De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

domingo, março 09, 2014

Dia 21 a 25 de viagem - de Agadir a Sidi Ifni - 4mar a 8mar2014

Said:Houfi - mais uma amizade em LMKAYM ( a 10 km de Mirleft)
Dia 21 de viagem - 4MAR14 - 3ª feira
AGADIR - TIZNIT
Um _P_ próximo de Hotéis... sem inquietações e muita acalmia - Agadir
Depois de uma noite calma no centro de Agadir, retomamos a 'descida' no mapa, sem antes, ter a surpresa de ser 'interceptado' por uma 'moto 4', conduzida por Camille e Mónique (outro dos casais que vivem meio ano em Agadir no seu apartamento)... reencontro breve pois não aceitamos a sua insistência para ir a sua casa e ficar lá instalados, como em tempos já fiz...
Optamos por avançar fazendo uma nova e curta paragem no 'Marjan' (hiper) de Agadir.
nos bairros novos, muitos edifícios governamentais
Os Gps, teimaram em nos fazer rumar a 'nascente' e respeitamos a sua insistente chamada de atenção... e valeu mesmo a pena...
Levou-nos por grandes avenidas pejadas de novos prédios com meia dúzia de andares... e... fomos entendendo que foi uma opção acertada mesmo se teremos feito mais de uma dúzia de kms... mas... desviou-nos da confusa e anárquica cidade satélite de Inêzgane.
a magnífica 'via rápida' para Tiznit
Surpresos de igual modo por constatarmos que a estrada para Tiznit, havia dado lugar a uma magnífica 'Auto-Via' o que para além de nos permitir uma condução mais segura, ajudou imenso nesta passagem de território semi-desértico de terras côr de tijolo em que a temperatura ia subindo.
Com esta aproximação ao Sahara, esta plana e agreste paisagem começa a tornar-se confrangedora já que os próprios rios que no inverno transbordam os leitos, nesta altura do ano estão completamente secos!
Tiznit
Segundo a lenda, a fundação e o nome de Tiznit deve-se a Lala Tiznit (ou Zninia), uma marabuta (santa islâmica) que ali viveu. Lala era uma prostituta que viajava vinda do norte que ao parar, esgotada, naquele lugar desértico, decidiu abandonar a sua vida pecaminosa e passar a viver ali. Para demonstrar o seu perdão, Alá fez aparecer uma fonte, posteriormente chamada pelos locais de Aïn El Kdim (Fonte Azul). Segundo algumas versões da história, Lala teria depois morrido martirizada junto à fonte.
A cidade atualmente existente foi fundada em 1882 pelo sultão alauita Hassan I, que a dotou de uma muralha de seis quilómetros de perímetro, que rodeia a antiga almedina e algumas áreas não construídas. A fundação da cidade fez parte da harka (literalmente: raide incendiário) empreendido por Hassan I a partir de 1881 para subjugar a região de Souss-Massa e do Anti-Atlas, áreas tradicionalmente muito adversas a qualquer tipo de controlo externo. Os Chleuhs que dominam o Anti-Atlas a oeste de Tiznit só foram dominados após a violenta campanha de "pacificação" dos franceses levada a cabo nos anos 1930.
Tiznit foi o lugar onde, em 1910, morreu o xarife idríssida e xeque (líder religioso) Ma El Ainin, que liderou uma revolta em larga escala contra o colonialismo franco-espanhol no Saara Ocidental e sul de Marrocos na primeira década do século XX. O filho de El Ainin, Ahmed al-Hiba, conhecido como o "sultão azul", por se vestir com as tradicionais vestes azuis dos nómadas do deserto, prosseguiu a luta do pai e autoproclamou-se sultão a 10 de abril de 1912 na grande mesquita de Tiznit, menos de duas semanas depois da assinatura do Tratado de Fez, no qual o sultão alauita Moulay Abd al-Hafid cedia a soberania dos seu país à França, reconhecendo o protetorado.
O apelos inflamados à resistência de El Hiba resultaram numa vaga de apoiantes fanáticos, entre eles muitos "homens azuis" sarauis, que foi aumentando a ponto de em em julho toda a região do Suz cair sob o seu domínio. Apesar de ter chegado a ter o controlo de Marraquexe por algum tempo e a ter preparado um ataque a Fez, El Hiba ver-se-ia rapidamente obrigado a recuar primeiro para Tarudante e depois para o interior do Anti-Atlas, onde continuaria a lutar de forma cada vez mais adversa, até à sua morte em 1919.
Nos anos 1970 a cidade assistiu a uma grande vaga de imigração de gente vinda do norte do país e das aldeias em volta.
O ''Rei''... sempre presente... nas escolas, nos estabelecimentos privados...
Chegados a Tiznit, como já seria de prever, o Camping (entre muralhas) encontrava-se 'completo'.
Ficamos no terreno já conhecido do outro lado da rua, onde já estariam umas 3 dúzias de AC.
Haveríamos de encetar o habitual percurso pedestre num dia quente pois esta cidade de interior (dista 15 Km do oceano), já nos habituou a este tipo de clima.
Passamos paredes meias com a muralha da cidade, onde se vendia de tudo... sobretudo inúmeras velharias... de coisas que consideramos inúteis mas que os nativos sabem aproveitar.
as tradicionais vestes da terra
o espaço aéreo também se aproveita...
... das 100 gr aos Kgs...
brinquedos e outras coisas mais...
morangos... muitos morangos...
os bolos e o pão... em todo o lado...
Seriam umas 18 horas quando redescobri a oficina do jovem que há meia dúzia de anos me colocou a antena parabólica na autocaravana - Mustapha - DigiTop na 13, Nouveaux Marché Amicale des Fonctionnaires - MA 85.000 Tiznit.
Fui 'parar' a um 'concorrente' de nome HIDIR Electro... e até tinha alguns clientes à porta... mas não gostei do que ouvi... quando lhe perguntei pelo Mustapha... foi-me dizendo... que mudou de cidade... e... questionado para onde?... responde-me que foi preso, por vender material roubado!!!...
Fui ao Camping, e claro, prontamente me facultaram um cartão de visita de Mustapha...
Recordava-se de mim... e mesmo com clientes já estacionados à porta para serem atendidos no dia seguinte... disse-me para levar lá a AC!!!
Cheguei lá às 19 e às 20,15h. estava de saída com o novo 'prato' e braço do ?lnb' em alumínio... ( o que tinha estava com 'corrosão'...).
Problema resolvido, com 400 Dir. ( € +- € 40,00!).
Percorridos: 2.328 Km ( Dia 103 Km )
_P_ - N 29º 41' 36.1''  -  W  009º 43' 37.3''
Dia 22 de viagem - 5MAR14 - 4ª feira
TIZNIT
Havíamos 'reservado' a entrada no Camping pela manhã...
Seriam 8,30h. quando na recepção me disseram que poderia avançar já que sairiam 20 autocaravanistas...
Para melhor nos sentirmos, optamos pelo espaço pago em detrimento do gratuito, já que a eletricidade recarregaria baterias e o 'duche quente' evitaria consumos de gas e água... 
O 'encontro' e o almoço no Restaurante | O Je, António Garrido, Isabel Garrido, Artur e Emília
Graças à internet, pessoas há,  que não se conhecem pessoalmente, com quem se vai trocando experiências de viagem... e... sem previsões antecipadas, chega o momento de se encontrarem longe 'da terra'...
Assim aconteceu com o António Garrido, que estava aqui a 15 km e se deslocou a Tiznit para nos conhecer.
Foi com prazer que apreciamos conjuntamente umas 'calamares' no Restaurante próximo, um momento de salutar convívio.
Em conjunto, percorremos os estreitos e labirínticos arruamentos 'entre muralhas'... 
Uma 'arte' antiquíssima... que raramente se encontra... fios... são entrelaçados através de uma 'geringonça... e dão lugar aos 'debrum' das vestes características de marrocos
cá fora... as roldanas fazem entrelaçar os fios... um trabalho artesanal/mecânico
a 3ª? Sim!
Após a visita pelas ruelas na companhia dos nossos Amigos, as despedidas, e o regresso à 'colmeia de autocaravanas' no Camping.
O anoitecer com as 'muralhas' a proteger dos ventos... sob o 'olhar' atento da 'nova parabólica' e da 'antena' de wifi...
Dia 23 de viagem - 6MAR14 - 5ª feira
TIZNIT 
logo ao amanhecer, os 'bonjour Monsieur' da vizinhança, indo apreciando os inúmeros 'artesanatos' engenhosamente saídos de garrafas plásticas...
Em redor do camping, as sempre repetíveis mas cativantes atividades mercantis...
A roda de 'amolar facas e talheres'... irregular, mas funcional...
Um espontâneo tocador de 'arpa/violino' bérbere... nas esplanadas da cidade...
A 'entrada' do Camping de Tiznit
tarefas inadiáveis... não estranhem caso me vejam sempre com  a mesma indumentária...
'Inglesices?!'...
 curiosidades dum 'Camping Marroquino'... Artes que sobressaem... de idosos Franceses... e de outras nacionalidades.
magnífico!

autênticas 'obras primas'...
Dia 24 de viagem - 7MAR14 - 6ª feira
TIZNIT - AGLOU PLAGE - Port SIDI BOULFDAIL
Antes de nos metermos à estrada, haveríamos de mandar 'lavar' as autocaravanas, para que a 'crosta lamacenta' do primeiro dia não enraizasse...
Mesmo sabendo que a 'cara lavada' seria de 'pouca dura'... lá avançamos em direção a Aglou Plage.
a paisagem sempre de aridez constante
Chegados a Aglou, mesmo se o Camping é agradável, almoçamos ali pertinho e seguimos pois os ventos constantes nesta zona e a falta de grande interesse pela paragem levaram a que prosseguissemos.
O Camping de Aglou Plage
Logo à saída da localidade, mais um pequeno Camping repleto.
Uns 40 Km percorridos e eis que avistamos junto a um porto pesqueiro uma dúzia de autocaravanas.
Feito o desvio em direção do mar, reparamos que estavam uns 4 grupos de mulheres embrulhadas em trapos até ao nariz, a separar a casca de mexilhão...
Vendiam o mexilhão já preparado.
Questionado um jovem que procedia a esse trabalho, pediu-nos 20 Dir ( € 2,00) por meio kilo.
É claro que não havendo balança, a pesagem 'era a olho'...
aqui chegados... ficamos...
Acabamos por comprar cada qual a sua saca... e mais dois casais Franceses... que entretanto vendo o rosto satisfeito do jovem, iniciamos conversa já que 'arranhava' um fraco Francês... 
as mulheres com as suas tendinhas... e os 'burros' por perto...
ficamos a saber que se chama Said e tem 25 anos...
a mãe de Said
Palavra puxa palavra, até que Said nos explica como vem aqui quase diáriamente para pescar à linha e colher mexilhão quando a maré vaza...
Até que Said nos indica que para lá daquele monte fica a sua aldeia e nos convida para acompanhar as mulheres pelo trilho... e ele seguiria de moto para preparar o chá...
Naima não quer que lhe faça fotografias... 
Aceite o convite, parti com dois casais Franceses encosta acima... Quando iniciamos o percurso, uma das mulheres grita-me para apagar a foto que fiz... era a mais nova... prometi que lá no alto... a apagaria, caso se entendesse que era ela...
 O trilho sobe a bom subir e as mulheres já mais disponíveis para o diálogo de surdos (não sabem falar Francês), iam tímidamente oferecendo os burricos para nos levarem...
Já perto do cume íamos avistando pequenas aldeias.
Uma caminhada como antes nunca havia efetuado.
o poço coletivo
Chegados a casa de Said, foram-nos mostradas 4 casas, onde mora ele e restante família...
Interessante constatar que existe uma pequena divisão onde acedem à água do poço que fica sob a casa...
o cunhado e sobrinho de Said
Entretanto toda a preparação do chá é feita enquanto vamos conversando.
antes do 'lanche' há que lavar as mãos...
A mesa posta para os convidados
Vários tipos de pão delicioso, chá, ovos cozidos, manteiga, mel, azeite... um 'lanche' especial...
Despedimo-nos da família pois o dia estava próximo do fim e descer com a probabilidade de nevoeiro cerrado, não seria aconselhável...
Entretanto ao sair teríamos de passar na casa de Naima, que já não dava importância à foto e fez questão de nos mostrar os seus haveres...
Tem 33 anos, vive com a mãe e a irmã mais nova de 18. Os irmãos estão no exército Marroquino.
a parte de aquecimento de água
igualmente no hall da casa... o acesso ao poço com uma corda de 7 mts
De notar, que as mulheres da aldeia, começaram a surgir ao longo das casas, com o seu traje de 'festa'... e já sem o rosto tapado....
Não ousei fazer uma foto sequer, sabendo que não gostam de ser fotografadas, com medo de irem parar à 'net'...
Regressamos já noite dentro com a nebelina a começar a cair...
Sem dúvida que vivenciei uma tarde que me alegrou pois é destes pequenos nadas que gosto nas viagens... conhecer o povo simples dum País...
ainda a tempo de preparar um agradável arroz de mexilhões
Percorridos: 2.376 Km ( Dia 48 Km) - a 41 km de Sidi-Ifni e a 10 Km de Mirleft
_P_ - N 29º 40' 02.4'' - W 9º 58' 53.7''
Dia 25 de viagem - 8MAR14 - sábado
Port SIDI BOULFDAIL - Mirleft - SIDI.IFNI







pela manhã... Said apareceu para receber um 'Nokia' quase novo ( o dele, coitado estava partido)...
da estrada,... avista-se o local de pernoita... junto ao pequeno porto








Percorridos: 2.420 Km ( Dia 44 km )
Pernoita: Camping ''SolYMar''
Enviar um comentário