De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

domingo, março 25, 2012

Viva a Arte e Viva a Montanha (Dia 2)

Bugatti
Dia 2 - 22.MAR.12 - 5ª. Feira
CARAMULO - TONDELA -  CABANAS DE VIRIATO- CANAS DE SENHORIM - CALDAS DA FELGUEIRA - PARANHOS DA BEIRA - SEIA - TORRE - MANTEIGAS
MUSEU DO CARAMULO
a MINHA moradia no P do Museu do Caramulo... ao fundo, o Hotel
Museu do Caramulo
Coleção de Arte
Não sendo possível colher fotografias, aqui fica uma ideia desta parte do Museu.
A coleção de arte reveste-se de uma enorme riqueza dadas as diferentes categorias de objetos que encerra e que abarcam um largo período histórico, desde a Antiguidade até à Contemporaneidade, numa rigorosa seleção. 
Iniciada em 1953, por iniciativa de Abel de Lacerda, sob o lema da generosidade, a coleção de arte do Museu do Caramulo foi constituída por ofertas de colecionadores e artistas contemporâneos de renome, como Vieira da Silva, Jean Lurçat, Salvador Dali e Pablo Picasso. 
As salas do museu enchem-se de peças de pintura, escultura, mobiliário, ourivesaria, marfim, vidros, esmaltes, têxteis e cerâmica. Nesta última secção, as peças revelam o gosto e técnica cerâmica das mais diversas épocas, desde o período Han e Tang até uma jarra de Picasso, porcelanas Delft e Ming, com especial relevo para a célebre garrafa de Jorge Álvares de 1552.
Na secção de têxteis, salientam-se 4 tapeçarias monumentais, encomendadas pelo Rei das Descobertas - D. Manuel I - tecidas em Tournai no 1º. Quartel do Séc. XVI. Pelo seu enorme valor cultural, estas peças constituem um meio privilegiado para a compreensão do século XVI, das relações entre Portugal e a Flandres até à influência das Descobertas Portugesas na arte ocidental.
Ao nível da pintura, o Museu do Caramulo apresenta uma seleção de obras de consagrados pintores nacionais, como Grão Vasco, Silva Porto, Columbano e Amadeo de Sousa Cardoso, passando ainda por artistas flamengos como Frei Carlos, Quinten Metsijs, Isembrant, Jacob Jordaens ou franceses como Hyacinthe Rigaud, Frans Pourbus, Raoul Dufy e Fernand Léger.
O núcleo de escultura é composto por peças de artistas portugueses como Salvador Barata Feyo, Canto da Maya, Leopoldo de Almeida ou António Duarte, bem como os estrangeiros, José Cañas e José Clará.
O Museu do Caramulo é justamente considerado um dos principais de Portugal, com criteriosa e rigorosa seleção das obras expostas, constituindo assim uma extraordinária coleção que atravessa todos os domínios da Arte..
A coleção de Automóveis
A coleção de Automóveis, Motociclos e Velocípedes do Museu do Caramulo foi iniciada por João de Lacerda, em 1955, ao adquirir um Ford T de 1925. Desde então, a coleção foi aumentando, encontrando-se hoje em exposição no Caramulo.
Devido ao sucesso do Museu do Caramulo e ao seu enorme prestígio, este foi acolhendo automóveis em depósito, alargando desta forma o espólio exposto.
Contudo, é condição imperativa para um automóvel ser exposto, estar restaurado e com a mecânica impecável, tal como nasceu, permitindo-lhe desta forma circular normalmente em desfiles ou até mesmo participar em provas.
Este objetivo presidiu à construção do edifício anexo, de forma a que cada veículo possa sair instantaneamente sem restrições. Isto porque, todos os automóveis circulam no exterior, pelo menos 2 vezes ao ano, sendo registado, numa ficha individual, tudo o que tiver ocorrido nessas saídas.
O Museu do Caramulo dispõe de uma exposição permanente 30 motociclos e 70 automóveis (dos quais 14 veteranos), representando 36 marcas de 7 países. O mais antigo é um Benz de 1886 e o mais recente um Ferrari 456, de 1998. Existe ainda uma variada coleção de bicicletas e triciclos antigos.
Um para o papá e outro para o menino
Muitos dos automóveis têm uma relação com a História de Portugal. Na coleção automóvel exposta permanentemente no museu pode observar-se:
o mais antigo automóvel ainda em funcionamento em Portugal, o Peugeot de 1899; o Bugatti 35B, em que Lehrfeld estabeleceu, em 1931, o recorde do quilómetro lançado, a mais de 200 km/h;
Carrinhos de sonho para crianças...
Este Mercêdes o Salazar nunca utilizou... fez vida de garagem, pensava ele que o Povo iria dizer que foi o Hitler que lho ofertou... pois era este modelo que o seu colega usava.
o-> Mercedes-Benz blindado e o Cadillac que estiveram ao serviço do Ditador Oliveira Salazar;
Foi neste que o Ditador viajou até à sua morte
o-> Pegaso Sport, oferecido pelo General Franco ao Presidente Craveiro Lopes;
o-> Chrysler Imperial da PIDE que protagonizou a "Fuga da Prisão de Caxias";
Os ''carrinhos'' de Salazar.
o-> Renault que foi pertença do conselheiro João Franco;
o-> Rolls-Royce que serviu a Rainha Isabel II, o Presidente Eisenhower e o Papa João Paulo II nas suas visitas a Portugal;
o-> Fiat oferecido ao Dr. João de Lacerda, pelo presidente do Grupo Fiat. 


Finda a visita, continuamos viagem por Terras do Dão, com paragem obrigatória para almoço na bonita aldeia de Ferreirós do Dão, junto ao Rio Dão com a sua linda Ponte Romana.




 A sempre agradável subida até ao Alto da Torre... na Serra da Estrêla.



O Vale Glaciar do Zêzere tantas vezes revisitado e sempre belo!




O ''matar saudades'' da Casa das Lameiras.
O melhor local de pernoita em Manteigas.
Do Café/Restaurante, avista-se a nossa casinha rolante.
Diz-me webCam onde pernoito... em Manteigas...

Percorridos: 330 Km (Dia 131 Km)
Enviar um comentário