por aqui trabalhavam muitos portugueses. 
Sim. Para caminhar na ''meia''  ponte... € 4,50!!!

Feita a visita à parte histórica, terminamos para subir à ponte de Avinhão (parte dela já que a outra parte foi destruída)… mas… para caminhar na ponte havia que pagar ‘’portagem’’ de € 4,50!!! É claro que manda a decência e a ‘’troika’’, não podia desperdiçar os poucos euros desta forma… ficam as fotos… deste modo, gastei menos solas das sandálias…
De Montpellier a Béziers percorremos uma boa via rápida que não conhecíamos por nas passagens na zona preveligiarmos as localidades junto ao mar mas é uma boa alternativa a quem quer fugir do tráfego do litoral. 
No final de dia escolhemos a AS de Narbonne (existem outras nas praias). Esta AS é automática. Colhe-se o cartão magnético que serve para pagar o autocarro até ao centro e volta. Eletricidade incluída. 
No dia da saída, após inserir o cartão na máquina, paga-se com cartão de crédito ao € 9,00 (24 horas).
Uma volta pedestre noturna, onde estranhamente no centro da cidade assisti a uma discussão em português… eram três homens ‘’drogados’’… 



Percorridos: 4.783 Km (Dia 395 Km) 
Dia 19 – 28SET11 – 4ª. Feira 
NARBONNE – PERPIGNAN – Prades – BOURG-MADAME – (França) – PAS DE LA CASA (Andorra) – ANDORRA LA VELLA 
Bourg-Madame
Desta vez, contrariei a tendência dos Gps para ‘’cortar a direito’’ por não conhecer o estado das estradas. 
A estrada do lado Fraancês às portas de aNDORRA
Optei por seguir até Perpignan, e daí aproveitar umas boas dúzias de km de via rápida e seguir até uma cidade ‘’encravada’’ na fronteira espanhola de nome Bourg-Madame e daí iniciar as subidas até Pas de La Casa em Andorra. 


Em Pas de La Casa a paragem para descongestionar as pernas e de novo o retomar, subindo a encosta e descendo de novo até Encamp onde conta uma AS para AC. Lá chegados vimos que era uma pequena mas muito acentuada rampa para uns parques já ocupados por ‘’coches’’ e nem subimos… continuamos até ao Camping Valira já nosso conhecido para o retemperador duche… tudo… por € 27,00! 
A visita às lojas comerciais onde já não me iludo pois os preços não são muito diferentes dos nossos. 


Alguém interessado?

Percorridos: 5.032 Km (Dia 249 km) 
Dia 20 – 29SET11 – 5ª Feira 
ANDORRA LA VELLA – PONTS - LÉRIDA Lleida) – FRAGA – BUJARALOZ 
Que se passa com a meteorologia nestes vinte dias de viagem? É como se fora verão! Espantoso. 
De manhã, as tarefas habituais de manutenção ‘’da nave’’ e o percorrer dos 8 km até ao ‘’River’’ (supermercado de Andorra) para abastecimento futuro. À chegada, claro, com o ‘’cartão de cliente’’ reduzimos o preço do gasóleo dos € 1,10 para € 1,045/lt ou seja um desconto de 5%... só no final questionei porque não 7%? Sempre a aprender… é que os 7% seriam obtidos com o talão de compras superiores a € 50,00… já esquecera… ficaria por cerca de € 1,00/lt!... 
Lá fomos às compras… as diferenças não são assim tão grandes em muitos produtos… há que estar atento… no tabaco e nas bebidas… aí sim… até vimos cerveja portuguesa mais barata que em Portugal. 
No enorme Parque de estacionamento do ‘’River’’, metade dele estava agora reservado para AC, com direito a AS… e ‘’wireless’’… claro que os clientes que mais ‘’carregam’’ os ‘’coches’’ são os autocaravanistas… 
De novo a caminho, percorremos de Lérida a Fraga a Autovia grátis onde os ‘’TIR’’ eram mais que as mães… 

Não queríamos fazer muitos km, pelo que a paragem na pequena localidade de Bujaraloz que é cruzada por camiões a todo o minuto, deu para escolhermos um largo sossegado junto ao casario protegido pelo passar estridente do tráfego. 


Bujaraloz






Percorridos: 5.259 Km (Dia 227 Km) 
Dia 21 – 30SET11 – 6ª. Feira 
BUJARALOZ – ZARAGOÇA – TARAZONA – SÓRIA – Calatañazor – El Burgo de Osma – Aranda de Duero – Peñafiel – VALLADOLID
Avançamos manhã cedo em direção a Sória. Claro que tivemos de meter na ordem os Gps pois a exemplo do que fizeram em Julho passado, apontavam o regresso pela via rápida de Madrid... contudo, conhecendo o bom estado das estradas que de Saragoça nos levam a Sória por Tarazona, por lá seguimos.

Tarazona está-nos na memória por ter sido lá que aguardamos pelos nossos amigos Glória e Durães que como nós a caminho da Expo de Zaragoça haviam ficado para trás... acontece que o largo onde na altura almoçamos, estava ''cercado'' e o acesso vedado, sabe-se lá porquê...
Passada Sória sem que deixássemos estória... paramos para visita numa pequena aldeia digna de visita (que visito pela 3ª. vez), que é uma original aldeia, cheia de história, - CALATANAZOR.
Calatanazor



Calatañazor um municipio de Espanha na provincia de Sória, comunidade autónoma de Castela e Leão, com uma população que ronda as 60 pessoas. Visita que recomendo pela quietude da aldeia e beleza das centenárias ruelas.
Uma paragem nas monótonas estradas, que funciona como um ''oásis'' retemperador.


Chaminé de Calatanazor



Calatanazor
Rua principal de Calatanazor
Catedral de Calatanazor
Entrada para quintal em Calatanazor

Castelo de Calatanazor


O mesmo aconteceu passados uns km's, visitando El Burgo de Osma. 
El Burgo de Osma
Cidade interessante e monumental.










Daí, foi dar-lhe até à prevista paragem na AS para AC bem no centro de Valladolid.
Uma volta pedestre para descontrair, e as notícias via satélite antes da deita.
Percorridos: 5.707 Km (Dia 448 Km)
Dia 22 - 1.OUT.11 - Sábado
VALLADOLID - Tordesilhas - Benavente - Verin (Espanha) - Chaves (PT) - Boticas - Salto - BRAGA
Mais uma manhã soalheira e quente. Saída de Valladolid com a intenção de ''fazer uma direta'' pois o percurso a percorrer já o fazemos de olhos fechados.
Logo à entrada da Via Rápida (Scut) que nos leva a circundar Tordesilhas e Benavente, é um ''sempre a aviar'' até Chaves. 
São 300 km de boas vias onde tive de usar as tecnologias ao dispor nesta ''Africana 2'', ou seja... acelerei até aos 110 Km/h, após introduzir a 6ª. Velocidade e em seguida liguei o ''cruise control'', o que me fez descansar as pernas e pés...
Claro que o consumo de toda a viagem  que rondava os 8,9 lts/100, subiu para 11,50!... mas... em Chaves havia de fazer greve às ''Brisas e Brisinhas'' e o consumo decaiu bastante, fazendo o percurso inabitual que os Gps me recomendavam, ou seja de Chaves não passar em Pisões mas optar pelo percurso Boticas/Salto... menos uns 6 km mas que deu para ''mudar de cenário'' passando no miolo das ''Terras de Barroso'', onde a gastronomia é de ''arrebenta''!!
E desta forma, demos por terminada a viagem a Itália 2011, com a ideia de voltar de novo pois ficou ainda muito por desbravar.
Percorridos: 6.137 Km (Dia 430 Km)


PONTOS POSITIVOS DA VIAGEM
- O Sol e calor. Ausência praticamente de chuva para lá de Chaves;
- O conhecer novas paragens na Itália e França;
- O custo dos géneros alimentícios nalguns casos até mais em conta que em Portugal;
- A imensidão de Património Cultural Italiano.
PONTOS NEGATIVOS DA VIAGEM
- Preço dos Combustíveis Super caro na Itália - Gasóleo entre € 1,42 e € 1,65!;
- Preço das ''áreas de sosta'' - caros para o serviço prestado (entre € 17,00 a € 25,00);
- Condução ''endiabrada'' das e dos condutores Italianos (avançar nos stop's, traços contínuos,        etc.;
- Preço da visita a monumentos caros - ex. subir à torre de Pavia (€ 15,00!);
- Vias rápidas em Itália com o alcatrão super remendado;


Dias 1 a 10 - CLICAR AQUI


Enviar um comentário