De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sábado, março 16, 2013

O Porto aqui tão perto

Dia 13.MAR.13 - 4ª. FEIRA
P O R T O
Este início de ano, tem sido fértil em dias de chuva, vento, frio e neve, mas também de aumentos de impostos (brutais) sobre a população.
Cortes em tudo, desde a Educação à Saúde.
Tudo somado, a ansiedade e o temor pelo futuro, vão fazendo com que a 'africana' se vá mantendo na garagem.
Como seria previsível, pelo menos em termos de meteorologia, eis que se concretiza a melhoria e o Sol nos brindou nesta 4ª.feira - 13.
Havia de se aproveitar para uma agradável viagem no comboio urbano que nos levou uma vez mais até à cidade do Porto.
Haveremos de repetir esta ementa certamente, alterando apenas alguns dos locais a visitar.
bizarra - Rua Sta catarina
Desta vez, repetimos um pouco aquilo que já conhecemos de longa data, ou seja, subimos a íngreme ''31 de janeiro'' numa manhã onde se estava bem sob o sol já meio primaveril e bastante pior nas partes de sombra, onde um frio puxado a vento nos levava a fechar os agasalhos e a enrolar bem em torno do pescoço o quente e aconchegante cachecol.
Uma olhada curiosa para a 'Batalha' e o passeio de entra e sai nos estabelecimentos da Rua de Santa Catarina.
Mercado do Bolhão 
Chegada a hora de almoço,  ''os Aliados'' onde a granítica e 'descabelada' avenida foi atravessada, para uma visita à minúscula lojinha de materiais de iluminação onde se encontra de tudo, lâmpadas de géneros vários e os tão procurados ''leds'' que no caso das autocaravanas se tornam numa importante melhoria na poupança de energia.
Como se trata de casa onde também se encontram materiais para residências, aqui vai a sugestão: Casa Cofic (Rua do Almada, 262-A) a 30 mts da Avª Aliados. 
Curiosidade: adquiri as lâmpadas Led 10SMD a € 6,95 - 1,5W
A fita de leds a cerca de € 10,00 o metro (preparam no instante).
Paragem obrigatória para almoço, na Praça Filipa de Lencastre, onde ''as diárias'' ainda nos são servidas com razoável qualidade e a preço aceitável.
Haveríamos de prosseguir, descendo a ''Avenida''  em direção ao Mercado Ferreira Borges, e uma vez mais fazer o magnífico percurso que vai da ''Alfândega'' até à ''Ribeira''.
Contrastando com a tarde fria e ventosa, o Sol abria o apetite àquelas e aqueles que o gostam de fruir, ainda mais num ambiente imensamente belo e ímpar.
Esta zona do Centro Histórico, será a área mais antiga da cidade, classificada como Património Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1996 merecidamente.
Um conjunto urbano que se nos apresenta com uma imagem de rara beleza.
 Caminhar descontraidamente pelas típicas ruelas deste núcleo, é depararmos em cada passada com a incontestável hospitalidade das gentes da cidade, que aliado a esta panorâmica deslumbrante sobre o casario e o rio Douro nos fazem sentir num cenário incomensuravelmente   ímpar no Mundo.
A sempre agradável pausa junto ao cais da Ribeira, de onde saem os cruzeiros e onde se saboreia o rio e a vista, ponto de encontro privilegiado da história e das pessoas e palco de animação espontânea regular.
Funicular dos ''Guindais'' que liga ''a Batalha'' ao tabuleiro inferior da Ponte D. Luis
Haveríamos de calcorrear uma vez mais o tabuleiro inferior da velha ponte de Eiffel, batizada de D. Luis I.
do lado de cá do Restaurante... através dos vidros... a Ribeira
Já na margem esquerda, do lado das Caves de ''Vinho do Porto'', uma outra visão da ''Ribeira'' que no seu conjunto nos delicia o olhar.
Mesmo se prefiro ver as velas dos barcos ''rabelos'' na primavera ou verão,  enfunadas ao vento mostrando a sua soberba, contentamo-nos  com o avivar memórias antigas já que os ''pipos'' lá estavam.
Ensaiamos a subida no teleférico que vai da zona ribeirinha até ao Jardim do Morro (ao pé do tabuleiro superior da ponte D. Luis), mas o seu custo algo exagerado fez com que efetuássemos a subida a pé.
 Num murete sobranceiro à Ribeira, retemperamos forças despendidas na subida enquanto o olhar captava mais sensações que o regalavam.
Estarei em crer, que mesmo as gaivotas vem aqui como que a dar ainda um ar mais belo ao local.
Vímara Peres
De novo na margem direita, à saída da ponte, a visita ao largo e à Sé do Porto.
O ''pelourinho'' da Sé do Porto
A Sé do Porto, lá estava no coração do Centro Histórico, com a sua rude mas imponente altivez.
Entrei uma vez mais, mas como em visitas anteriores, não me cativou talvez pela ''escuridão'' sentida e pelas inúmeras reconstruções e consequentes misturas de estilos.
Dali, descemos a estreita e movimentada rua do Loureiro pejada de pequenos comércios, onde a maioria de lojas são de Indianos.
Chegados à Estação de São Bento, de novo de comboio até Braga. Um dia agradável e nada rotineiro.


Enviar um comentário