De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sábado, março 28, 2009

África 2008/2009 em Autocaravana - Espanha - Marrocos - Sahara - Mauritânia - Senegal - Gâmbia - Casamansa - Guine-Bissau II

Dia 32 - 26.JAN.09 - 2ª. Feira
CAP SKIRRING
Às 8,30h da manhã, ida ao ‘’atelier’’ de Raymond, natural da Rep. do Togo para inserir na minha AC a gravura da ‘’tishirt’’ que adquiri na viagem do ano transacto na Gâmbia.
Fases de uma ''gravura'' africana... passo-a-passo...
o contacto do ''artista'' - Raymond...
a ''tishirt'', a colagem da fita de pintor e o ''desenho'' a lápis...
(pela manhã, o calor ''aperta''... nada melhor que criar uma sombrinha...)
(um ''mirone'' guineense... e a ''pose de artista''...)
O trabalho teve o seu epílogo pelas 12,30h..
- a ''obra'' terminada,... e a assinatura APK - o pagamento... 10.000CFA - € 15,00 -
Nesse instante desloquei-me ao Restaurante ‘’Le Djemeé’’ do francês Patrick, para disfrutar do apetecível almoço de Gambas grelhadas que merecidamente ganhei por ter sido o 5º. Classificado na ‘’corrida’’ de bicicleta da véspera. Obrigado Patrick le-djambe@voila.fr
(o mercadinho artesanal)
(um invulgar mercadinho ambulante... na bicicleta...)
(até possui... um painel publicitário...)
(para atenuar os malefícios do ''aperitivo''... uma bela salada...)
À noitinha, o jantar ‘’de família’’ para festejar o 59º. Aniversário de Mónique.
PARABÉNS MÓNIQUE
Dia 33 – 27.JAN.09 – 3ª. Feira 
CAP SKIRRING
Manhã de céu limpo e quente. Os meus parceiros passearam com as moto4. Fiquei no ''Senegaulois'' a gravar CD de música francesa.
Não é uma ''mesquita''... São apenas curiosidades africanas...
''dejectos nocturnos''...

Almoçamos em conjunto e da parte da tarde antes de rumar a Cap Skirring, atendo o telemóvel senegalês... era a simpática Ana Claúdia a confirmar que havia encontrado local para estacionarmos em Bissau. Obrigado Ana Claúdia.
nas praias, são mais ''as vacas'' que as pessoas...
pois... a mãe e a filha que não precisa ir à escola...
Em Cap Skirring de bicicleta, prosseguindo praia fora por entre o gado que preguiceiramente se estendia pelo areal até ao ‘’enclave’’ da Guiné (Cabo Roxo).
As praias junto às unidades hoteleiras, repletas de turistas europeus...
desportos para todos os gostos...
Muitos turistas europeus, nas praias adjacentes aos muitos hotéis.
 
eis o velho farol do tempo colonial português... Cabo Roxo... fronteira com a Guiné-Bissau
 
muito embora não existam edificações neste ''triângulo encravado'' na Casamansa... estamos na Guiné-Bissau...
o caminho para o Restaurante... ''Chez Mballo''...
O jantar, teve lugar no já nosso conhecido Restaurante ‘’Chez Mballo’’
à mesa, a nossa convidada: MARIE
A música ambiente
em Àfrica,... tudo é negro!... mas... uma delícia de jantar...
A minha homenagem a Marie...
o ''bailarico africano''...
a ''estrêla'' da noite...
a ''dona da casa''...
Dia 34 – 28.JAN.09 – 4ª. Feira
CAP SKIRRING – ZIGUINCHOR (Casamansa/Senegal) – S.Domingos (Guiné-Bissau) INGORÉ – S. VICENTE
Viagem inesquecível. Saída pela manhã, tendo à chegada, a Ziguinchor adquirido nova Apólice de Seguro que abrange a Guiné-Bissau e outros países circunvizinhos, inclusivé o Senegal.

na fronteira da Casamansa, surge o 1. ''7 place'' da Guiné...  
eis-nos na fronteira da Casamansa... a da Guiné fica a 2 km...
Assim sendo, o seguro contratado tem como prazo mínimo 1 mês, o que me leva a concluir que temos 2 seguros em vigor para o Senegal e Casamansa. Serve de experiência já que numa futura viagem deveremos à chegada ao Senegal, contratar seguro válido para o Oeste Africano, tendo ainda em conta que o seu custo é equivalente. Pagamos por 1 mês: 10.000 CFA (€ 15,00). 

o percurso efectuado na Guiné-Bissau
Várias barreiras policiais, sendo que na que precede a Guiné-Bissau, a 19 km, nos foi ‘’exigido’’ novo ‘’passavant’’ cuja necessidade duvidamos. 
 Entrados na Guiné, 2 km adiante, uma corda é accionada para deter a coluna. Burocracia e curiosidade à mistura, não se sabe bem qual o tipo de ‘’autoridade’’ já que alguns dos ‘’fiscais’’ trajavam à civil e calçavam chinelos... Pagos os 1.000 CFA à polícia, os 1.000 CFA à alfândega, e 5.000 à Direcção de estradas... Um grupo de 5 acompanhados de um militar, passam revista visual ao interior das AC, pois a sua curiosidade é assim saciada... ‘’deliram’’ com as bebidas frescas no frigorífico.

na bifurcação em S. Domingos... à direita Varela e à esquerda Ingoré e Farim.
Continuação da viagem até São Domingos, 7 km após a fronteira, onde a Alfândega nos carimba o documento do Senegal/Casamansa pois não teem impressos para idêntico documento na Guiné.
 as primeiras ''tabancas''... e as zonas pantanosas...

 
Prosseguimos por INGORÉ onde passamos após 54 km após a fronteira.

 os últimos da ''fila'' para o barco...

a ''jangada''... a ponte...
à chegada da barcaça da ''Soares da Costa'', há que registar o ''evento''...
Chegados à margem do Rio Cacheu, junto à obra da nova ponte, consegui ligação com José Manuel Rio (técnico da Soares da Costa), que passados poucos minutos chega numa lancha da empresa e negoceia com a tripulação da ‘’jangada’’ a nossa passagem gratuita pois serviria de paga pelos favores prestados...
aqui é que dá vontade de voltar atrás... 
Sou o primeiro a entrar na jangada... para esquecer... aconteceu-me o mesmo que no ano passado no barco da Gâmbia por Farafeni... a maré estava em baixo. Os meus parceiros de viagem optaram por ficar no estaleiro norte da empresa e eu do outro lado tinha à minha espera um barco da Soares da Costa com o encarregado Sr. Vinhas e demais pessoal a colocar pranchas para facilitar a minha saída ‘’de marcha atràs’’... única forma de sair da jangada...

a beleza da travessia, faz esquecer os problemas...
À noite o barco da empresa transporta os franceses que ficaram na margem norte. É posto à sua disposição gerador de electricidade para alimentar as AC. Na cantina da margem sul, é-nos oferecida visita às instalações e um jantar variado, com vinho e cerveja portugueses.
Jantar oferecido às 11 pessoas... é obra. O meu obrigado à equipe da Soares da Costa.

foi-nos apresentada a ''Vicentina'' a gazela adoptada no estaleiro 

 no final do jantar, o incansável J M Rio leva os franceses à outra margem para pernoitarem nas AC
Percorridos: 5.718 km (Dia 167 km)
Dia 35 – 29.JAN.09-5ª. Feira 
 S. VICENTE – BULA - BISSAU
ainda nas instalações S.Costa,... os ninhos...
as despedidas à linda ''Vicentina''...
 
na mini-cidade dos colaboradores S.Costa já produz bananas...
 
 O padeiro da cidade S. Costa, que é especialista de ''cu duro'' (pão)...
na passagem da ''jangada'' nada melhor que ampliar esta foto, para alimentar o ''ego'' de muitos portugueses...
Viva o FCP!!!
Passagem após 16 km de BULA. Surge então a já construida ponte sobre o Rio Mansoa (Ponte Amilcar Cabral) ao km 5.749, onde pagamos de ''portagem'' 1.000 CFA (€ 150).
não pretendo nenhum troféu... mas dizem-me ter sido a 1ª Autocaravana a atravessar a ponte e a percorrer o país...
SAFIM, pouco antes de Bissau e novo controlo. Esperavam-nos da véspera já que de S. Domingos teriam avisado que não tinham impressos... e... lá preencheram uma a uma as folhas do ‘’passavant’’ por 2.500 CFA.  
Chegada ao Aeroporto de Bissau onde nos encontramos com a jovem professora portuguesa Ana Claúdia que nos conduziu a cerca de 300 mts a uma propriedade de Luso-Guineenses, (D. Fernanda Sr. Pinheiro e Sandra) onde fomos bem recebidos e pernoitamos.


a nossa ''cicerone'' mostra-nos o ''porto'' de Bissau
Ana Claúdia leva-me na sua viatura e os restantes seguem de táxi para o centro de Bissau para um ''tour'' no bulício citadino onde lanchamos um camarão com cerveja ‘’Cristal’’.
nada melhor que uma mariscada de boas vindas... *a esquerda a A Claúdia e à direita a D. Fernanda
À noite, 4 cães de médio porte ajudam a proteger a família, acompanhados de 2 a 3 vigilantes. Percorridos: 5.769 km (Dia 50 km)
Dia 36 – 30.JAN.09 – 6ª. Feira  
BISSAU – BIJAGÓS (Bubaque) 
Breve visita à típica Pensão da Dª. Berta, que cumprimentei! No dia da mulher, o cortejo pelo centro de Bissauaguardando a saída do barco para os Bijagós, a visita ao mercadinho de artesanatono bar contíguo ao porto, as ''super bock'' dão ânimo à equipe... 
Saída pela manhã de táxi para o centro de Bissau, onde entraríamos no ‘’Expresso de Bijagós’’ (antigo cacilheiro que fazia a travessia Lisboa/Barreiro). já a bordo... a publicidade à simpática pensão da Dª. Dora em Bubaque
Viagem agradável de 4 horas com mar calmo.
À chegada a Bubaque aguarda-me Susana, a filha da D. Dora, para nos conduzir à sua pensão onde jantamos e dormimos.
Dia 37 – 31.JAN.09 – Sábado 
BIJAGÓS (Bubaque) 
Logo de manhã, alugamos 5 bicicletas e percorremos os 19 km até ao lado poente da ilha, onde aproveitamos para ir ao banho, até que uma negra grita pois tinha um pé ferido por uma raia... O mesmo aconteceria a jovem pediatra guineense que vive em Itália e que viaja com três jovens italianas ( Uma Médica-Veterinária, uma Médica Reumatologista e uma enfermeria)... tudo gente alegre e bem disposta. Decidimos voltar e fazer algumas paragens nas ‘’tabancas’’ onde os miúdos ao ver-nos passar diziam: ‘’branco’’ ‘’branco’’... e pediam ‘’bic’s’’... 
Na mesma pensão estavam hospedados dois cooperantes portugueses, o Diamantino e o João. Ambos chegados da pesca submarina (o Diamantino provou que é ‘’artista’’), mostram-me os
‘’troféus’’ da pesca matinal... Uns 40 kgs de peixe de grande porte! Parabéns Diamantino.
Almoçamos a meio da tarde e demos uma volta pelo pequeno porto onde encontramos numa folha A4 a informação de que o barco no dia seguinte sairia 2 horas mais cêdo (ao meio-dia)... poupariam combustível ao aproveitar as marés...
 
À noite de novo um jantar servido na D. Dora e novo passeio pela aldeia onde as ‘’lojas’’ estavam assinaladas por velas acesas.
 









Dia 38 – 1.FEV.09 – Domingo  
BIJAGÓS (BUBAQUE) – BISSAU
 
Pensão EDª. Dora - a Dª. Dora e a sucessora Susana...
Pela manhã, visitei caminhando a zona noroeste da ilha.

''bafatórios''??? carne de macaco???...

próxima,... outra ilha...
 
a praia mesmo ao lado do porto de bubaque 
Eis que chega um pequeno monomotor de 5 lugares... O avião, faz um voo rasante à pista para afastar o gado, as galinhas e galos e porcos...

Nele chegam dois passageiros com apetrechos de pesca... vem da Casamansa ... nada de controlo de passaportes, de outros documentos ...
 
Entendo agora porque motivo a Guiné-Bissau se transforma num paraíso para os traficantes de droga!...
E entre as ilhas a cena repete-se com o vai-vém de lanchas ‘’tipo militar’’ conduzidas por brancos de aspecto mafioso que entretanto acostam a barcos de maior porte estacionados próximo das ilhas.
 
uma imagem que merecerá ser ampliada... descubram de onde sai a palmeira!...
Ao meio-dia e meia, o barco sai do porto circundando a ilha de Bubaque e passando próximo de outras...

na coberta do ''cacilheiro'' prestes a partir...
  
o cais
     os pescadores na piroga      

um ''gentleman!''...

 à partida, uma algazarra imensa...
 

 a passagem junto a outras ilhas Bijagós
Uma simpática médica veterinária Italiana da ONG ''Toka Toka
Chegada a Bissau. Espera-nos uma pratada de ''ôstras'' que a D. Fernanda e a Sandra haviam encomendado. Um empregado coloca-as ao fogo do carvão,... e nada melhor que regá-lo com umas garrafitas de Mateus rosé... fresquinho...
 
são ''ostras'' senhor!... são ''ostras''...  
Dia 39 - 2.FEV.09- 2ª. Feira  
BISSAU - Rápidos do Saltinho
Havíamos pensado visitar Quinhamel.
Tinha até os ''táxis'' contratados... e no dia seguinte, havia proposto irmos dormir a uma tabanca próximo de Bafatá, onde poderíamos ser brindados por músicas tradicionais. Acontece que sobretudo um dos casais que nos acompanha, deseja regressar para S. Vicente onde ficaram as suas moto4, e é-me dito que não gostam da Guiné por não poderem falar com oslocais...
Fico danado... gostaria de conhecer melhor o país.
Terei de voltar com mais tempo!
Consegui contudo seguir em direcção dos ''rápidos de Saltinho'', local emblemático, onde o PAIGC iniciou a luta de guerrilha contra os portugueses.
Ficamos instalados na Pousada de um português de Lagoa.
''POUSADA DE SALTINHO'' que serve de apoio aos amantes da caça e pesca. 
Percorridos: 5.942 km (Dia 178 km)
Dia 40 - 3.Fev.09 - 3ª. Feira
SALTINHO - INGORÉ - S. VICENTE (Guiné-Bissau) - MPACK (Fronteira Casamansa) - ZIGUINCHOR
Pela manhã, despedimo-nos do casal Patrick e Marielle que decidiram descer até Catió no seu 4x4 Toyota na expectativa de encontrarem enormes chimpanzés, elefantes e hipopótamos... lamentávelmente não os acompanhei pois nos 100 km de distância predominam as ‘’picadas’’, e como não conheço, decido pela saída em direcção de Bissau com os meus ‘’enjoados’’ companheiros de viagem.. Várias paragens nas ‘’tabancas’’ contíguas à estrada. Pouco artesanato disponível, apenas os tradicionais bancos talhados na madeira e umas miniaturas de bancos e mesas do género de ‘’bambú’’. A cerca de 50 km de Bissau, na paragem de controlo policial, distribuo brinquedos pelas mulheres polícias que ficam radiantes. Uns km mais e em novo controlo eis que se acerca de mim o guineense (pediatra) que conheci na D. Dora nos Bijagós, e logo de seguida fui apanhado nas máquinas digitais das 3 jovens italianas que com ele viajam... Já próximo do desvio para S. Vicente, paramos para pequeno reabastecimento de legumes e tímidamente numa viatura um jovem sargento do exército português cumprimenta-me... Feita a foto da praxe, regressamos aos estaleiros da Soares da Costa onde chegamos pelas 13horas. José Manuel Rio liga para o barco e decidimos encaminhar-nos para o Rio evitando o aglomerar de viatiuras. Apenas um ‘’7 place’’... e até à tardinha aguardaremos na ‘’tête’’ da fila a passagem para a outra banda. Pelas 16h. finalmente embarcamos a custo zero... por recomendação dos nossos amigos da Soares da Costa. não sem antes metermos no acesso à jangada,... duas pranchas para evitar danos como havia acontecido na semana anterior. Chegados à outra margem, os meus parceiros ‘’engatam’’ os reboques com as moto4 e seguimos para a fronteira. Paramos em INGORÉ para um último controlo e carimbo de passaportes. Logo após, em S. DOMINGOS, reconfirmamos a existência de ‘’tabancas’’ de refugiados da Casamansa – MPACK (aldeia fronteiriça Casamansa), significando que o conflito que opõe o Movimento de Libertação da Casamansa, ainda não terminou. Na fronteira, de novo paragem para entrega do ‘’passavant’’ na Alfândega e nova visita à AC de dois ‘’civis’’ não sei se da polícia se da alfândega... Km 6.222,5 Do lado da Casamansa (Senegal), emissão de novo ‘’passavant’’ por mais 10 dias pelos já habituais 2.500 CFA. À chegada a Zinguichor, estrada barrada – são 19,05h. Os Gendarmes alegam que tem ordens do Governador para não deixar passar viaturas após as 18 horas... salvo se... lhes dermos 5.000 CFA por viatura,...negociamos 10.000 CFA (€ 15,00) evitando assim discussões intermináveis...  
Havia encontrado na net um novo Camping em Ziguinchor, a 2 km na estrada para Koldra... a estrada está completamente destruida, mas lá fizemos os 2 km e finalmente chegados... esperava-nos um jovem casal – ela francesa e ele senegalês... local simpático... ofereceram-nos um ‘’aperitivo’’ de boas-vindas – Sumo de Cana de Açúcar com limão e gêlo... é que somos os primeiros clientes do Camping!... Recordaram-me que haviam lido o email que lhes havia endereçado no ano passado,... 
Camping Casamance – (00)+221+777353400 maelle@campingcasamance.com www.campingcasamance.net  
Percorridos: 6.243 km (Dia 301 km)
Dia 41 – 4FEV09 – 4ª. Feira 
ZIGUINCHOR – BIGNONA –ABÉNÉ PLAGE- KAFOUNTINE
De manhã, os meus parceiros sairam com as moto4. Decidi seguir a pé, estrada fora até ao ‘’Marché Artisanale’’ que fica para lá do centro de Ziguinchor... percorridos os cerca de 6 km, visitei o Mercado de Artesanato. Acabei por fazer 2 compritas... Um ‘’velho homem’’ característico da Casamansa (Pediram-me 25.000 CFA, veio por 10.000 CFA/ € 15,00) e duas bonecas retratando as vestes da mulher da Casamansa (Pediu-me 5.000 cada... trouxe duas por esse montante. O almoço, confeccionado pela proprietária do Camping – ‘’gambas’’... pagamos o camarão – 20.000 CFA, e a pernoita com electricidade foi-nos oferecida. Demos 10.000 CFA para pagar a electricidade. Chegados a BIGNONA ao Km 6.330, desviamos em direcção de Kafountine. Pelas 14,30h., seguimos até Abéné Plage, onde procuramos dois ‘’campement’s’’, o Le Kossey e ainda o Le Kalissai, mas não achamos os locais de aparcamento adaptáveis a AC. Acabamos por vir a ficar nos terrenos contíguos ao Hotel Le Karone já nosso conhecido. 
‘’ Le Karone’’ a 5 km de Kafountine... www.lekarone.net Mesmo ao lado da praia...local paradisíaco. (+221) 33 99 48 525  
Percorridos: 6.374 Km (Dia: 130 km)
Dia 42 – 5FEV09 – 5ª. Feira 
KAFOUNTINE
Logo de manhã os meus parceiros rumaram de moto4. Fiquei a colocar bacalhau de molho pois amanhã toca-me a mim pela 2ª. vez confeccionar o almoço para os 9!  
À sombra do enorme ‘’casarão’’ está-se bem, escutando o chilrrear dos pássaros e o bater das ondas... Após o almoço a 5, saquei da bicicleta e rumei a Kafountine que dista 5 km do Hotel ‘’Le Karone’’... fui à internet – cara comparativamente com outros locais (1.000 CFA/hora) e assisti à festa de um ‘’baptizado’’... ou seja,... uma festa/dança de mulheres trajadas ‘’à rigor’’...








Mais adiante um ensaio para o carnaval,... 

No regresso, junto à praia, a azáfama dos pescadores...  
O jantar trivial de camarão e... assim se passou o dia... alegremente.
Dia 43 – 6.FEV.09 – 6ª. Feira  
KAFOUNTINE
Dia algo fresco e ventoso. Como previsto, coube-me a tarefa de preparar o almoço para os 9. Migas de bacalhau com grão de bico, ovo e batata cozida. A acompanhar um verde branco fresco. À tarde foram uns para a piscina bronzear-se e outros passearam de moto4. Fiquei-me pelo sossêgo...
Dia 44 – 7.FEV.09 – Sábado 
KAFOUNTINE– BIGNONA-(Casamansa/Senegal)-SELETY (Gâmbia) BOUJOUL – (Gâmbia) – BIRKAMA - BARRA - KARANG (Senegal) - TOUBACOUTA
Saída pelas 8 horas da manhã. Percorridos calmamente os péssimos 30 km até Bignona. Chegados a Selety, enfrentamos as burocracias do Senegal ao Km 6.415, e 2km após a fronteira da Gâmbia. Para a Polícia, 3.500 CFA (€ 5,40) e para a Alfândega o ‘’passavant’’ por 26.000 CFA para as nove pessoas, que após o câmbio ficou em 3.150 Dalasis. Assim por pessoa pagamos € 4,44. Aos franceses exigiram ainda pelos reboques 5.000/cada, negociado o preço, ficou-lhes a festa em mais 2.500 CFA (€ 3,85). Após uns 2 km novo ‘’cheque-point’’... o polícia pede 1.000 CFA por viatura. É claro que é quási nada, mas sabendo que estas quantias são para os agentes,... ‘’passo-me’’ com a ideia e no meu inglês fracote dou-lhe uma massagem ao cérebro e deixa-nos partir. Uns km mais à frente, na estrada de piso barrento mas... muito melhor que no ano passado, novo controlo policial. O agente pede-me para transportar a sua mulher a Birkama pois está doente e vai ao hospital. Uns 3 km adiante e novo controlo policial. De novo pedem 1.000 CFA. Discuto com o polícia, e quando me convém digo que não falo inglês... lá seguimos. Chegada ao alcatrão ao Km 6.437 em BIRKAMA, e a Boujoul ao km 6.474. Aqui recomeça a ‘’dança’’... do meio dia até às 4 da tarde, não saimos do sítio estacionados nos espaços livres junto aos passeios. Sempre que avançamos em demasia, o polícia de serviço, obriga-nos a dar uma volta ao quarteirão, Até que às 17 horas vou lentamente avançando para o interior do porto, não senão antes, um intermidiário perguntou ao polícia quanto queria para nos deixar passar. Pediu-nos 10.000 CFA, acabando por lhe ser dado por um dos franceses € 10,00 para nos fazer entrar no porto. Eu próprio saí às 18 horas e cheguei a Barra 1 hora mais tarde. Mais 2 barreiras policiais mas rápidas... O último a chegar a Barra, foi Camille e Mónique, pelas 21 horas. Chegados a LARANG, ao km 6.496. Lá prosseguimos a viagem nocturna até Toubacouta sem que préviamente tivessemos falado. para o ‘’Afrika Strick onde chegamos às 23 horas.  
Percorridos: 6.530 km ( Dia 156 km)
Dia 45 – 8.FEV.09 – Domingo  
NIANING
Saída pelas 8,30h. sendo que os primeiros 20 km de razoável piso, mas, até Kaolac, piso intragável. Alguns km fizemos nas pistas de areia ao lado. Kaolac ao Km 6.598 

Passado o suplício, eis-nos chegados a Mbour e finalmente a Nianing onde pernoitamos no espaço ‘’campemente’’ propriedade com wc, electricidade ao lado da casa dos proprietários de ‘’Le Ben’ Tenier’’ – Hotel – Restaurante c/ Piscina. 
Telef. +221-339571420  www.lebentenier.org 
email: bentenie@orange.sn  
Percorridos: 6.719 km (Dia 189 km)
Dia 46 – 9.FEV.09 – 2ª. Feira 
NIANING
Dia quente, algo ventoso. A manhã dediquei-a a pequenos arranjos na AC. Lavagem do painel solar e reaperto de partes da antena parabólica que francamente não utilizei após Marrocos. 

À tardinha segui para Saly Portugal de bicicleta para jantar com a equipe no restaurante ‘’ FACE A L’OCEAN’’ Chez Maxim’s, especialista em frutos do mar – lagôsta, no coração do porto de pescadores ao pé do Hotel Saly. 
a minha bike a ser cobiçada pelos locais...
MENÚ: Aperitivos (oferta) - 2 espetadas de peixe, 2 espetadas de gambas – ‘’a lagosta que vos diz boa noite’’ antes de ser grelhada... Arroz com salada de cebôla... Bebida : ‘’rosé’’, Sobremesa: frutos exóticos à escolha... tudo por 15.000 CFA/pessoa ( € 23,00)! Batucada à mistura...  
do lado de cá da bicicleta... jantamos e escutamos os animadores de praia...
Regresso de bicicleta equipada com luzes e refletores (16+16 km), e os meus amigos a fazer escolta após 8 km,... noite quente... estrada fora... jamais havia pensado...
Dia 47 – 10.FEV.09 – 3ª. Feira  
NIANING – MBOUR – SALY PORTUGAL – THIES St. LOUIS – próximo de ROSSO
Partida pelas 8,30h. em direcção de MBOUR. THIES ao km. 6.782. Paragem ao meio dia para almoçar. Dia quente, cerca de 36ºC... nova paragem às 4 da tarde em St. Louis para atestar o depósito e os 2 ‘’jerrycans’’. 

Às 5 da tarde é-nos dito que em França neva e chove torrencialmente, e nós a rolar com o ar condicionado ligado pois a temperatura havia descido para os 30ºC!!!

Estradas razoáveis (boas), salvo os últimos kms antes de Rosso. Pelas 17,30h. estacionamos num enorme terreno contíguo à estrada a cerca de 30 km da fronteira de Rosso. Decidimos pernoitar aqui para enfrentarmos a passagem do barco e a burocracia de Rosso/Mauritânia.  
o verdadeiro campismo selvagem!!!
Percorridos: 7.048 km (Dia 319 km)
Dia 48 – 11.FEV.09 – 4ª. Feira  
Parking ‘’selvagem’’ – ROSSO (Senegal) – ROSSO (Mauritânia) – CHAMY – Est. combustível CHAMY
Às 7,15h da manhã estavamos já em marcha,... e logo no caminho de Rosso, fila de 36 camiões carregados de barras de aço. 
 Negociamos préviamente com IFRA DIAW, jovem mauritâniano que calmamente dá a volta às burocracias... Avançamos para o ‘’porto’’, ultrapassando as trinta e tal viaturas de aço... Na outra margem, fizemos as contas com Ifra e o seu amigo da polícia... Desde as 8 da manhã que aguardavamos a vez na fila de camiões... dizem-nos para ultrapassar a ‘’coluna’’ e lá passamos para a outra margem.  

A minha homenagem ao jovem IFRA DIAW, que através dos seus telemóveis do Senegal: 00.221.776141251 e Mauritânia: 00.222.6472950. Passagem do barco ao Km 7.084. com passagem em Nouackchot ao Km 7.282. Percorridas umas dezenas de Km’s, eis que a AC de Claude tem um peneu rebentado... A equipe ajudou... et voilá! De novo temperaturas entre os 30ºC e os 39ºC., estando nós a receber informação de que na europa as coisas da meteo não são muito famosas... 
Pernoita, na estação Serviço entre Nouackshot e Nouadhibou   
Percorridos: 7.538 km ( Dia 490 km)
Dia 49 – 12.FEV.09 – 5ª. Feira  
CHAMY
Pela manhã indagamos o gerente da Estação de Serviço se poderíamos estacionar na área própriamente dita, pois pretendíamos visitar o Parque Nacional D’Argan – zona protegida. Foi-nos pedido o pagamento de € 100,00 e ainda o vigilante nocturno... Claro que não aceitamos e ao mesmo tempo decidíamos voltar atrás uns 100 mts para estacionar próximo da ‘’casinha’’ dos guardas do parque.  
E aqui ficaram sossegadas as AC. Seguimos nas 4 moto 4 e eu a bordo do Toyota.
O ''camping'' do Parque Nacional D’Argan
Adquirido o documento de acesso – 2 dias = 2.400 UM (Ouguias) (€ 8,00).
O guarda do parque, de nome ''Iveco'', de turbante negro, dava um aspecto assustador,... puro engano, de uma simplicidade e humildade tocantes...
Foi ao pequeno povoado em busca de peixe para todos. Bastou um, dado o seu tamanho. 
O Iveco transporta o peixe na companhia das minhas amigas francesas
Uma das mulheres preparou o jantar... uma delícia!... 
 Dia 50 – 13.FEV.09 – 6ª. Feira
CHAMY – NOUADHIBOU
 Pela manhã, levantamos ferros e fizemos o percurso de regresso. 4 motos 4 e o Toyota que me levou de volta à AC.
a alvorada... no deserto. Fiquei na tenda...
Iveco acompanhou-nos pelo que prescindimos do GPS. Incrível passar por entre dezenas de ''trilhos'' e fazermos o caminho mais curto. Levou-nos aos primeiros poços que forneciam água em pleno deserto.
um dos históricos poços de água no deserto

À saída, mesmo se a areia aguentava a passagem das AC, houve quem necessitou de ajuda.
Finalmente partimos de regresso, sem que antes Iveco me tivesse adoptado o meu cachecol  que adornava o tablier da AC.
Entretanto, Claude presenteou a hospitalidade de Iveco com a oferta de uma bicicleta que ele adorou!
Estrada fora e paragem na sempre desértica estrada para almoço.
E que me dizem desta estação de serviço Michelin!?
não sei quantos peneus terá... mas que existe... existe...
a última carruagem do maior combóio do mundo!
à noite, chega um combóio humanitário francês com destino ao Burkina Fasso
 Percorridos: 7.794 km (Dia 256 Km)
Dia 51 – 14.FEV.09 – Sábado 
NOUADHIBOU (Mauritânia)
Pela manhã saímos de Moto4 e eu com no Toyota de Annie e Gérard. Visitamos o Centro de pesca desportiva. 
é sempre bom passear próximo destes bichinhos
O vento impediu-nos de apreciar a beleza do local, tal a sua intensidade. 
Almoçamos solha e lagôsta, à boa maneira mauritana, tudo por 7 200 UM (€ 8,00). 
Seguimos ao longo da linha de caminho de ferro até aos estaleiros de descarga de minério, prosseguindo para a Praia Branca onde ainda avistei uma foca. 

O vento era tal que arrastava imensa areia fina, tal e qual as nossas ‘’nortadas’’... À noite, nova comemoração do ‘’São Valentim’’ com uma salada de vegetais e lagostins e a finalizar, 3 ‘’lagôstas’’ de médio porte assadas, a cada um dos 11 convivas... préviamente negociado por 5.000 UM ou € 15,00!!!
a muito custo, aceitaram a foto, e surpresa minha,... retiraram os turbantes... mas... achei interessante com o turbante e... simpáticamente anuiram ao pedido.
Dia 52 – 15.FEV.09 – Domingo  
NOUADHIBOU (Mauritânia) – Est. Serviço LAMHIRIZ (SAHARA/Marrocos)
Saída pelas 8,30h. Dia soalheiro e calmo. O vento da véspera não ficou por cá... ainda bem já que seria um aborrecimento passar a ‘’zona de ninguém’’ com areia puchada a vento...
 
na despedida... o maior combóio do mundo...
verdade ou não,... há que evitar ''as minas''...

a fronteira mauritana antes da zona de ninguém
Fronteira mauritana ao Km 7.853 ( 9 km ). Após o chek-point mauritano (50 km após), captei o sinal do telemóvel Uzo e Optimus... mesmo na ‘’zona de ninguém’’ consegui telefonar... e... os 4 km de ‘’pista’’ – um misto de pedra, saibro e areia, foram ultrapassados calmamente, sem ‘’atascanços’’!...
Talvez o vento da véspera tenha limpo a areia que bloqueia os incautos... Lado marroquino ao Km 7.857.  
Do lado marroquino sentem-se melhorias em termos de instalações e também finalizam o arranjo fronteiriço... a burocracia policial é que não muda...
 
 
MULHERES MAURITANAS na fronteira... o polícia exigiu que destruisse todas as foitos da fronteira, excepto esta a meu pedido...
Saída pelas 13 horas... desta vez, pese embora a simpatia dos vários intervenientes, demoramos umas horas nas filas da gendarmerie, da polícia e da alfândega... Após ligeira refeição, seguimos estrada fora até cerca das 19,30 horas... e a 20 km da estação de serviço, Claude fica sem gasoleo!...
O irmão tinha um jerry-can de reserva e solucionou a questão... Eis-nos na área de serviço que dista 175 km de Bondjour, onde jantamos e pernoitamos.  
Percorridos: 7.946 Km ( Dia 152 km)
Enviar um comentário