De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

segunda-feira, agosto 29, 2011

Alentejo - O regresso - Parte 3

Dia 6 – 29.AGO.11 – 2a. Feira
REDONDO - Orvalhos - Hortinhas - TERENA - Alandroal - VILA VIÇOSA - BORBA - ESTREMOZ - Cortiço - SOUSEL - Cano - Ervedal - AVIS - Galveias - PONTE DE SÔR - Gavião - BELVER - Mação - ABRANTES
A meio da manhã, decidido visitar o Museu do Vinho do Redondo. Gorada a visita já que a exemplo dos Museus Nacionais, 2ª. Feira é dia de descanso... ficará para nova visita.
Decidi entretanto arriscar um percurso de ida e volta para visitar um monumento nacional de especial relevo. Os meus parceiros preferiram rumar a norte para Vila Viçosa.
Nos entretantos terá surgido uma viatura camarária com duas jovens que indagaram os meus cúmplices de viagem se sabiam da existência da AS para AC no Redondo... que sim, estivemos lá na véspera... simpática esta atitude da autarquia. E lá ''desci'' a Orvalhos e voltei a subir por Hortinhas, terrinhas onde fora eu cristo não havia ainda passado...
Finalmente TERENA, que dada a sua pequenez detém Património de sobra... igrejas, castelo... e a cerca de 1 Km no meio dos campos a igreja acastelada de Nossa Senhora da Boa Nova.
No Largo da Igreja, uma casa alentejana onde à sombra de 3 palmeiras conversavam pessoas de várias idades da mesma família.
Tratava-se dos ''guardadores'' do templo que de imediato se predispuseram a facultar-me a entrada.
Monumento que há muito me cirandava a mioleira pelo seu valor histórico e patrimonial.
''D. Maria pediu o auxílio de seu pai, rei de Portugal, para conter a invasão, pelo imperador de Marrocos, das terras onde reinava o marido, rei de Castela. A aliança fez-se e a boa nova sobre a vitória levou a filha de Afonso IV a mandar fazer o templo.
1340 Edificação por ordem de D. Maria - 1543 Elaboração do retábulo - 1700 construção do atual campanário - 1910 Considerada edifício protegido e de interesse público '' 

Uma converseta de meia hora com os locais que me agrada de sobremaneira.
Prossegui, voltando a passar nos escavados terrenos de Vila Viçosa de onde saem toneladas de mármore e a imensidão de vinhedos de Borba.
Em Estremoz estacionei no enorme largo fronteiro ao Museu onde já estavam os meus ''sócios de viagem''.
O almoço ocorreu numa casinha de pasto adjacente. Traçamos o percurso de modo a passar Sousel, mas... coisas do Alentejo, anunciavam ''desvio'' que volvidos uns kms nos levavam a ''lado nenhum''... fomos parar ao Cortiço, volta desnecessária, Cano e Ervedal com paragem e visita de Avis!
Tempo apropriado para o norte alentejano, quente da época.
Em Ponte de Sôr, fruirmos do arranjo de toda a zona ribeirinha da ribeira de Sôr que aplaudimos.


Daí subimos a Gavião para após e já na ponte sobre o Tejo apreciar BELVER e a deliciosa paisagem do seu Castelo lá no alto e cá no fundo as abundantes águas do Rio Tejo.
A ideia seria prosseguir até Mação onde haviam anunciado AS para AC que visitamos após percorrer uma boa estrada mas sinuosa e cansativa. A terrinha coitada não nos ofereceu nada de registo em troca pelo que apontamos os azimutes para a AS de Abrantes. 
Aí permanecemos junto à ''Aquapolis'' que deu nova vida à margem do Rio Tejo, ou melhor, acrescentaram um imenso areal que torna o local uma praia apetecível de interior.


A AS para AC é funcional e bem situada, mas um pouco isolada para pernoita.
Como havia de revisitarmos a urbe, subimos até ao parque de estacionamento ''do tribunal'' onde a pernoita é calma e citadina e existem mesmo dois locais destinados a AC.
A visita ao simpático centro histórico, xixi... net e... cama...
Percorridos: 735 Km (Dia 230,5)