De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sexta-feira, março 30, 2012

Vivam as cerejeiras em flor (dia 7)



Dia 7 - 27.MAR.12 - 3ª. Feira
FREIXO DE ESPADA À CINTA - MOGADOURO - MACÊDO DE CAVALEIROS - MIRANDELA
FREIXO DE ESPADA à CINTA
A capital do Manuelino
Logo na abertura do edifício do Turismo, colhemos informação sobre o concelho.
Visita à ''Torre Heptagonal'' sendo que a Igreja Matriz se encontrava encerrada ( mandada edificar por D.Manuel I - Mopnumento Nacional).
Os habitantes chamam Torre do Galo ou Torre do Relógio à ''Torre Heptagonal'', exemplo único de arquitetura em Portugal. Fazia parte de um conjunto de 4, sendo a única que não sucumbiu.
Provém de uma fortificação medieval que foi mandada reconstruir pelo Rei D. Dinis.
Do alto da ''Torre Heptagonal'' sobranceira à Igreja Matriz, avista-se a povoação.
''MANUELINO''-com ''todos''.
Uma caminhada pelas vielas da terra simpática e acolhedora. 
Dizem ser a Capital do Manuelino. 

Quanto ao ''Manuelino'', escandalizados com algumas aberrações que vão das plásticas persianas às portadas de alumínio... enfim... 
Freixo de Espada à Cinta é uma vila portuguesa, pertencente ao Distrito de Bragança, Região Norte e sub-região do Douro (Douro Superior), com cerca de 2 100 habitantes.
É sede de um município com 244,49 km² de área e 3 780 habitantes (2011), subdividido em 6 freguesias. 
O município é limitado a norte pelo município de Mogadouro, a leste e sul pela Espanha, a sudoeste por Figueira de Castelo Rodrigo e Vila Nova de Foz Côa e a oeste e noroeste por Torre de Moncorvo.
O poeta e político Guerra Junqueiro nasceu em Freixo de Espada à Cinta a 17 de Setembro de 1850.
Do Mazouco até às gravuras
Prosseguindo, descemos à aldeia de Mazouco com o intuito de conhecer as gravuras rupestres.
A descida para as gravuras



Ao passar na povoação, dada a estreiteza das ruas, questionamos uma local, que nos disse ser uma boa descida até ao rio e que tinha dúvidas que o caminho mesmo alcatroado permitisse a passagem da autocaravana. Arriscamos! 


Gravuras Rupestres de Mazouco


As gravuras rupestres de Mazouco, situadas junto ao Rio Douro e inseridas numa paisagem magnífica, são um dos mais importantes vestígios da arte parietal do Paleolítico Superior em Portugal e foram o primeiro exemplo de arte rupestre paleolítica ao ar livre a ser identificado na Europa.


O núcleo, é constituido por quatro gravuras sobre uma parede xistosa, sendo que apenas uma das figuras se apresenta completa, foram dadas a conhecer ao mundo científico em 1981. 






A mais nítida é a de um cavalo, tendo ficado conhecida como o “Cavalinho de Mazouco”. 


Com um comprimento de 62 cm, bem definida, dizem os entendidos, ser uma das mais belas imagens da arte rupestre ao ar livre em todo o mundo.

Classificação: Imóvel de interesse público.

estacionados aqui, descemos uma íngreme ladeira até ao rio.
Um local imensamente belo
Uma visão ''globar'' das gravuras, vendo-se à esquerda o ''0 cavalinho''.


A magnífica paisagem circundante.
Feita a visita, havia que regressar pela estreita ''estrada'', havendo necessidade de partir alguns ''galhos'' para não danificar o painel solar da AC. 
Após uns ligeiros suores lá nos desenvencilhámos do imbróglio...
Deixando para trás a simpática aldeia.
Aldeia de Mazouco lá em baixo
e lá no alto, as opções... 
MOGADOURO
Rota das Amendoeiras em flor
Emoldurado entre os Rios Douro e Sabor, o concelho de Mogadouro alberga um sem número de contrastes que fazem dele um dos mais bonitos do Nordeste Transmontano.
muitos ''lares'' nas povoações...
na berma das estradas, a beleza das cerejeiras em flor.
Mogadouro à chegada
Edifício do Turismo





Percorremos a ampla avenida central entrando na parte antiga a caminho do Castelo.

As ruas encontravam-se revoltas com as obras de requalificação.
Passada a Igreja do Convento de S. Francisco (seiscentista), aproximamo-nos do Castelo - monumento do séc. XVII.
Hoje apenas restam dois panos de muralha, classificados como monumento nacional.

Visitamos então a Igreja contígua ao Castelo.

Entramos também na capela situada na parte inferior.


Mogadouro merece ser visitado em qualquer época do ano.
Mesmo em inverno de seca, os verdes em cambiantes que geram contrastes surpreendentes.
Salpicos de flores amarelas que predominam nos campos, sobressai em toda a corda do Sabor, bordejando caminhos e ajardinando serras, em branco o esplendor das enormes cerejeiras. 
MACÊDO DE CAVALEIROS
Breve visita a Macêdo de Cavaleiros
Visita à AS para AC contígua à Piscina Municipal.
(Custo de abastecimento de água € 2,00 e eletricidade € 2,00 /1hora.)
 MIRANDELA
Para terminar o dia, prosseguimos para a cidade já bem conhecida de Mirandela.
 O Parque de estacionamento junto ao rio é um bom local de pernoita.

 E para não destoar, a autarquia brinda a população com internet por wireless grátis.

Ali estacionamos (à esquerda) e pernoitamos.

P - Gps: N 41º 29' 12.6''  /  W 007º. 11' 03.4''
Percorridos:819 Km (Dia 142 Km)
Paisagens maravilhosas de contrastes acentuados: de cores, que vão do amarelo intenso das giestas ao branco das amendoeiras; de formas, onde o planalto se destaca por contraste com as arribas do Douro; da pureza do ar e da preservação dos bens da natureza, sublimados no Parque Natural do Douro Internacional com a riqueza da sua fauna e flora tão característica.
Enviar um comentário