De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

terça-feira, abril 02, 2013

Finalmente! Um pouco de Sol!

A ''queima do Judas'' em V N Cerveira
Dia 30.MAR.13 - sábado
Braga - Ponte de Lima - Viana do Castelo - Vila Nova de Cerveira
à passagem sobre o Rio Lima, em Ponte de Lima
Já tardava na saída.
pela ainda não portajada AE que vai de Ponte de Lima a Caminha/Cerveira
Fui aguardando com uma certa ansiedade a chegada do Sol... já não bastava a austeridade 'troikana', para o São Pedro comungar da mesma estratégia enviando-nos chuva de sobra.
da AE avista-se Caminha e o almejado céu azul. 
Desta feita, rumamos a Norte, até à simpática Vila de Cerveira.
Igreja de Cerveira
Encontramos a terra repleta de forasteiros, sobretudo Espanhóis.
A entrada para o antigo castelo, onde já funcionou uma Pousada
Estacionada a 'africana'' na AS onde encontrou uma vintena de companhias, saímos aproveitando o 'bom tempo' que fazia.
Visitamos a enorme e concorrida Feira. Uma imensidão de tendas. Um mar de gente onde o idioma que prevalecia era o Espanhol (Galêgo), ou não se situasse a Galiza logo ali na outra margem do Rio Minho.
a 'enorme Feira' de Cerveira
O 'cais' do Rio Minho
O agradável passeio pedestre pelos magníficos percursos pedonais ribeirinhos. 
Mesmo se ainda estamos a uns meses da conhecida Bienal de Cerveira, sentimos uma Vila com muita vida, nas esplanadas centrais, na feira e no parque ribeirinho.
O 'barco' da Marinha no poiso habitual.
O regresso ao magnifico espaço para autocaravanistas onde captamos em boa s condições o sinal de wifi (grátis) da autarquia.
A AS para AC
O Rio Minho repleto de águas.
O combóio que segue para Espanha não incomoda já que à noite, não circula.

AS
No final do jantar, sem contar, vimos anunciado um evento a que acabaríamos por assistir.
Com início às 22,30h. - A 'queima do Judas' iniciava-se no Largo principal
A “Queima de Judas” de Cerveira tornou-se, após várias edições com sucesso, no maior espetáculo de teatro comunitário do Vale do Minho, durante a Semana Santa. 

A 'cena' tem início no Largo nobre da Vila. 
As pessoas após a intervenção inicial são convidadas a entrar 'no castelo' onde os 'figurantes' vão interpretando a divertida comédia.
Muita coisa aconteceu durante a representação, mas uma coisa é certa… Judas é condenado à fogueira! 
Antes da sua morte, é lido o seu testamento, no qual é deixado ao Concelho e ao País, um conjunto de conselhos e críticas.
Os 'forasteiros' são convidados a 'levantar' uns pequenos 'judas' que no final revertem para os seus portadores.
O espetáculo magnífico termina por volta da meia-noite.
A meteorologia portou-se lindamente, ajudando à representação.
A crítica mordaz à política e aos políticos imperava de tal forma que ia divertindo a concentrada audiência.
Vila Nova de Cerveira cumpriu a tradição da Queima do Judas, uma festa popular que recupera o ritual pagão da morte do ano velho e da chegada da Primavera, numa representação onde se condena Judas e se festeja a ressurreição de Jesus. 
A 'queima do Judas'
Antes do momento simbólico da morte de Judas, é lido o seu testamento, com conselhos e críticas que, de forma jocosa, ajudam a reflectir sobre acontecimentos sociais e políticos do nosso tempo.
A representação esteve a cargo do Grupo de Teatro Amador de Cerveira - Outra Cena.
Já de regresso 'a casa', haveria de posar de posse do pequeno 'judas' que me tocou, ao pé de um dos 'grandes judas' que decoravam a Vila.
Percorridos: 92 km
 Dia 31.MAR.13 - domingo de páscoa
VILA NOVA DE CERVEIRA - LA GUARDIA (E) - BAIONA (E) - TUY (E) - VALENÇA - VILA NOVA DE CERVEIRA
Edifício Municipal
A passeata matinal, antes da partida para a Galiza, do outro lado do Rio.
O tempo fazia caretas, mas não passou de ameaça.
A Cerveira da Bienal
Vila Nova de Cerveira (conhecida frequentemente apenas por Cerveira) é uma vila portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 1 400 habitantes.
É sede de um município com 108,46 km² de área e 9 253 habitantes (2011), subdividido em 15 freguesias. O município é limitado a nordeste pelo município de Valença, a leste por Paredes de Coura, a sueste por Ponte de Lima, a sudoeste por Caminha e a noroeste pela Galiza.
O ponto mais alto do concelho situa-se no alto de São Paio, com 638 metros de altitude, na freguesia de Loivo.
A sua principal freguesia é Campos, pois lá se situam os dois pólos industriais, que desenvolvem e dinamizam todo o concelho e concelhos limítrofes.
a passagem para a Galiza sobre o Rio Minho
Decidido rumar a Baiona na Galiza.
O percurso escolhido, foi o de contornar o Rio Minho 'do outro lado' passando por La Guardia (A Guarda - defronte de Caminha).
Uma estrada agradável à beira-mar, onde os terrenos agrícolas se estendem até próximo do mar.
o 'farol'
Finalmente a chegada à simpática cidade de Baiona com a sua enorme baía resguardada do oceano.
Caminhamos ao longo da sua agradável marginal.
as calmas águas da baía de Baiona.
Baiona
Ao avistarmos o avanço de nuvens ameaçando chuva, entramos num dos simpáticos bares da terra.
O 'lanche' escolhido para retemperar o organismo, foi um misto de 'tarte de peixe' com 'ovos rotos' com a ''canha'' Estrela de Galícia.
E lá voltamos a calcorrear a cidade.
os bonitos 'varandins' galegos.
O centro citadino
lá como cá




A Igreja da Colegiada de Baiona
A bela colegiada, dedicada a Santa Maria e construída no século XIII, no local de uma anterior que estava sob a jurisdição do Mosteiro de Oia.


o altar-mor

É um grande edifício do gótico galego, embora alguns o considerem de transição românica.
A planta é uma basílica de três naves e usa pilares quadrados com colunas de apoio envolvidas, arcos que por sua vez detêm os decks de madeira.

Mesmo se ligeira, a chuva acabou por nos 'empurrar'' para a casa rolante.
gaivotas em terra? Pois... sobre os tejadilhos...
Havíamos decidido pernoitar por cá, mas... com a hora de verão a funcionar, optamos por o fazer em Tuy.
A passagem em Tuy
Em chegados a Tuy, defrontamo-nos com uma 'festa de arromba', o que nos demoveu a não ficar na sua pequena mas agradável AS pois a música e demais ruído inerente à festa nos fez rumar ao lado Português - Valença -.
O tempo cinzento contudo levou-nos de novo a Vila Nova de Cerveira onde sabíamos encontrar companhia em sossego.
Percorridos: 103 Km ( Total 195 Km)
Dia 1.ABR.13 - 2ª feira de páscoa
VILA NOVA DE CERVEIRA - VIANA DO CASTELO - BRAGA
Depois de uma noite com períodos de muita chuva e até queda de granizo, aproveitamos para retomar o sono até final da manhã.
Os nossos amigos acabaram por partir mais cedo, para almoçar em Viana do Castelo, ficando nós até no Largo da Vila saborearmos o agradável café de pós almoço.
O reencontro deu-se em Viana do Castelo no parque vizinho ao 'Gil Eanes'.
Terminamos assim a pequena viagem de inicio de Primavera que ainda não nos convenceu, mas... pelo menos nos fez 'sair de novo da toca'.
Percorridos: 95 Km Total: 290 Km 
Enviar um comentário