De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

domingo, maio 19, 2013

Vagueando pela costa atlântica nortenha

Vila do Conde
Local escolhido para ir preparando com os meus parceiros de viagem, a próxima saída em Autocaravana ao Reino Unido, Escócia e Irlanda. 
Quero voltar a cruzar-me por essas estradas europeias por outros autocaravanistas, acenando entre nós e tentando saudavelmente libertar o espírito e as agruras que nos vão atormentando de uma austeridade que nos tolhe e nos oprime, sem que a luz ao fundo do túnel se vislumbre.
Vamos para relaxar, para conhecer o único país europeu que nos resta visitar (Irlanda) e olhar em frente mesmo se a esperança em melhores dias, não vai sendo muita.

Parque Biológico de Gaia
Dia 1 * 10.maio.13 - 6ª feira
PORTO
fugi ao cortejo da 'queima das fitas'...
Há cidades que me atraem ou seduzem, ou pela sua beleza ou monumentalidade, pelas suas gentes ou mesmo por razões que a razão desconhece.
A cidade do Porto, será uma delas, pelo seu Povo, pela sua história, pelo seu velho casario, pelo rio, pelas vielas repletas de vida.
Uma estátua que pelos vistos estava esquecida num barracão camarário - voltou 'à ribalta'!
Não me canso de a revisitar, ainda que fugazmente.
Desta vez, aproveitei para almoçar com um velho amigo com quem partilhei inúmeras vivências e cumplicidades e que por tal motivo por ele nutro uma velha amizade. 
Entramos no enorme edifício da 'Cadeia da Relação', onde entre outras preciosidades conheci o 'quarto S. João' onde permaneceu Camilo Castelo Branco. Confesso nunca ter visitado esta parte do Património histórico da cidade. 
das antigas celas o Porto/Cidade como pano de fundo
Regressado de mais uma 'rapidinha' à mui nobre cidade do Porto, decidi aproveitar a 'semana de férias' da minha 'co-piloto' e partimos para uns dias que gostaríamos de sol e de mar.
Dia 2 * 11.maio.13 - sábado
AGUÇADOURA / AVER-O-MAR
Em Aver-O-Mar o Artur fugia com as netas da praia onde o vento norte atacava
No litoral do Norte do País, quando se está com dia de sol e surge uma 'nortada', estraga a festa por completo.
Vento e mais vento... levou-nos a mudar de poiso, sendo que de Aver-o-Mar fomos parar um pouco mais a norte, defronte do mar, mas num local mais protegido, paredes meias com a Aguçadoura.
lindas flores silvestres no areal de Aver-o-Mar
Mesmo assim, a caminhada ao longo da marginal, até à Póvoa de Varzim, fez-se pois o sol radioso fazia esquecer o vento.
Pelo caminho as colorações diversas de flores 'de areia' iam alegrando a visão pois não passavam despercebidas.
uma manif. de contestação às touradas
Uma algazarra se ia escutando próximo da praça de toiros da Póvoa.
Inúmeros estudantes de capa e batina das faculdades do Porto que iriam assistir a uma 'garraiada'...
Sempre que os espetáculos apresentam como protagonistas toiros, já vai sendo habitual o resurgir de pequenos grupos de manifestantes a insurgirem-se contra este tipo de espetáculos... e na Póvoa lá estavam eles...

Na praia já os veraneantes eram muitos, mas, protegidos do vento norte e semi-vestidos pois mesmo se o sol abundava, os redemoinhos de areia fina faziam com que as pessoas permanecessem nos refúgios característicos nesta região... 
o final de dia numa esplanada resguardada
Regressados ao nosso 'ninho', haveríamos de procurar refúgio num espaço maior mas protegido e reconfortante com vista para o oceano e para o pôr de sol que é sempre a parte do dia imperdível em dias de ausência de nuvens ou neblinas.

Mesmo se para mim, a bola é quadrada, para terminar o dia em beleza, assisti  no café da praia, ao jogo de futebol entre o FC Porto e SL Benfica. Um verdadeiro espetáculo - meia sala a aplaudir o golo do Benfica - para um pouco mais tarde - outra meia sala aplaudir o Porto. Espetacular...
Dia 3 * 12.maio.13 - domingo
Aver-O-Mar / Aguçadoura
Um dia sem muita história, já que o vento não nos largou de novo e até inviabilizava o visionamento da TV pela parabólica. Valeu-nos o ter conseguido através de um 'pecadilho' ir buscar a net a um vizinho...
No final de tarde, o 'bairro itinerante' sumiu... até os meus amigos rumaram a casa...
Ainda pensei descer um pouco mais, não o tendo feito porque o meu vizinho do lado, um casal Francês me perguntou não haveria problemas em ficar por aqui e aproveitei para lhes fazer companhia. Passearão pelo País quatro meses!...
Percorridos: 50 km.
Dia 4 *  13.maio.13 - 2ª feira
Aver-O-Mar - Madalena - Furadouro - Torreira - Aveiro - Costa Nova (Ilhavo)
de Gaia em diante, junto às praias as inúmeras Eco-Vias... tornam o litoral mais agradável
Decidido descer no mapa em busca da acalmia.
Percorremos parte do litoral da Madalena até ao Senhor da Pedra em Miramar.
a capelinha do Senhor da Pedra - posto de vigia virado ao mar
Após a passagem e pequena paragem no Senhor da Pedra, prosseguimos pela ainda 'scut' até Maceda. 
Logo após, derivamos de novo para a costa, com passagem pelo Furadouro e Torreira locais onde ainda estacionam muitos autocaravanistas franceses, alemães e alguns ingleses.
Furadouro 
Ainda pensamos parar em Aveiro, mas deixamos para o regresso essa paragem.
Fomos ficar junto ao mar na bonita e sempre agradável Costa Nova.
O nosso 'bairro' na Costa Nova
Percorridos: 200 Km (Dia 150 Km)
Dia 5 * 14.maio.13 - 3ª feira
Costa Nova - AVEIRO
A noite a 'nortada' foi dando sinais de si.
Pela manhã a situação ia-se mantendo tornando desagradável o passeio pedestre entre a Ria e o Mar.
O casario 'zebrado' de azul, verde e encarnado lá nos foi reavivando a memória duma localidade que nesse ponto de vista é peculiar no País.
lindo
 Notamos que o 'porto pesqueiro' da Ria estava sem a azáfama habitual, talvez pelos ventos sentidos.
marina da ria em Costa Nova
haveríamos de deixar a vizinhança da Costa Nova
Haveríamos de procurar melhor 'porto de abrigo' pelo que voltamos para Aveiro onde junto à Ria, uma certa acalmia nos acolheu.
Não sendo fã dos Centros Comerciais, haveria de fazer companhia à minha co-piloto, mas sentado num banco naquele que é um Centro Comercial que difere dos habituais 'fechados' por ter a parte central a céu aberto.
Caso pudera, prescindiria da música 'de fundo' .
De olhos abertos, sob a proteção do chapéu, ia apreciando a passagem de não muita gente ou não fora um dia de trabalho.
Um ou outro avô com os netos a saltitar...
Um ou outro jovem de telemóvel de vanguarda na mão, como que a mostrar 'a sua posse', já que o mesmo poderia 'viajar' no bolso ou bolsa...
Poucos sacos de compras nas mãos de quem ia passando...
Haveria de ao mesmo tempo ir olhando para o céu azul onde a um ritmo mais acelerado esvoaçavam nuvens brancas...
A pernoita junto à Ria onde teria como companhia uma boa dúzia de 'compagnons de route'.
no final do trabalho... há que praticar canoagem na Ria
Percorridos: 212 Km (Dia 12 Km)
Dia 6 * 15.maio.13 - 4ª feira
AVEIRO - ESTARREJA - MADALENA 
Durante a noite a chuva mostrou serviço.
Não terá sido muita, o alvorecer voltou a apresentar sol radioso mas ... o vento... fazia das suas. 
Ainda espreitamos no 'porto recreativo' onde é agradável pernoitar nos meses quentes já que o local é sossegado e nos veleiros o movimento de gente dá a garantia de segurança.
As salinas contíguas neste período do ano, não nos brindam com os brancos e luzidios cristais tornando o local menos interessante.
o 'porto de recreio' na Ria
praia de Madalena - a 300 mts do Camping Orbitur
Para quem procurava a acalmia das praias... esta aposta saiu frustrada. 
Para confecionar o almoço prosseguimos em direção da AS de Estarreja, que tinha os espaços de parqueamento eletrificado esgotados.
Nem aí o malfadado vento nos largou dificultando a captação de TV/satélite, já que a TV por TDT apenas chega aos que instalaram as antigas antenas tipo  'bacalhau'.
praia de Madalena
Dado que amanhã temos compromissos no Porto, optamos por entrar para pernoita no 'camping Orbitur' da Madalena.
Na praia seria impossível a abordagem, mesmo se não existiam obstáculos e a entrada encontrava-se 'aberta'... a 'nortada' invalidava a aproximação do areal.
No 'camping' está-se bem já que a imensa vegetação 'cortava' os ímpetos da ventania. 
Uma boa escolha para quem pretenda visitar a cidade do Porto pois a 20 mts passam frequentemente autocarros para o centro citadino (Trindade e Ponte D. Luis).
Custo do camping até 31.maio: 1 AC 6/7mts € 6,00 + € 3,50/pessoa.
Percorridos: 
Dia 7 * 16.maio.13 - 5ª feira
MADALENA - PORTO - GAIA - AVINTES (Parque Biológico AS)
Cais do Bico - V N Gaia ( _P_)
O despertar cedinho numa manhã repleta de chuva sob um céu escuro.
A ida ao Porto (Campo Alegre), fez-se sem grandes filas de trânsito mesmo se a hora de idas para os empregos.
Teria de lá voltar. Nesse compasso de espera, retrocedi pela ponte da Arrábida e saí no final da ponte em direção ao 'Cais de Gaia'. Uma descida com partes estreitas e com inclinação de 10%.
Tinha curiosidade em conhecer um local onde pernoitam sobretudo AC estrangeiras.
Parque (?) do Cais do Bico - local frequentado por tóxico-dependentes
Teriam lá passado a noite 2 AC (uma francesa e outra alemã). Surgindo um carro patrulha da PSP, questionei os agentes, que de imediato me disseram que na ausência das pessoas em visita à cidade registavam inúmeros casos de assaltos às AC e que de tudo levavam... (bicicletas, TV's, etc...) e claro que o arrombamento dos 'acrílicos' deixavam as pessoas revoltadas...
'pescadores do nada'... no Cais do Bico
Mais disseram, que as pernoitas não serão inseguras pois com as pessoas nas AC não haveria perigo de maior. 
Terminadas as 'obrigações' profissionais da 'pendura', um dilema se nos colocou: Para onde ir se a chuva ia aumentando de intensidade?
A rotunda dos morangos...
Ainda esboçamos fazer o percurso pela marginal até às praias de Lavadores e Salgueiros. Numa delas entramos num café de praia onde 'uma bica' custou € 0,80, como se estivéramos com a praia cheia de gente...
Afastamos a vontade de regressar a casa. Chuva por chuva, optamos por repetir a visita e pernoitar no Parque Biológico de Gaia, onde encontramos na AS apenas 2 AC de súbditos de Sua Majestade de Inglaterra.
Feita a ligação à corrente eléctrica, testamos a 'TDT' e a 'net' vinda dos prédios contíguos, sob uma incerta chuva, avançamos para o convívio salutar com a fauna e flora do interessante Parque.
Desta vez os visitantes não eram muitos, o que nos facilitou o reencontro com muitos dos residentes pois que à falta de multidões nos olhavam com uma certa curiosidade.
um dos curiosos habitantes... 
este 'freguês' é um dos que 'cirandam' nas nossas praias...
vindos dos 'trópicos'...
uma ave que me seduz - flamingo
veio de Àfrica e ao ver-me voou para junto do 'guarda florestal'...

lindos... 
apenas uma atendeu o meu chamamento...
Gosto dos simpáticos 'corsos'...
A noire chegou num local calmo e acolhedor.
Percorridos: 335 Km
Dia 8 * 17.maio.13 - 6ª feira
 Parque Biológico de Gaia - VILA DO CONDE
os magníficos 'alvéolos' eletrificados da AS para AC do Parque Biológico
Mesmo se choveu durante a noite, o amanhecer surgiu com céu azul.
Metemos os pés ao caminho para visitar a parte sul do Parque.
a dois metros do observatório, um esquilo roía o petisco facultado
Sem sombra de dúvidas que seria esta a etape da viagem mais rica. 
De bem com  a natureza e consolando a visão com os enormes espaços verdes e a grande variedade de aves e animais que pelos percursos iam surgindo.
inúmeras aves sob enormes zonas forradas a redes
Parte do parque funciona numa antiga quinta recuperada e onde a pequenada lida com a vida nos campos
numa casa sem telhado adaptada e bem restaurada, vimos muitas para aves noturnas


bisontes europeus
mãe javali fazendo a 'sesta' com as duas crias





Manhã e princípio de tarde imensamente interessantes.
Saímos com passagem em Matosinhos no IKEA e mais adiante em Vila do Conde na zona do complexo ''Outlet'', visitas que dispenso mas por vezes por lá passo.
O final de dia seria passado no agradável _P_ resguardado dos ventos próximo da foz do Rio Ave, em Vila do Conde.
Percorridos: 392 Km (Dia 57 km)
Dia 9 * 18.maio.13 - sábado
VILA DO CONDE
Manhã agradável - fresca mas de pouco vento
Manhã cedo inúmeras canoas cortavam as calmas águas do Ave...
Os pesqueiros descansavam da faina noturna...
o 'mini mercado de peixe' já prestes a findar
 Chegamos ao pequeno 'mercado de peixe' próximo do porto pesqueiro, já a manhã estava adiantada, razão pela qual apenas encontramos alguns 'polvos' que custavam € 4,00/kg e como ainda lá estava um fresco 'safio', veio connosco.
restava apenas este 'safio' (Congro pequeno) que viria por € 3,00!!!
 Voltaríamos ao nosso bairro para almoço.
Um _P_ resguardado onde vive sempre alguém a bordo da sua casa rolante
Já na companhia dos nossos habituais parceiros chegados após o almoço, haveríamos de uma vez mais percorrer a agradável cidade.
Lá no alto sobranceiro à foz do Ave, continua o majestoso Convento de Santa Clara, que a cada dia que passa se vai degradando e as entidades responsáveis teimam em não encontrar solução para a sua recuperação.
A nau quinhentista no local onde existiam outrora os estaleiros navais, a 'marina' e o Convento de Sta Clara




Ao cruzar-me lá no alto por um casal de idosos com ar de gente do campo, ainda a ouvi a ela dizer para ele: ' Ó homem, 'eles' não tem dinheiro para outras coisas... como vão ter 'para isto'?''...
É uma verdade, que ''a nossa gente' se vai acomodando ao avançar ''da crise'' e vão aceitando tudo... lamentavelmente...
notícia de hoje
É claro que, felizmente, ainda vão sendo tomadas posições de alerta por cidadãos conscientes que tudo fazem para que esta letargia 'lesa património' saia do 'marasmo'... 
Um dos locais que mais visito, ou não tivesse o mar à ilharga e não fora tão pertinho da terra onde nasci e vivo...
Dia 10 * 19.maio.13 - domingo
 VILA DO CONDE - VN FAMALICÃO - BRAGA  
Um domingo agradável, mesmo se com chuva entremeada com sol.
Percorridos: 442 Km (Dia 50 Km)
Enviar um comentário