De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

terça-feira, julho 31, 2012

A Caminho de Berlim - Dias 39 a 45 de viagem - De Gruissan a Braga

Gruissan
Dia 39 – 23.JUL.12 – 2ª. Feira
NARBONNE_PLAGE – GRUISSAN
A viagem foi curta. A manhã surgiu sem vento e o dito não voltou em todo o dia.
Logo pela manhã e após instalar os arraiais na AS ‘’4 ventos’’, fomos a pé ao centro da pequena mas simpática localidade.
uma formação de caças sobrevoa as praias...e larga fumo com as cores da bandeira francesa já mais longe....

À chegada, como havia feira nas ruas estreitas da cidade, demos uma olhada atenta.
Deixei os meus amigos nessa contemplação e direccionei as pernas primeiro para a igreja e logo após a subida ao que resta do castelo, para lá do alto ter uma panorâmica em redor.
Já a torre sineira havia dado as doze horas quando regressei à base.




Gruissan - panorâmica...


o que resta...


O ''Tour de France'' à vela...
A saída do ''Tour de France'' à vela



Após o almoço, fui à Marina assistir à partida dos veleiros da ‘’Volta à França em vela’’.
Em redor das marinas, os visitantes não eram muitos.

uma frescura muito agradável e ''crocante''... Perrier + mentol...

a voltinha noturna


imperdível a visita para quem passe próximo de AC
2 AS - uma na marina e outra na praia
Voltamos ao início da noite e a habitual animação ia entretendo a já maior clientela.
Para ser o mês de Julho, achei que no mês de Setembro aquando da minha última visita o ‘’bulício’’ de pessoas havia decrescido… sinais da crise?
AS/AC – Gps N 43º 06’ 12.0’’   /   E 003º 05’ 57.6’’ ( € 8,00 c/duche)
Percorridos: 5.627 Km ( Dia 10 Km)
 Dia 40 – 24.JUL.12 – 3ª. Feira
GRUISSAN – PERPIGNAN – PRADES – MONT_LOUIS – BOURG_MADAME (FR) – PAS DE LA CASA (AND)
Saída a meio da manhã com dia quente.
Após Perpignan até próximo de Mont-Louis, o céu começou a surgir com uma enorme neblina sobre os picos dos Pirinéus-Orientais, neblina essa resultante do enorme incêndio ainda não dominado na zona Espanhola de Catalunha em La Junquera.

Passamos no exterior da linda cidade fortificada Villefranche de Conflent já visitada noutras passagens, uma fortaleza importante contra as invasões mouras na Idade Média.
É nesta cidade que passa ‘’o pequeno combóio amarelo’’ onde os primeiros a chegar escolhem o melhor lugar. Este combóio turístico serpenteia por uma via estreita os flancos das montanhas e galga desfiladeiros sobre imponentes viadutos. Sai de Villefranche de Conflent (onde existe _P_ pago para as viaturas) e Latour-de-Carol já muito próximo de Pas de La Casa (Andorra).
Villefranche de Conflent

a linha do combóio ''amarelo''

Mont-Louis AS

Cada vez que passamos nesta região, escolhemos um ponto de passagem para ficar e visitar numa vinda futura. Assim, havíamos decidido pernoitar numa pequena cidade fortificada de nome Mont-Louis a 1.577 mts de altitude.
Estacionamos já dentro das muralhas, almoçamos e fizemos a visita (AS-AC Gps: N 42º 30’ 27.2’’ / E 002º 07’ 19,5’’) – local abrigado, seguro e calmo -.






os ''turistas'' que vão partilhando algumas viagens comigo...



Francamente, esperávamos mais. Muito mais interessante teria sido optar pela anterior cidade quer pela sua beleza, quer ainda pelo seu bulício próprio de locais de muito turismo.
Em Mont-Louis, apenas uma igreja e… parte da ‘’cidadela’’ que desde há 300 e tal anos está ocupada por unidade de militares de elite (comandos).
Por ainda acharmos cêdo para  pernoitar, decidimos avançar em direção a Andorra pois são apenas meia centena de Km, embora sinuosos e a inevitável ascenção aos 2.100 mts de altitude.

já na subida para Pas de La Casa

O _P_ de Pas de La Casa tem os preços mais elevados que da última passagem. Ainda hesitamos ficar ou não na berma da ‘’zona de ninguém’’ mas optamos pelo _P_ que também tem AS.
A ‘’diária’’ já fica por cerca de € 20,00, sendo que das 20h às 8 da manhã o custo é aceitável (€ 1,90).

Pas de La Casa

na AS e _P_ de Pas de La Casa
As compras necessárias na farmácia…  (os cremes que uso são substancialmente mais baratos) e uma voltinha nas lojas que já não tem preços como já tiveram…
Notamos menos gente a comprar e a visitar e estamos no pico das férias…
Desta vez, nem se torna necessário levantar a antena parabólica pois o TDT de Andorra disponibiliza umas dúzias de Tv’s e a TVI e RTPi incluídas.
_P_ - AS/AC – Gps: N 42º 32’ 44.2’’  /  E  001º 43’ 59.6’’
Percorridos: 5.843 Km (Dia 216 Km)
Dia 41 - 25.JUL.12 – 4ª. Feira
PAS DE LA CASA – ANDORRA LA VELLA – La Seu d’Urgel – PONTS – LÉRIDA – CANDASNOS

Já as Portuguesas levavam os filhotes ao infantário contíguo ao parque onde ficamos, quando iniciamos a subida para lá dos 2.000 mts.
Dia de novo de céu limpo e quente.







Passamos Andorra La Vella pelo meio do complicado trânsito e nem paramos.


Paramos inevitavelmente para as compras habituais já que os impostos em Andorra ainda não apertam. Só no combustível, atestei, claro, o depósito da AC e os 2 depósitos ‘’africanos’’ de vinte e poucos lts cada… foram 116 lts que me custaram € 1,094/lt conta os atuais € 1,50 de Portugal (uma poupança de € 46,00!).
Aproveitei para adquirir ‘’conversor’’ de corrente de 1.000 wat’s para substituir o da AC que tem andado a falhar… (custou-me € 86,00).

Reiniciamos o regresso, ou seja, a parte mais custosa quer pela monotonia das imensas paisagens de cereais já colhidos, quer pelo imenso trânsito de camiões TIR e ainda pelo incómodo calor que obrigou uma vez mais a utilizar o ar condicionado da AC.








Apontamos para revisitar a cidade de Lérida, o que fizemos, contudo esquecemos apontar o _P_ que já utilizei da ùltima vez (fui lá a pé do centro, mas não consegui a conduzir), sendo que com  o calor que estávamos decidimos avançar e procurar sair após o términos da via rápida.
Lérida - ''Campos Elísios''









Já a meio caminho de Saragoça, desviamos para a pequena cidade de CANDASNOS, onde as pessoas ainda se saúdam calorosamente ao cruzar-se pelos transeuntes.
Candasnos - pequena povoação - calma e agradável para pernoita
Uma noite que se prevê imensamente quente mas calma.
Percorridos: 6.100 Km (Dia 257 Km)
_P_ CANDASNOS – (Entre Lérida e Saragoça) – Gps N 41º 30’ 10.7’’ / E 000º 03’ 54.6``
Dia 42 -  26.JUL.12 – 5ª. Feira
CANDASNOS – SARAGOÇA – CALATAYUD – SÓRIA
Saída pelas 8,30h (de PT) com uma manhã escaldante. Os meus parceiros de viagem haviam decidido acelerar o regresso e partiram. Prefiro fazer o regresso saboreando as zonas que ainda não conheço ou conheço menos bem não obstante a caloraça.





mais uma localidade para visitar em passagem futura

Saragoça desta vez, passei ao lado...






SÓRIA - rio Douro

A paragem em Sória à hora de almoço.
Um calor de rachar… mesmo assim, confeccionei  o almoço e iniciei a visita pelos Arcos de San Juan de Duero (ao lado do _P_ onde ficarei) e de seguida a ‘’Ermita de San Saturio''.
Não obstante a chegada de negras nuvens que pontualmente faziam descargas, uma ‘’volta a bordo’’ pela pequena cidade e regresso ao ponto de partida, para efectuar a ‘’subida’’ de novo, mas a pé…








‘’Ermita de San Saturio''

‘’Ermita de San Saturio''

‘’Ermita de San Saturio''



‘’Ermita de San Saturio''





‘’ San Saturio''


‘’Ermita de San Saturio''


‘’Ermita de San Saturio''


A Catedral 


o ''casco histórico''
Tribunal












um ''coreto bizarro'' com a árvore no centro




À chegada e após o dia de trabalho, um punhado de famílias ou amigos chegou ao ‘’meu quintal’’ para atacar no bar ao lado as ‘’tapas’’ e as ‘’canhas’’… mesmo sabendo que ia pecar, fiz-me a um prato de calamares com duas ‘’canhas’’ a regar… assentou-me que nem ginjas…
Pelas 23horas uma forte chuva caiu durante uma hora com trovoadas menos agressivas. Valeu-me a ‘’net’’ à kuá… kuá… da Pousada lá no alto.
_P_ - SÓRIA – Gps : N 41º 46’ 04.0’’ – W 002º 27’ 14.6’’
Percorridos: 6.393 Km (Dia 293 Km)
Dia 43 -  27.JUL.12 – 6ª. Feira
SÓRIA – VINUESA – LAGUNA NEGRA (Sierra de Urbion) – VINUESA – CALATANAZOR – PEÑAFIEL - VALLADOLID
Havia pensado deixar a visita da ‘’Laguna Negra’’ para uma próxima passagem.
próximo das nascentes... uma barragem...
Pois... já me havia acontecido com Renas (Finlândia), Camêlos (Mauritânia e Marrocos), Macacos(Senegal)... bezerros? Em Sória...
Acontece que a chuva de véspera atenuou a temperatura e a manhã surgiu de céu azul e sol a contento.
Decidi inflectir na direcção de Burgos até à povoação de VINUESA.



Daí em diante, passa-se dos 1.150 mts de altitude por estrada florestal alcatroada mas sinuosa que chegue e estreita para os 1.600 mts… coisa que a ‘’africana’’ não ficasse arreliada… bastou umas 2ªs e nada mais… e foram 20 kms de coração nas pernas… com receio que surgisse outra viatura em sentido contrário.

Ao chegar ao _P_ (valeu a estrada bem sinalizada, pois não consta do mapa dos Gps).
Faltava ‘’trepar’’ 2 km’s… um autocarro ‘’de turismo’’ leva os curiosos ao cimo por € 1,90.
Ainda acenei ao estúpido do motorista pois corri até uns 10 mts do autocarro, mas… ‘’o animal’’ não parou…
peixe em abundância...
Esperar meia hora? Nã! Mesmo estando de sandálias… havia que subir… meia-hora… e os 2 km levaram-me aos 1.700 mts (subi assim + 100 mts de altitude).
Havia criado espetativas elevadas pelo que para mim foi uma certa desilusão… pensei ser do género da cratera do Vesúvio em Itália… mas… nem sombras…
Mesmo assim… valeu a pena.


A Laguna Negra de Urbión, ou simplesmente la Laguna Negra, é uma lagoa de origen glaciar situada na ‘’sierra de los Picos de Urbion.
Faz parte do Parque Natural da Laguna Negra e Circos Glaciares de Urbion criado em 2008.
A Laguna Negra fica ao norte da provincia de Soria (coordenadas 41º59'57.39" N 2º50'49.71").
O Pico de Urbión vê-se lá no alto dos seus 2.229 mts, de onde se precipitam ‘’las fuentes do Douro’’ possível a subida, mas como não levei as botas… limitei-me a apreciar cá de baixo o cantarolar das ‘’fuentes’’.
Na agua gélida da lagoa, avistam-se próximo das margens,  dezenas de trutas e barbos e dizem-nos que em redor dela existem corsos e javalis um ou outro lobo, e veados.


O regresso fez-se ‘’cortando’’ por estradas estreitas mas razoáveis até Calatanazor, que já visitei mais de uma vez, o mesmo acontecendo com El Burgo de Osma.
Após a passagem em Aranda de Duero e logo após Penãfiel com o seu majestoso Castelo lá no alto,


A vegetação:
A vegetação que abunda na zona da Lagoa Negra é mais típica do norte europeu que da península ibérica.
A vegetação aquática é similar a outras lagoas de montanha do norte peninsular. É composta por pequenas plantas que vão formando gramas no fundo às quais crescem outras que emergem à superfície ou flutuam.
Em terra de espécies de árvores abundantes competindo por espaço são definidas pela altitude. Entre eles há as que criam um sub-bosque fechado e crescem a altitudes relativamente baixas que partilham com o pinheiro branco que é o rei do território e forma grandes florestas. O carvalho, faia são espécies que têm presença significativa com o ''rowan'', árvore de pequeno porte que vem conquistando áreas ásperas nas encostas, o que é complementado por arbustos como urzes e giestas.
La laguna Negra de Urbión.
Llegaron los asesinos
hasta la Laguna Negra,
agua transparente y muda
que enorme muro de piedra,
donde los buitres anidan
y el eco duerme, rodea;
agua clara donde beben
las águilas de la sierra,
donde el jabalí del monte
y el ciervo y el corzo abrevan;
agua pura y silenciosa
que copia cosas eternas;
agua impasible que guarda
en su seno las estrellas

Os ''fuentes do Douro'' lá no alto...
Vinuesa

Vinuesa


após Vinuesa... lá longe a barragem do Douro que lhe fica próxima
E finalmente a cidade já re-visitada de Valladolid.
Percorridos: 6.679 Km (Dia 286 Km)
Valladolid – AS para AC: Gps N 41º 39’ 21.2’’  /  W 004º 44’ 15.2’’
Dia 44 -  28.JUL.12 – Sábado
VALLADOLID – CHAVES
Pela manhã, revisitei de bicicleta parte da cidade que ainda não conhecia.



Magnífica...







My Bike


Havia que percorrer a parte mais aborrecida da viagem.
Sempre por Autovia, mantendo a velocidade de 100 Km/h o que deu para ser ultrapassado por inúmeras viaturas de matrícula Suiça e Francesa, com a ideia de que cada 10 viaturas, 8 seriam de emigrantes Portugueses que iniciavam férias.
Ainda esbocei uma saída em Puebla de Sanábria, mas não passei das intensões pois Chaves seria mais próximo de casa...

Puebla de Sanábria

No final da tarde, finalmente em Chaves para pernoita junto ao rio.
Percorridos: 6.989 Km (Dia 310 Km)
Dia 45 – 29.JUL.12 – Domingo
CHAVES – BRAGA
De Chaves a Braga peça EN, é a seca maior... curvas e mais curvas.
Passagem peças barragens de Pisões, Venda Nova e Caniçada.
A barragem de Caniçada - Gerês
Chegada a casa.
Acostei à porta de entrada da casa ''fixa'' e fiz a transfega de um sem número de ''coisas''.
porta com porta...
após a chegada... a lavagem da ''Africana''... com empilhadeira para ''guindar'' o técnico de lavagens
a barbicha... foi-se...
e o ''mustache'' também foi à vida
De novo no ''ram, ram'' citadino.
Percorridos: 7.129 Km (Dia 140 Km)

.

Enviar um comentário