De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

quinta-feira, junho 30, 2011

Viagem à Rússia - Parte 2

Dia 6 - 13 Junho 11 (Seg.)  

St Petersbourg
(St Petersburg - St Petersburgo - Ex-Leningrado)
Uma ótima ideia a viagem comboio de Moscovo para S. Petesburgo durante a noite... 

São Petersburgo (Санкт-Петербу́рг, Sankt-Peterburg em russo) é uma cidade federal da Rússia localizada nas margens do rio Neva, na entrada do Golfo da Finlândia, no Mar Báltico. Os outros nomes da cidade eram Petrogrado (Петрогра́д,1914-1924) e Leningrado (Ленингра́д, 1924/1991). É frequentemente chamada de, somente, Petersburgo (Петербу́рг) e informalmente conhecida como Piter (Пи́тер).
Fundada pelo Kzar Pedro, o Grande em 27 de Maio de 1703, serviu de capital do Império Russo por mais de duzentos anos (1713-1728 e 1732-1918). São Petersburgo deixou de ser a capital em 1918, após a Revolução Russa  de 1917.É a segunda maior cidade da Rússia e a quarta da Europa (em território) atrás de Moscovo, Londres e Paris. A cidade possui 4,6 milhões de habitantes e mais de 6 milhões de pessoas vivem nas cercanias. São Petersburgo é um dos maiores centros culturais da Europa e um importante  porto russo no Mar Báltico.

São Petersburgo é frequentemente descrita como a maior cidade do Oeste Europeu Russo. Entre as cidades do mundo com mais de um milhão de pessoas, São Petersburgo é a que está mais a Norte. O centro histórico da cidade e o grupo de monumentos constituem Património Mundial da UNESCO. Centro político e cultural russo por 200 anos, a cidade é muitas vezes referida na Rússia como a capital do norte. Um grande número de consulados estrangeiros, corporações internacionais, bancos e outros negócios estão situados em São Petersburgo.
Inacreditável, quando Pedro, o Grande, construiu esta cidade num pântano. Mas a história tem mostrado que o pensamento avançado do Czar evoluiu de e o espaço pantanoso deu lugar a uma cidade moderna Europeia, ao contrário de Moscovo, com os tijolos vermelhos e cúpulas de cebola, a rede de canais de São Petersburgo e a arquitetura barroca e neoclássica dão à cidade um sabor europeu, sem dúvida, porque foi construída por arquitetos italianos. Mesmo os moradores de São Petersburgo imaginam-se "europeus" e de alguma forma um pouco mais sofisticados do que os seus compatriotas mais orientais.
São Petersburgo foi sempre uma cidade de ideias. 
Petersburgers incitaram a Revolução Russa, que se consolidou em 70 anos de regime comunista e foi São Petersburgo, que incentivou a democracia quando a maré começou a mudar.
Hoje em dia, os cidadãos desta cidade vão quebrando as barreiras 


de gerações passadas e exploraram novas ideias, investigando as
possibilidades de criatividade do consumismo, e da carreira. Não 


é só arquitetura Rastrelli e óperas de Tchaikovsky, que seduzem 


os visitantes, mas também bandas beatnik, galerias de arte edgy, 


clubes underground e refeições deliciosas. O lado St Pete boemio 


dá um vislumbre do século 21, e (para usar um slogan comunista) o 


futuro é brilhante!
São Petersburgo é lendária pelas suas noites brancas: aqueles 


longos dias de verão quando o sol mal mergulha abaixo do horizonte. 


fenómeno começa em Maio, quando na cidade finalmente surge a 


primavera e os parques estão cheios de árvores floridas.
a paisagem próxima da chegada
Pelas 8 horas da manhã, alguém batia levemente na porta do ''quarto ferroviário''... chuva não era certamente, porque a chuva não bate assim... Como nada diziam, só abri a porta à quarta ''batidela''... era um zeloso e bem fardado funcionário com o pequeno almoço numa bandeja... 
Foi este o ''despertar''.
Chegada a St Petersbourg pelas 8,30h da manhã.
Logo que a composição ficou imobilizada no cais, em todas as portas do combóio funcionárias (os) rigorosamente vestidos, ajudavam os passageiros a saír e saúdavam-nos... em ''russo'' claro...
Ainda no cais, a ''guia'' esperava-nos para dar inicio à visita guiada da cidade fundada por Pedro o Grande em 1703 e unanimemente considerada uma das mais belas e ricas do mundo. 

A igreja do Sangue Derramado... Linda.

Igreja do Sangue Derramado
Igreja do Sangue Derramado
A Catedral de St Isaac






Em breve surgirá no seu interior um Centro Comercial
Hermitage, claro...
Colunas Rostral
 Situadas em frente ao Museu Naval, as duas imponentes Colunas Rostral cor de tijolo foram concebidas como faróis em 1810. No Séc XIX, os candeeiros  a petróleo foram substituidos por tochas a gás, que ainda hoje são ligadas em situações especiais, como o Dia da Marinha.
Seguindo o costume romano, as colunas estão decoradas com proas de navios a comemorar vitórias navais. As figuras monumentais em redor da base, representam quatro dos grandes rios russos: Neva, Volga, Dniepre e Volkhov.

 Seguiu-se a entrada na ilha onde se situa a Fortaleza de Pedro e Paulo cujo interior visitamos.
A ilha fortaleza de Pedro e Paulo
Catedral de Pedro e Paulo
A fortaleza de Pedro e Paulo (em russo: Петропа́вловская кре́пость) é a cidadela original de St Petersburgo - Rússia. 
Vai uma foto comigo?

Ei-lo o PEDRO, O GRANDE

Tetos soberbos




A portinhola para o ''púlpito''...
Desenhada por Domenico Trezzini e fundada em 1703. 
A fortaleza contém diferentes edifícios memoráveis, entre eles a Catedral de Pedro e Paulo, onde estão enterrados os czares desde Pedro, o Grande a Nicolau II e sua família. 
O almoço ocorreu no Restaurante de uma ''Fábrica'' de cerveja. 
No final do almoço, transporte para o Hotel Stony Island (www.stonyisland.ru).
Um pequeno hotel de 3*, aceitável, com bom serviço. O único não é que as refeições agradáveis, eram servidas no ''Pub'' sendo que o ambiente não era o melhor.
Com a tarde livre, rumamos de Metro ao centro citadino.

Na ''zona chique'' da Urbe

Catedral de N S de Kazan
 Percorremos a principal avenida central de nome Nevskiy Prospect e entramos na Catedral de Nossa Senhora de Kazan cuja colunata foi inspirada na de Bernini da Basílica de S. Pedro em Roma.

Já nossas conhecidas de Moscovo... também aqui... junto ao Hermitage
A enorme Praça - lado oposto do Hermitage
Os ''barcos rápidos'' que atravessam os canais

Os grandes barcos de cruzeiros acostam no centro da cidade vindos do Mar Báltico

Dia 7 - 14 Junho 11 (Ter.)   

 ST PETERSBOURG

Museu Hermitage
Após o pequeno almoço no hotel, partida para a visita ao Museu Hermitage, um dos mais prestigiados museus do mundo, que ocupa um grande conjunto de edifícios (incluindo o Palácio de Inverno).
A minha singela homenagem aos que morreram de fome para que hoje possamos ter a possibilidade de admirar as obras que aqueles que nunca de nada se privaram nos transmitiram. Admirei a arte lembrando-me dos anónimos que com o seu sofrimento nos legaram estas jóias.
As imagens farão o relato de pouco do que vi... pintura, escultura... um mundo de ARTE.









Um teto





Um ''chão'' especial




A Madona Litta (c. 1491) de Leonardo da Vinci




um teto








O sacrifício de Abraão - 1635 - Rembrandt



 ''Impressionismo''




''A Dança'' 1910'' de Henrri Matisse



''Dança dos Véus'' - Picasso

Two Sisters (The Meeting)
Picasso ''Dríade''
Music instruments



Mulher nua - Picasso





Uma monstruosidade em Prata... não gostei!

Quem não visitava ''em grupo''... fazia fila à chuva

tetos maravilhosos
Feita a visita ao Hermitage ficou ainda tanto para ver.
A manhã chuvosa não incomodou por estarmos sib o teto do Museu.
Entretanto as nuvens começaram a dissipar-se fizemos o regresso ao centro citadino.
Para quem gosta de viajar de AC, é com alegria que vejo uma ou outra... esta pareceu-me francesa...


Consultamos alguns dos operadores de barco para o imprescindível périplo pelos canais venezianos de St Petersburgo.
Preços vários em função do circuito.
Optamos por um deles quase completo por € 10,00, com o inconveniente da ''guia'' falar única e simplesmente em russo... 
de novo o Hermitage
a praia da ilha da Fortaleza de Pedro e Paulo (célebre pelos mergulhos sob o gêlo)




Uma espécie de Veneza

















 Resto de tarde livre com percursos pedestres citadinos.


rua pedonal



Uma viatura Americana... um espetáculo!






mesmo nas paredes dos edifícios, réplicas de cenas russas





O Metr
Uma estação de Metro fora do comum. Vi idêntica mais contemporânea  em Hong Kong
A composição estaciona de forma a que as suas portas coincidam com as da estação
Publicidade ao IKEA e ao lado o Mac Donalds... sinais dos tempos
Achei curioso... nos prédios e sobre as alturas saem fios duns telhados para outros... telefones?

mesmo próximo do Hotel, ''os melgas'', um carro patrulha e dois ''camiões'' blindados

Nunca tal tinha visto... enormes ''ccaleiros'' protegidos em baixo com rede talvez para não colarem cartazes (Hotel) - mas em toda a cidade.

Dia 8 - 15 Junho 11 (Qua.) 

 ST PETERSBOURG


Pela manhã, partida para visita a Pushkin situado a 25 kms de St Petersbourg. Visita  ao palácio da Catarina onde a sala de Ambar é considerada a 8ª Maravilha do mundo. 

O ''Arco do Triunfo'' é desmontável...
Mesmo se havendo Metro, inúmeros ''elétricos'', ''trolei carros'', mini-bus... etc...

Os verdes prados a caminho de Pushkin
Pushkin
O Palácio de Catarina (em russo: Екатерининский дворец) é um palácio Rococó da Rússia, que serviu de residência de Verão aos Czares. 

Tudo serve para sacar uns rublos...
Fica localizado na cidade de Tsarskoye Selo (Pushkin  durante o periodo soviético), 25 Km a Sudeste de S. Petersburgo. 


A residência teve origem em 1717, quando Catarina I encarregou o o Arquiteto Johann-Friedrich Braunstein  de construir um palácio de Verão para seu prazer. 


Em 1743, a Imperatriz Ana contratou Mikhail Zemtsov e Andrei Kvasov  para expandir o Palácio de Catarina. 
A Imperatriz Isabel, no entanto, achou a residência da sua mãe fora de moda e incómoda, pelo que em Maio de 1756 pediu ao seu arquitecto da Corte, que demolisse a velha estrutura e a substituisse por um edifíco muito maior no estilo Rococó flamejante.  

A construção estendeu-se por quatro anos e no dia 30 de Julho de 1756, o arquitecto apresentou o  novo palácio de 325 de comprimento à Imperatriz, aos seus deslumbrados cortesãos e aos estupefatos embaixadores estrangeiros.
Durante a vida de Isabel, o palácio teve fama pelo seu opolento exterior. 

Foram usados mais de 100 Kgs de ouro para dourar a sofisticada fachada de estuque e numerosas estátuas erguidas no telhado. 
Existiram mesmo rumores de que o telhado do palácio era inteiramente construído em ouro. 
Em frente do palácio foi realizado um grande jardim formal. 

Este era centrado no Pavilhão do Eremitério próximo do lago, desenhado por Zemtsov em 1744, revisto por Rastrelli em 1749 e antigamente coroado por uma escultura dourada representando A Violação de Perséfone
A grande entrada do palácio é flanqueada por duas circunferências massivas, igualmente em estilo Rococó. 
Uma delicada grade em ferro fundido, separa o complexo, da cidade de Tsarskoye Selo.
Calçamos estas proteções em tons de azul... ''um charme''!






O Je!!!



Auto-retrato
os nossos pés...
interiores e exteriores de rara beleza






Os ''fogões de sala''...
A Sala de Âmbar - 8ª. Maravilha do Mundo



Almoço num restaurante local.
Peterhofe
Da parte da tarde, visita ao Peterhofe.

Peterhof (em russo:Петерго́ф - Petergof; originalmente Peterhof, que em alemão significa "Corte/Jardim de Pedro) é um conjunto de palácios e jardins, distribuidos sob as ordens de Pedro, o Grande, e por vezes chamado de "Versailles Russo"

Fica situado nas proximidades de uma cidade de 82.000 habitantes com o mesmo nome, a cerca de trinta quilómetros da antiga capital russa, S. Petersburgo (20 km a Oeste e 6 Km a Sul), com vista para o Golfo da Finlândia, um braço do Mar Báltico. 
A grande cascata

Assim como todo o Centro Histórico de São Petersburgo, o palácio do Peterhof faz parte do Património Mundial da UNESCO.
Conhecida por ter servido de habitação ao fundador da cidade, o Czar Pedro, o
Grande, foi erguida entre os anos de 1714 e 1725.

No entanto, o monarca já planeava construir este magnífico edifício desde 1705, dois anos depois da fundação de S. Petersburgo, a "Cidade de São Pedro".

A maior e mais bonita fonte de todo o parque, A Grande Cascata, prolonga-se por um grande canal, o Canal do Mar, até ao Mar Báltico. 
A grande cascata e o canal para o Golfo da Finlândia
Ao longo dos vários hectares de parque, o Peterhof tem mais de cento e vinte fontes, todas elas de grande beleza e imponência. 
Todo o conjunto merece uma visita atenta, tanto pelo luxo dos interiores como pela magnificência do parque. 

Não há parque ou monumento onde não ''posem'' noivos... impressionante!


Papoilas gigantes... jamais havia visto...






Mesmo em Peterhof há sempre um simpático gatiko que nos ronrona...











As fontes romanas em mármore com duas taças, inspiradas na da Praça de S.Pedro em Roma



a casa dos pássaros

O Golfo da Finlândia que liga ao Mar Báltico




À saída, a chuva surgiu, já de volta no autocarro...
Imensas zonas verdes

Bairros residênciais na periferia de S Petersburgo
Construções contemporâneas





No final do jantar, uma ''voltinha'' nos quarteirões próximos do hotel.

Lá, como cá... os jovens comportam-se deste modo...
Curioso ou não, vi muitas pinturas murais, mas... apenas a nível dos telhados de prédios baixos e altos... 
Dia 9 - 16 Junho 11 (Qui.) 
 ST PETERSBOURG – ZURICK - LISBOA - PALMELA
a caminho do aeroporto
Uma longa etape nos espera. Saída do Hotel às 11,30h da manhã com destino ao Aeroporto.
O Hall de entrada... muito pequeno e modesto...
Aí chegados, logo à entrada, um controlo policial de pessoas e bagagens...
para matar o tempo, foto de poster com o ''largo de concertos e eventos oficiais'' fronteiro ao Hermitage
Panorâmica de St Petesbougo noutro poster
O ''cheque-in'' e antes de entrar para a aeronave, nova ''revista'' desta vez com a obrigatoriedade de passagem dos sapatos pelo raio-x...
Pelo menos havia uns ''soquetes transparentes'' para não pousarmos os pés no chão...
Depois dos atentados no Aeroporto e Metro de Moscovo e ainda do combóio... as autoridades russas passaram a ser rigorosas na segurança.
Após uma meia-hora de espera dentro do avião da Lufthansa, fomos avisados que havia demora sem que as autoridades indicassem o motivo à tripulação da aeronave...
Da janela consegui entender que uma dúzia de aviões se iam aproximando ''em fila'' para poderem ''zarpar''...
Já em pleno voo, a rota de regresso a Zurick
Finalmente partimos com destino a Zurick.
aproximação a Zurick
tempo de espera... o céu parcialmente nublado em Zurick
Finalmente o voo final com destino ao Lisboa foi feito a bordo de avião da TAP, onde  se sentiu logo a ''crise''... os jornais são distribuidos apenas na Classe Executiva...
À esquerda o farol de S. Julião da Barra e o Tejo...
Finalmente o sobrevoo sobre Lisboa com uma réstia de luz...
Em Lisboa já lá estava ''o nosso táxi'' que nos levou de volta a Palmela onde os ''patrões da casa'' nos alimentaram o corpo e a alma...
O nosso agradecimento à São e Afonso, pela companhia na viagem e a hospitalidade na sua moradia de Palmela.
Dia 10 - 17 Junho 11 (Sext.)
PALMELA - LISBOA - BRAGA
Decidido rumar a Setúbal ali tão perto.
Igreja de S. Julião na Praça do Bocage
Igreja S. Julião
O Comércio Tradicional... lá, como cá... com os dias contados...

Caza de Commercio de Fazendas de Lã, Linho, Algodão e Seda, 

Café BOCAGE...
Havia que ''fechar a viagem'' com um ''rodísio de peixe''.
Após a visita à terra do Bocage, rumamos ao Restaurante ''Bombordo'' próximo do Mercado de Peixe.
O ''Mercado'' no coração de Setúbal
Foi ''fartar vilanagem'', tudo regado com uma ''pinga de branco'' da região sacada ''à pressão''...
Pequena paragem no complexo comercial Campera - Carregado/Alenquer para desanuviar as pernas e fazer umas compritas.
Continuando a viagem de regresso, deu para dormir uma bela soneca ao lado do condutor Artur, até cerca de Aveiro.
Final de viagem com resultado POSITIVO mesmo se temos a consciência que muito mais haveria a visitar.
Viagem através da: Agência PAM TOURS, Lda -  Largo Bom Sucesso PORTO (que recomendo) onde o profissionalismo impera - o meu obrigado à Sócia-Gerente Margarida Cunha.

Enviar um comentário