De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

domingo, maio 27, 2012

Toda a gente sabe...

Toda a gente sabe que a Natureza é bela.
Toda a gente sabe que caminhar é saudável...
Toda a gente sabe que o verde dos campos é bonito...
Toda a gente sabe que as paisagens minhotas enchem o olhar de encanto...
Toda a gente sabe que a beleza dos Pirinéus e dos Alpes são fenomenais, mas o Minho compite pela diferença, com a sua tranquilidade e ruralidade aliviando-nos os stress da mente...
Apontamos para início da caminhada, para a aldeia de MIRANDA - Situada na margem direita do rio Lima, com o Mosteiro de Santa Maria, considerado um dos mais antigos mosteiros do concelho de Arcos de Valdevez dedicados a São Bento, remontando muito provavelmente a meados do século XII. 
Enquanto a coragem não chegava para enfrentar a chuva.
Nada fácil tomar a decisão de ''arrancar'' pois o céu apresentava-se carregado de negras núvens e a chuva começou a cair...
Valeu nesse momento de refleção, o ''abrigo'' fronteiro à igreja...
Depois de uns momentos de ''preguiça caminheira'' à primeira aberta, deixamos a aldeia:
MIRANDAPadroeira: Santa Maria/Nossa Senhora da Conceição.
Habitantes: 325 habitantes (I.N.E.2011) e 638 eleitores em 05-06-2011.
Actividades económicas: Agricultura.
Festas e romarias: Santo António (13 de Junho), Senhora do Emigrante (Agosto), Senhora da Peneda (Setembro).
Património cultural e edificado: Igreja Matriz e Casa da Comenda, capela de Santo António  e Casa da Raposeira..
...verde, casario... qual presépio em Maio...
Com uma paisagem soberba, Miranda foi uma das raras localidades minhotas dedicadas à cultura do trigo.
flores silvestres
um misto de campos verdejantes intercalados por pequenas florestas
A paisagem minhota aqui no coração do Minho, é similar a um gracioso presépio. 
muitas tonalidades de amarelo de Maio
ambiente agrícola... ''parreiras'' tradicionais minhotas
funciona... uma pena o telhado...
os ''garranos'' sempre presentes
momentos de nuvens baixas e chuva à mistura
sinais de fogos recentes... e o verde a ponderar
nem se dá pelo cansaço, tal a beleza do meio
respira-se num ambiente límpido
milhares de minúsculas flores silvestres no piso
de quando em vez um adorno na natureza...
o verde dominante, vai aos poucos sendo invadido por tonalidades diversas
ainda vestígios outonais...
contrastes diversos de belo colorido
Frescos verdejantes
mesmo as rochas se vestem de tons primaveris

e já a tarde surgia
aqui abrimos o ''farnel intercalar''...
para que o cimo se aviste ao longe, a natureza granítica impera

corta-mato? pois claro... faz parte da ementa...
olha... o caminho lá ao fundo... é por lá que iremos...
já faltou mais...
nem sempre os trilhos existiam...
aldeias sempre como pano de fundo
pois... mesmo numa reta... o FLopes caíu... 
Corno do Bico


de quando em vez lindas matas...
o percurso sempre sobranceiro aos verdes campos
ora chovia... ora fazia sol...

um manancial de beleza...
contrastes
até os muros revestidos a verde...
abrigo postal...


Um carro de bois... com garagem.
O escritor arcuense Teixeira de Queiroz deixou-nos um retrato da paisagem da sua terra, quais pinceladas em tons álacres que compõem o mais belo quadro da Freguesia de Miranda. 


 De qualquer volta de estrada se pode apreciar, num resumido fragmento de terra, o folhedo misterioso dos carvalhos, a alegria dos vinhedos manchando a encosta, a casaria branca e o campanário esguio a espreitarem de entre o arvoredo copado, a horta e a seara espalmando-se no estreito vale, o moinho com a sua roda a grassar no fim do açude de espuma branca. É tudo tão pequenino, tão jeitoso que parece poder tomar-se na concha da mão.
Teixeira de Queiroz, in Atlântida
O regresso a Miranda pelas 15h.

o mês das flores... 



Uns 12 km imensamente agradáveis.

Para acabar em beleza o dia, o repasto no conhecido Restaurante Ponte Nova nos Arcos de Valdevez.

Ementa: Espetada de lulas... e o verde branco da ''doutora'' da Farmácia...
Enviar um comentário