De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

quinta-feira, janeiro 03, 2013

A caminho de 2013 ( Dias 1 a 5 )

Alguém sabe o que significa ''guarda-soleiro''? Ainda existem!
DIA 1 de viagem - 29.DEZ.12 - sábado
De Braga a Aveiro
Amanhecer de muita chuva e vento. 
A vontade de sair foi abalada... mas... quando a ideia comanda a vida... havia apenas que ser paciente e confiar na mudança aproveitando o presente.
Ouço na rua uma ''gaita'' em vias de extinção. Uma agradável melodia que surgia nos invernos da minha infância... Uma ''carreta'' que mesmo nos dias de hoje, sendo rara... passou a estar montada numa velha motorizada... era o ''Guarda-Soleiro''. Oiçam a melodia AQUI.
Aproveitei para mandar arranjar 4 que precisavam de ajuda, um deles, uma relíquia, um ''Krups'' que o meu pai me deixou.
Fui à garagem buscar a minha casinha rolante que defronte da minha casa foi reabastecida de roupas e géneros e após o almoço lá abalamos em direção a sul.
O céu entretanto foi deixando que o sol fosse espreitando por entre as nuvens. Pouca chuva num percurso com muito trânsito, ou não fora fim de semana.
Paragem em Angeja na ''Albicampo'', onde simpaticamente me repuseram duas luzes de presença laterais e... finalmente... conseguiram que a ''Burstner'' lhes remetesse o trinco do bujão da água que era um dos calcanhares de aquiles da marca, ou seja, vou continuar a usar apenas uma chave para com ela abrir portas laterais exteriores. Parabéns à Albicampo.
Uma chamada para os meus amigos de outras passeatas, Artur e Durães que já estavam instalados na Figueira.
Decidi ficar-me pela sempre apetecível cidade da Ria e dos ''Ovos moles''... Aveiro.
Não me está a agradar nada a ideia de ir à passagem de ano na Figueira da Foz... um mar de autocaravanas... nunca me fascinei com grandes aglomerados de gente, muito menos de casas rolantes... e afinal ainda é cedo para a festarola.
Aproveitamos para dar uma olhada no muito agradável centro comercial que difere de outros tantos pelo facto de a ala central ter sido feita a céu aberto.
Nunca é fatigante deambular com bom tempo e numa agradável noite de luar pelas ruas renovadas ao longo da Ria.
Um dia de final de ano muito agradável, mesmo se a viagem vá decorrendo em cenários já por nós calcorreados várias vezes.
Percorridos: 130 Km
Barra de Aveiro
Dia 2 de viagem - 30.DEZ.12 - domingo
Aveiro - AS Galitos - Barra de Aveiro
A noite já se esperava ruidosa e assim  aconteceu. Aos fins de semana, os jovens passam em alaridos estridentes vindos das discotecas e bares citadinos... 

AS dos Galitos... uma pena o vasadouro de águas cinzentas se encontrar imensas vezes entupido...
Decidido partir após o almoço ''a bordo'', sem que antes arranjasse tempo para ir aos Galitos à AS para AC. Abasteci de água e fiz as descargas para que o conforto não fosse posto em causa.
Uma pena que a higiene do local de descargas das águas cinzentas uma vez mais estivesse entupido... fazendo com que as mesmas fossem rolando via fora...
Nada como dar conta à entidade responsável, o que farei no regresso.
Feitas as despedidas àquela que chamam de Veneza Portuguesa, rumamos a sul, tendo como objetivo diferido a eventual passagem de ano na Figueira.
 Com um dia tão convidativo ''à contemplação''... a viagem foi curta, pois ficamos do outro lado da ria, junto à barra, a tempo de percorrer toda a zona a pé num muito apetecível passeio onde os pescadores abundavam.
Mesmo se ainda havíamos pensado pernoitar na Costa Nova ou em Mira, rendemo-nos à também pacata localidade.
E com as fotos do final de tarde penso ter dito tudo sobre a jornada. 
 Amanhã há mais.



quem chega ao farol passa por várias ruas que vão dar a este _P_, mas todas elas tem placa de sentido proibido a AC... 
os faróis da barra.
Em breve, Jesus voltará... de barco???

aqui senti-me como que capitaneando um imenso barco rumo ao oceano


Já agora, mais um local em que senti a necessidade de erguer a ''parabólica''... a Tdt não chega aqui... mas... consigo net ''free''!!!

a ''barraca''... doa AC
Uma pequena nota negativa a registar: Ao longo deste estacionamento destinado aos AC, há quem traga a ''caravana''... e ''monte'' tenda no relvado, com fogueira sobre a relva... enfim... é o povo que temos...

_P_ - Barra - Gps: N 40º 38' 37.5''   W  008º 44' 29.9''
Percorridos: Dia 25,5 Km - Total: 155,5 Km
manhã de nuvens altas... e a ''tendinha'' dos AC pescadores...
Dia 3 de viagem - 31.DEZ.12 - 2ª. feira
De Barra de Aveiro à Figueira da Foz
Uma noite super calma conforme previra. Consegui mesmo dormir 9 horas seguidas... pelos vistos choveu de noite... nem a senti cair... os meus amigos ligam-me da Figueira dizendo que abriram um segundo parque e que teria muitos lugares caso optasse por lhes fazer companhia.
a passagem na Costa Nova já com a chuva copiosa a surgir.
Com a meteorologia anunciada não era de esperar bom tempo para a viagem. Percorremos paredes meias com a Ria, todo o percurso passando pela Costa Nova, Vagueira e Praia de Mira.
Chegamos a meio da tarde à Figueira com a chuva ainda a tombar. 
À chegada estacionamos ao pé dos habituais amigos mas a chuva não augurava tempo para sair ''da toca''... choveu a bom chover. 
sem sair ''da toca''... cá fora... a água abundava.
Havia de ir preparando a mesa para  ''o aperitivo'' para ir queimando o tempo pois após as 17 horas a noite já havia caído. 
Ainda fiz companhia aos meus vizinhos na ida ao Casino, para a já tradicional ''aposta nas máquinas'' onde não gastei ''um chavo''...
Antes de entrar, um grupo de manifestantes à porta que haviam sido despedidos já que a empresa que gere o casino dispensou o pessoal do restaurante optando por entregar o serviço a empresas externas... sinais dos tempos... lamentável, claro...
panela de pressão com ''turbo''... lá dentro? ''Santolas''... ;-)
Depressa voltamos pois o tempo acalmou e ''no quintal'' das AC... foi montado o sistema gerador de muitas calorias...
Ementa? Azeite, óleo, banha, calda de tomate e ''vinho alvarinho''... o resto... é paisagem...
Havia que rumar ao ''Reveillon'', munidos de ''flute'' e champagne... Pouco antes das doze badaladas, ocorreu um evento que ''diziam os organizadores'' seria o maior lançamento ''de foguetes'' para o Guiness... nada de transcendental... 
Subimos para o patamar sobranceiro ao mar, de onde se avistava parte no ''nosso bairro''... umas boas centenas de AC... 
Como não seria se esperar outra coisa... brindamos ao Novo Ano, que almejamos surja pejado de concentrado de ''energia positiva'', para podermos olhar o sol de todos os dias, com um sorriso estampado no rosto.
E minutos volvidos... ''o pessoal'' deixou nos muros e muretes os copos, garrafas e cápsulas de foguetes...
Dia 4 de viagem - 1.JAN.12 - 3ª. feira
Da Figueira da Foz à Praia da Vagueira
na Figueira da Foz... as AC são mais que muitas...
Como não seria de esperar outra coisa... a noite foi agitada... até já ser dia, as colunas de som debitaram carradas de estridente música que nos fez dormir às prestações...
Da parte da manhã, a caminhada pelo novo paredão e uma vez mais pequena incursão no centro citadino.
Entretanto o sol voltou a sorrir por entre as nuvens sopradas pelo pouco vento que se fazia sentir.
Se a Figueira da Foz tivesse sido criada por decreto, a sua localização não poderia ser mais perfeita: à frente, uma extensa baía que prolonga o estuário do Mondego; do lado norte, as encostas arborizadas da serra da Boa Viagem; e, como que a simbolizar a harmonia entre cidade e campo, o extenso Parque das Abadias, trazendo o verde até ao coração da Figueira.
Uma das imagens de marca da cidade é a ligação ao rio e ao mar. 
A extensa marginal estende-se em quase 3 km até às fraldas da serra da Boa Viagem, passando pela antiga povoação piscatória de Buarcos. Encontra-se toda uma sucessão de esplanadas e restaurantes, uns na frente ribeirinha, outros no extenso areal, em cujas ementas o peixe fresco e o marisco têm lugar de honra. Há, também, alguns edifícios marcantes como o Grande Hotel, com as suas piscinas ou a Esplanada Engenheiro Silva com soberba vista sobre a baía.


Na zona central, entre as ruas pedonais que rodeiam o casino e o mercado (belo exemplar de arquitectura do ferro, devidamente recuperado e sempre movimentado da parte da manhã) há animação garantida. Nessa envolvente situam-se o Museu Municipal Santos Rocha, com interessante colecção de arqueologia, cerâmica e mobiliário e o Centro de Artes e Espectáculos, com extenso programa de actividades, da música ao cinema.


O calendário desportivo é, por via de regra, alargado, tendo os exemplos maiores sido a realização, na cidade, de eventos como o Mundial de Futebol de Praia ou os Seis Dias de Enduro, estes na zona florestal. A completar os programas de praia e animação urbana, a vasta zona florestal da serra da Boa Viagem é um paraíso para os caminhantes, os praticantes de BTT e todos os que gostam de natureza 

Após o almoço, as despedidas e o início do regresso pelo mesmo percurso da vinda.
Paragem para visita e pernoita na Praia da Vagueira, onde existe _P_ destinado a AC. Uma praia que para além de uma opção fantástica para ir a banhos (não agora, claro), mostra-nos também o mais tradicional das artes da pesca. Um extenso areal protegido por zonas rochosas que impedem o deslizamento de areias.
A Praia da Vagueira permite aos veraneantes o acesso à praia por passadeiras de madeira, entre outras infra-estruturas.
Com uma envolvente fantástica de vegetação e paisagem dunar, a Vagueira mostra orgulhosamente pequenas casas de pescadores que nos trazem o mais fresco peixe.
O _P_ destinado a casas rolantes - protegido pelas dunas
A Arte Xávega
De barco, os pescadores lançavam as redes ao mar e cercavam os cardumes. Posteriormente, alavam a rede para a costa, com a ajuda de juntas de bois. Nessa altura, homens e mulheres, colaboravam na azáfama de estender a rede pelo areal e dela arrancar todo o peixe que insistia em voltar para o mar.

Um local calmo para pernoita, mesmo se o bater das ondas é constante
Percorridos:
_P_ - Gps: 
Dia 5 de viagem - 2.JAN.12 - 4ª.feira
Da Praia da Vagueira a Braga
a estrada não é das melhores, mas a paisagem é bela.

da Vagueira até Aveiro, sempre ladeados pela Ria
O amanhecer foi de sol radioso. Um inverno que não tem sido de exageros, salvo um ou outro foco pontual. 
Saímos com passagem pela Costa Nova mas com destino a Aveiro, para pequena visita e almoço ''a bordo'', mesmo se os meus parceiros de viagem tenham ido almoçar ''fora''.
a passagem na magnífica Costa Nova

de novo na Ria - Canal de S. Roque

De novo a caminho de casa, sem antes pararmos em Angeja 
A Ria de novo - AVEIRO
De Macêda a Braga pelas A29 e A3... ''um tirinho''... 
 Percorridos: 435 Km
Enviar um comentário