De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sexta-feira, fevereiro 21, 2014

Dias 7 a 9 de viagem - De Algeciras a Kénitra - 18 a 20fev2014

a travessia do 'estreito'... com sol e o 'rochedo' de Gibraltar para trás.
Dia 7 - 18fev2014 - 3ª. feira
ALGECIRAS (Los Barrios ) - TÂNGER (Mediterranée) - Ksar-es-Seghir - ASILAH
A meio da manhã, avançamos para o porto de Algeciras.
Chegamos à pequena fila para entrar no ferry pelas 9h da manhã (10h em Espanha) sendo que a partida do barco seria uma hora mais tarde.
Enquanto esperavamos, foram entrando para a embarcação umas dezenas largas de T.I.R., o que retardou enormemente a hora da partida...
a 'descida' para o porão do Ferry...

Seriam meio-dia e trinta quando entramos para o porão do ferry... 

Um belo dia para a travessia, mesmo se como é habitual, um vento desagradável nos atinge.
Logo no início da viagem, fizemos fila defronte de uma mesa onde um polícia Marroquino trajando à civil, nos inseria no portátil os dados do passaporte.
Restaria a parte burocrática à chegada na alfândega relativa à viatura.
Mesmo aí, as coisas correram bem, mas... e há sempre um mas... as viaturas marroquinas são objeto de grandes revistas pelo que estacionam anárquicamente não deixando que quem já se livrou dos 'papéis' tenha de esperar que uma 'brecha' nos facilite a saída...
À saída do porto haveríamos de fazer o câmbio dos € para os locais Dirahms...
O combustível, a uns 3 km, após a entrada para a AE ao preço de € 0,90!!!
Ainda encetamos a viagem pela estrada nacional, mas percorridos uns 3 kms haveríamos de decidir voltar atrás e fazer o percurso pela AE.
As AE Marroquinas tem ainda uma particularidade: pessoas circulam nas bermas e atravessam mesmo as vias... e os rebanhos pastam ao lado com o olhar atento dos pastores...
E assim o tempo dispendido encurtou consideravelmente evitando os contratempos de ultrapassagens e piso algo duvidoso...
Ficou-nos a portagem por 65 Dir ( € 6,50 )... 
Asilah onde as reminiscências portuguesas são patentes
Chegados a Asilah, optamos por não entrar em nenhum dos 3 campings existentes pois notamos que finalmente as autoridades permitem o estacionamento e pernoita junto à muralha do tempo dos Portugueses.
Para tal, colocaram lá 'un gardien' que nos cobra pela pernoita 40 Dir!!! (€ 4,00)... 
Uma compra que de imediato realizamos: 1 carta da Marroc Telecom - a forma mais económica para falar para Portugal. Fica cada minuto para a rede fixa e móvel por 1 Dir. ( € 0,10!)... das inúmeras cabines existentes em todo o País.
a 'mesquita'... no centro histórico de Asilah
Voltamos a calcorrear as estreitas ruas da parte muralhada e uma das ruas comerciais da terra.
a combinação e diversidade de cores seduz, até com o calçado
O sol continuou a brindar-nos. O vento e algum frio à mistura, toleramos...
o interior da fortificação
ASILAH é uma cidade serena e localizada na costa do norte de Marrocos com um ambiente relaxante.
Tem edifícios de influência mediterrânea, envolvendo casas pintadas de branco brilhante e azul, contendo pormenores azuis, também, nas portas. As muralhas foram construídas à volta da cidade velha, que lhe dá o prazer de se poder sentar para ver o pôr-do-sol. Oferece excelentes vistas para os turistas. 

Várias são as atrações em Asilah, como as compras, as praias, a Medina, as suas muralhas e as pinturas nos muros (marcas coloridas realizado no festival cultural).



História
A sua história começa desde 1500 aC, quando os fenícios utilizaram a cidade como base para o comércio. 
Os Portugueses conquistaram esta cidade em 1471, mas João III decidiu abandonar devido a uma crise económica em 1549.
Foi conquistada pelos árabes em 712 e renasceu com o nome de Asilah, sendo um ponto de ligação para os comerciantes do sul da Espanha e regiões vizinhas.
Moulay Ismail tornou-se líder da cidade em 1692. Asilah serviu como apoio para os piratas entre os séculos 19 e 20, em 1829, mas os austríacos bombardearam a cidade devido à pirataria marroquina.
Em 1878, realizaram um grande plano para a renovar. Durante os primeiros anos foram iniciadas numerosas infraestruturas, pontes, estradas, ferrovias.
Hoje, Asilah é um porto popular, com um conjunto de apartamentos modernos de férias na estrada da costa. Os festivais de arte e música são realizados anualmente, incluindo o festival-pintura.
Em 2006, o novo centro cultural da cidade é a biblioteca, inaugurada Mediática príncipe Bandar Ben Soltane. História de Asilah é a história da África do Norte.
Percorridos: 1.302 Km ( Dia 105 Km )
_P_ Gps N 35º 28´05.8''  W 006º 02´11.1''
o percurso efetuado no 1º dia de viagem até Asilah
Dia 8 - 19fev2014 - 4ª. feira
ASILAH - LARACHE - Souk-el-Arba du-Rharb - KÉNITRA
Um duche quente a 'bordo' retemperador, ao despertar numa nova manhã de sol.
Uma passeata nas ruas pejadas de bancas de legumes e outras coisas úteis...
A ida a uma agência de telecomunicações para ver se ainda estaria ativa a 'pen' para a internet o que felizmente aconteceu!
Esta 'pen' foi-me deixada em Messines pelo Amigo autocaravanista Arlindo Sousa (que atualmente passa temporada no Brasil) a quem endereço o meu agradecimento.
Com os 150 Dir (€ 15,00) inseridos... terei net 24/24h por um mês... 
nesta visita... vejo menos 'burros'... para onde terão ido?
Encontra-se de tudo... nas ruas de Asilah
O peixe nas ruas... é frêsco!!!

O 'Je'... apanhado... nas comprinhas...
O pão Marroquino em forma de 'pizza'... é delicioso... uma pena os cuidados de higiene... 
francamente... não consigo provar... será iogurte? será queijo fresco?... Nã!!!
antes da saída... 'o nosso bairro'...
Um 'malhado' simpático...

De novo estrada fora... desta vez pela 'nacional'... por entre enormes planícies como se foram imensos oceanos de verde... mas... em vez de barcos e peixes... rebanhos a pastar de obinos e caprinos...
Percorridos: 1.494 Km ( Dia 192 Km )
Pernoita: Camping de la Chenaie - Gps N 34.25692 O -6.56787 (repleto)
Dia 9 - 20fev2014 - 5ª. feira
KÉNITRA - RABAT - KÉNITRA
O camping encontra-se repleto, ao ponto de a eletricidade não ser suficiente para fazer 'arrancar' o frigorífico tal o nr. de utilizadores... o meu vizinho tem até uma máquina de lavar roupa 'portátil'...
A cidade tem cerca de 150.000 habitantes e já esteve cá instalada uma base aérea dos EUA durante a 'guerra fria' base essa encerrada em 1991.
as super sumarentas laranjas Marroquinas vendem-se em todo o lado...
A parte da manhã serviu para a habitual passeata pelas ruas onde o habitual bulício ocorre. As cores e odores característicos de Marrocos sobressaem.
bananas são também vendidas 'aos molhos'...
e os morangos?
metade da loja... vem para o passeio...
Após o almoço, decidimos fazer uma viagem de combóio!
Nem mais. Como em RABAT o 'camping' do lado de Salé foi encerrado, aproveitamos para esta experiência.
Rabat dista uns 40 e poucos Kms. O combóio é 'direto', apenas pára na Gare da Medina (onde embarcamos) que dista uns 900 mts do camping, depois no centro de Kénitra e volta a parar em Salé (antes de atravessar o rio) e Gare de Rabat.
O custo do bilhete é de 15 Dir. ida (€ 1,50).
Trata-se atualmente de linha eletrificada e a viagem demorou apenas meia-hora.
partiram o vidro da porta (valdalismo?), nada melhor que deixar a composição 'rolar', com um funcionário a vigiar...
Uma cidade mista de tradição e ao mesmo tempo cosmopolita.
O que vi de diferente em relação a anteriores visitas?
Sobretudo a evolução na reabilitação urbana nas frentes ribeirinhas (margem esquerda e direita) quer do lado de Salé... quer de Rabat.
Em termos de transportes, há cerca de um ano que iniciaram os transportes de novos autocarros urbanos e do 'Metro' de superfície que circula de forma aceitável pelo meio de ruas largas mas pejadas de gente e veículos de tração animal.
de Kénitra à 'Plage Tilal - Pont-Blondin / Mohammedia

RabatRabate,[carece de fontes] Rabá,[carece de fontes] ou Rebate1 2 3 (em árabeالرباطtransl.: Ar-Ribāṭ) é a capital de Marrocos. Localiza-se na costa do Atlântico. Tem cerca de 1,7 milhões de habitantes. A cidade foi fundada em 1150 pelo califa almóada Abd al-Mu'min, que ali construiu uma fortaleza, uma mesquita e uma residência. Tornou-se cidade imperial em 1660 e foi a capital do protetorado francês de Marrocos entre 1912 e 1956.
O Banco do Magreb
o edifício dos 'correios' do tempo colonial Francês
Um 'luxo'?
numa das ruas centrais... 
 Percorremos parte da 'medina' de Rabat. 
Mesmo nas ruas... na hora de oração... se arranja forma de virados para Meca...


na outra margem... do lado de Salé... no enorme terreno onde existiu o camping...


na Medina, umas portadas interessantes
na Medina, os homens vão jogando 
vá lá... escolha... corto aos bocados... et voilá...
Os modernos 'elétricos' de Rabat
Na praça central, mais uma 'manifestação'... com centenas de polícias observando nas imediações...
O regresso a Kénitra de combóio, já a noite tombava.

Enviar um comentário