De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

terça-feira, julho 02, 2013

À descoberta da IRLANDA - da Irlanda do Norte a Dublin na República da Irlanda Dia 31 e 32 de viagem

Spire of Dublin, oficialmente the Monument of Light (2003)
Dia 31 - 1.julho.13 - 2ª. feira
COALISLAND ( Irlanda do Norte) - DUBLIN ( República da Irlanda ) - COALISLAND
O dia anunciado para hoje, é de tempo estável, embora de nuvens altas e pouco sol.
A convite do meu Amigo Tiago, fomos no seu automóvel conhecer a Capital da República da Irlanda que dista de sua casa cerca de 150 Km. 
Armagh - a poucas dezenas de km - a esquadra de Polícia com menos muros mas ainda bastante protegida.
Para visitarmos Dublin, com um jovem casal de cicerones, teremos a vida facilitada.
A passagem entre as duas Irlandas nem se nota, salvo nas placas indicativas da autoestrada já que deixa de referir a distancia em milhas e passam a surgir em Km's...
No centro de Dublin
A entrada no centro da cidade, deu-nos a ideia de que seria menos interessante que Belfast. Enganei-me pois volvidas duas ou três esquinas de rua, depressa constatei que é uma cidade mais cosmopolita que a sua rival do norte.
uma das movimentadas ruas pedonais
Haveríamos de passar à porta e depois entrar no imponente edifício dos correios de Dublin, onde ainda sobressaem mossas de disparos aquando da independência.

Correios de Dublin
O bizarro interior dos Correios
comprar um sêlo, como se fora numa das antigas caixas dos bancos?
as caixas de correio no exterior do edifício, em 'irlandes' e inglês
Continuamos a caminhar no centro onde os turistas surgiam em grande número, facto que não constatamos em Belfast.
um ''shoping''

Spire of Dublin, oficialmente the Monument of Light (2003)
- mais parecendo uma agulha gigante 
Um Banco - nem existem janelas,,, por razões óbvias...

Chegada a hora de almoço, decidimos almoçar num restaurante especial.
Um edifício do séc XIX que já pertenceu a um banco, lindamente restaurado e onde funciona o ''The Bank Restaurant''.
The Bank - Restaurante

A visita ao interior de tão interessante espaço, merece uma visita. O preço das refeições, não é proporcional ao serviço prestado nem à beleza do local pois ronda os € 10,00 a € 15,00 o prato.


The Bank - Restaurante
na fachada exterior, mantidas estas belas peças do antigo banco
O Rés-do-chão - casa cheia.
Uma preciosidade - recomendável entrar e apreciar, ou como nós apreciar almoçando
The Bank - tanta magnânime beleza
os espelhos ajudam a redimensionar os espaços
a Erika, o Tiago, Emília, Artur e o Je
um magnífico prato de salmão salmonado com puré de batata e uma enorme malga de soculenta salada
Alimentar o corpo e ao mesmo tempo apreciar toda a riqueza do que está em redor, dá por bem escolhido o local.
para a posteridade, nos espelhos.
The ''Book of KELLS (réplica)

a fachada do restaurante The Bank
A Universidade mais antiga de Dublin

O café viria a ser tomado num ''Starbucks'' ali ao pé mesmo se o seu custo tem sido o mesmo desde o Reino Unido (€ 1,45/€1,70).
Mais adiante entramos no 'miolo do quarteirão' da Universidade de Dublin.


A Universidade
Talvez pelo facto de estarmos no fim de semana, os visitantes eram muitos.
a Praça Central da Universidade



na Universidade
O original do ''Book of Kelles'' está neste edifício, e a fila para o observar vai longa

já vi 'disto' em Liverpool e em Londres...
as flores de Dublin
uma estratégia para sacar 'uns cobres'... até parece uma menina anã... 
uma sexagenária aceitou a foto e a filha faz-lhe companhia ao lado...


Entramos em cafés, em restaurantes e apreciamos a muita animação espontânea de rua que nos faz sentir bem nesta cidade de cerca de 500.000 habitantes.



uma enorme parque verde no coração da cidade

a cidade dispõe de 'bus', Metro de superfície e comboios regionais
A moeda da República da Irlanda, é o Euro (€), mas em muitos locais aceitam a Libra (£), mas fazem o câmbio ''ela por ela'', o que torna o 'negócio' ruinoso para quem não disponha de Euros.
''Carmelitas''

uma ideia de muita utilidade



o Mercado
O Mercado
os edifícios autárquicos


edifícios governamentais






Mesmo se foi uma visita de um dia, aproveitamos enormemente a mesma, graças aos nossos 'guias' que nos orientaram e a tornaram mais frutífera.



Terminamos o dia, com a passagem na muito agradável rua dos bares onde demos uma olhada a alguns edifícios interessantes.



mais um bonito bar.
A rua dos bares.
Músico? não cheguei a entender...
restaurante

O ''bar'' da Amnistia Internacional
interior do Hard Rock café


O regresso ao centro comercial onde estacionamos a viatura, cujo preço de € 1,00/hora foi utilizado na íntegra ou seja pagamos € 10,00 que é o valor máximo de um dia.
Polícia (GARDA)
A fábrica da ''Guiness'' cobre muitos hectares do centro citadino
o jantar e o agradável convívio
O regresso à Irlanda do Norte deu-se no final de dia pela autoestrada onde na ida e na vinda se passa em 'portagem' com o custo de € 1,90 (cada passagem).
O jantar ocorreu na casa do nosso Amigo em Coalisland.
Dia 32 - 2.jul.13 - 3ª. feira
COALISLAND - BALLYMONEY - Carrick-a-Rede / Rope Bridge - Ballintoy
Há uns dias a esta parte que a viatura do Artur anda a registar perda de fluido do radiador.
Já ontem o Tiago se havia disponibilizado para falar com o seu mecânico que habita nas proximidades.
Esta manhã, antes de partirmos, fomos à sua oficina.
Um irlandês simpático e de humor 'fino'... fez um teste com uma 'bomba' no depósito e confirmou-se a tal fuga.
O dia acordou com chuva daquelas que prometem ficar o dia.
Solucionou a questão com o adicionar de um 'aditivo' que resolverá o problema a contento.
Enquanto o mecânico foi em busca do 'aditivo' o Artur lembrou-se de numa última tentativa efectuar uma 'manobra' na tubagem do frigorífico, coisa tão simples, que nos parece resolveu finalmente o problema do frigorífico...
Retiramos as grelhas e com um compressor, demos umas três ou quatro sopradelas no tubo/chaminé... et voilá... nos parece que resultou!
Enquanto o Tiago ultimava duas ou três caixas para nós trazermos para a sua casa em Braga, sugeri, e foi aceite por todos, que confecionaria o almoço antes da saída para os 'cinco'...
''Bacalhau de migas, grão de bico, cenoura, batata, ovo...'' e uma ''de verde'' fresquinho... e... logo após, as despedidas.
Obrigado Erika e Tiago pela vossa generosa e simpática hospitalidade.
Por estreitas estradas avançamos em direcção ao Norte da Irlanda.
É claro que os tons dominantes o verde dos campos, contrastando com o cinzento dia onde a chuva cau quase incessantemente mas sem aquele peso da nossa.

os inúmeros rebanhos estavam por todo o lado, quer de ovinos, quer de bovinos.
Chegados a Carrick-a-Rede / Rope Bridge, saí mas não me aventurei a calcorrear 1 km de trilho até à 'ponte' pois se por um lado o tempo não dava apetite, pelo outro, atravessar umas réguas sobre o mar pagando £ 5,60!!! não me agradou.
 Mesmo se o tempo não ajudou, a soberba paisagem não deixou de nos cativar.


a ilha e a 'ponte de cordas'... vistas do miradouro de nascente
 esta ponte (uma das mais inesperadas atrações da Irlanda) de cordas e tábuas, suspensa 25 mts acima do nível do mar, treme e balança sob os pés dos mais aventureiros e dá acesso a uma minúscula ilha muito procurada por pescadores de salmão, embora tenha corrimãos e seguras redes de proteção, não será aconselhável a quem tenha vertígens.

Com o triste dia que aconteceu, achamos por bem ficar numa ''Farm'' que surgiu, por ser local pacato e dispormos de eletricidade (Custo £ 14,00).



a praia de White Park Bay




Percorridos: 3.990 Km ( 113 Km dia )
Farm em Larribane (?) Gps N 55º 14' 05.9''   W 006º 27' 22.3''  ( £ 14 / € 16,60 )
Enviar um comentário