De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sábado, julho 07, 2012

A caminho de Berlim - Dias 18 a 23 de viagem

SACHEN
Dia 18 – 02.JUL.12 – 2ª. Feira
DRESDEN – PIRNA – KONIGSTEIN – BAD SCHANDAU – SCHMILKA – BASTEI – CHEMNITZ – ZWICKAU
Manhã cedo avançamos de novo ao próximo centro da cidade para esclarecer afinal como localizar um local que é largamente publicitado na internet (email recebido repetidamente de amigos) na Sachsische Schweiz – A Suiça Saxónica – mas… o “Turismo” apenas abria às dez da manhã.
pela manhã, voltamos ao centro de Dresden




abrigos para o elétrico... enormes...

já saindo da cidade... bizarro... algumas das viaturas cobertas... novidades?
O esclarecimento não foi lá muito “católico”, ficou-se pela aproximação… ao mostrarmos uma foto do local até nos disse o acelerado funcionário que toda a zona do Parque Nacional da Saxónia apenas se poderia fazer por via terrestre… não acreditamos… e percorrido todo o percurso do Rio Elba, que ladeia o desfiladeiro, chegamos próximo da fronteira com a República Checa. 
BAD SCHANDAU
BAD SCHANDAU
na ex-RDA... os Trabant... rolam... ainda...





BAD SCHANDAU


Aí valeu-nos a ajuda de uma simpática Alemã que nos disse que poderíamos subir até BASTEI, estacionar a AC a poucos metros do “bastião” que consiste nas Inselberge – bizarras formações rochosas que se erguem abruptamente. Ligadas por pontes para peões dão-nos belas imagens, vistas esplêndidas… Finalmente… era este um dos locais que havia registado no meu cardápio de locais a visitar.
Finalmente... chegamos...
Toda esta região da  Suiça Saxónia merece sem dúvida nova visita aquando de nova viagem para estes lados.













eis-me acenando...




















 Praga fica aqui a menos de 100 km, mas como já conhecemos, voltaremos também de novo.
Decidido pernoitar em Zwickau, conhecida por dar ao mundo os famosos automóveis Trabant, no tempo da RDA.
onde a árvore nasceu... desafia a lei da gravidade...
O tempo ajudou à viagem de hoje apenas chovendo à nossa chegada ao enorme  Parque de estacionamento da cidade que é grátis após as 18h. e amanhã basta colocar no “mealheiro automático” € 1,00 pelo dia todo.
Gps: N 50º 43’ 25.7”  /  E 012º 29’ 19.7”
Percorridos: 3.577 Km (Dia 220 Km)
Bamberg
Dia 19 – 03.JUL.12 – 3ª. Feira
ZWICKAU – BAMBERG
Noite sem chuva. Aproveitada a manhã para fazer a visita à calma cidade onde os monumentos se encontram em restauro. 
Catedral de Zwickau





Era em Zwickau que produziam os Trabant

A Räthaus (Câmara Municipal)




as lojas comerciais no edifício da Câmara
O tabaco junto aos prédios de habitação...
 O edifício mais importante encontra-se encerrado para restauro a “Dom St, Marien”.
A cidade terá cerca de 120.000 hab.. Mas só no complexo da Wolkswagem laboram cerca de 20.000. Existe um Museu dedidado aos “Trabant” com oficina de reparações que não visitamos.
Interessante verificar que a “Rathaus” (Câmara Municipal) tem lojas alugadas ao comércio local.
''carteira'' distribui o correio...
mais uma...


Partimos pelas magníficas auto-estradas até à cidade de BAMBERG (Património Mundial).
Já dentro da cidade paramos para almoço no Parque de um “Lidl” e cinco minutos volvidos, surge com ar nostálgico uma compatriota nortenha que avistando da janela da sua casa a pequena bandeira que trazemos na AC não hesitou em nos visitar e contar a sua tristeza por não poder voltar tão cedo pois segundo ela, as pensões de reforma na Alemanha já não são o que eram, e o salário metade vai para a renda de um T2  que fica por € 450,00/mês.

Dois quarteirões mais adiante, ótimamente instalados numa agradável e moderna AS para AC, desalojei a bicicleta do seu pedestal e rumei ao centro histórico que dista apenas 1,5 Km.



e lá vou eu... 




















































Já na passagem para norte pensamos fazer o devio para visitar esta monumental cidade, mas na descida para Munique (München) haveríamos de o fazer preterindo a cidade de Nurenberga (NURNBERG) mesmo sabendo da sua beleza pois foi por nós visitada ainda há relativamente pouco tempo vindos da República Checa.
A cidade ladeia canais a que chamam a “pequena Veneza”. Uma verdade que o território incluído na lista do Património da UNESCO inclui três agrupamentos urbanos que se unificaram quando Bamberg se desenvolveu como cidade. Um passeio pela cidade introduz-nos imediatamente na história. Na zona alta, a arquitectura imponente da Praça da Catedral, a vida trepidante e calma simultaneamente da parte “da ilha” e as tradições vivas do burgo dos agricultores. Um ambiente que cativa os habitantes e visitantes por igual.
Ainda pedalei encosta acima para apreciar o exterior do grandioso e empolgante St Michael’s Monastery que à hora a que cheguei já estava encerrado, mas de cujos varandins pude fruir uma vista soberba sobre a cidade.
Vivam a experiência do fascínio do Património da Humanidade! Sugerimos vivamente a visita.
Já a uns 500 mts “do meu bairro”, para deixar que um automóvel me ultrapassa-se mais facilmente, resvalei no beiral do passeio… e… esmurrei aquele ossinho do punho da mão… um ombro… e um joelho…
AS para AC N 49º 53’10.8” / E 010º 54’10.5” (Máq. Aut. € 12,00 24h. + € 2 – 2Kw elet +água+desp.)
Percorridos: 3.760 Km (Dia 183 Km)

Dia 20 – 04.JUL.12 – 4ª. Feira
BAMBERG – MUNIQUE (MÜNCHEN)
Uma manhã estupenda para viajar por auto-estrada. Nuvens dispersas e com um instrumento que quando adquiri a AC julgava não ser útil, nestes casos é espectacular. Basta colocar o “cruisse-control” nos 105 Km/h que em 3x3 pistas permite ultrapassar  os inúmeros camiões TIR que rolam abaixo dos 100 km/h., e assim o pé do acelerador tem descanso garantido apenas a mão esquerda regula para mais ou menos velocidade.
A paisagem de todo o percurso, resume-se ao já apreciado noutras regiões, ou seja, tonalidades de verde e amarelo de quando em vez uma ou outra cidade embrenhada em abundante arvoredo.
A pequena bandeira que levo ao lado do retrovisor permite notar que um ou outro camião Alemão nos buzina ou faz sinal de luzes, sim são compatriotas já que desde Berlim que não me cruzei por nenhum camião Português (TIR).
confesso que nunca tinha visto algo igual - uma jangada para descer a forte corrente... já na fase de ''desmantelamento''... 
À chegada a Munique, havíamos apontado para dois dos muitos Parques para AC. O primeiro deles efectivamente estava bem localizado próximo de um dos Parques verdes maior da Europa, contudo vimos automóveis de pessoas que caminhavam e percorriam pistas cicláveis… como não vimos nenhuma AC seguimos para o segundo que mais não é que o imenso parque do Estádio Olímpico (onde em 1972 foram assassinados uma vintena de atletas Israelitas. Parque pago (€ 15,00), onde da mesma forma não vimos nenhuma AC e o Parque não passa disso. A saída para a situação foi a escolha do Camping de Munique que tem uma localização privilegiada junto ao Rio dispondo de boas infra-estruturas e zonas verdes.
Ainda assistimos a “uma maluqueira Alemã”. No rio que ladeia o Camping, na outra margem começam a chegar jangadas enormes pejadas de meia centena de excursionistas. Saem da jangada e entram nos autocarros. A jangada de troncos enormes é desmantelada por um camião grua que as leva de novo para montante. O Rio tem uma forte corrente pelo que a jangada tem apenas um pequeno motor fora de borda e um leme para o guiar sem chocar com as margens. Jamais tinha visto tal espectáculo!

Uma óptima escolha pois compensa toda a comodidade a um preço próximo do Parque Olímpico.
Almoço a bordo e a passagem na receção para a compra do “passe diário” para a rede de transportes públicos. Um único bilhete para os 3 € 10,20 (€ 3,40/pessoa) – muito barato.
Do Camping sai autocarro que percorre cerca de 1 km até à estação de Metro U3 Thalkirchen (Tierpark). O Camping dista 7 Km do Centro.
Ainda assistimos a “uma maluqueira Alemã”. No rio que ladeia o Camping, na outra margem começam a chegar jangadas enormes pejadas de meia centena de excursionistas. Saem da jangada e entram nos autocarros. A jangada de troncos enormes é desmantelada por um camião grua que as leva de novo para montante. O Rio tem uma forte corrente pelo que a jangada tem apenas um pequeno motor fora de borda e um leme para o guiar sem chocar com as margens. Jamais tinha visto tal espectáculo!
No centro da cidade (saímos em MARIENPLATZ), apreciamos a monumentalidade soberba dos edifícios majestosos.
Na Praça bem conhecida dos legumes e frutos, existem esplanadas grandiosas com mesas e bancos corridos onde é claro tivemos de pecar abusando da barrigota… uma sanduiche daquelas de encher o olho e a caneca da famosa cerveja de Munique. Dizem os locais que quem não fruir desta praça, não pode dizer que visitou a Baviera!
Munique é considerada por muitos como a cidade mais bonita da Alemanha, e depois de conhecê-la um pouco é difícil discordar. A sua silhueta, onde se destacam as torres gêmeas com abóbadas esverdeadas da igreja Frauenkirche e a torre pontiaguda da Neues Rathaus, parece afirmar-se , orgulhosa, que nenhuma outra cidade alemã poderia levar este título. Munique - ou Munchen - é uma mistura de arte, cultura e alegria de viver. Lembrada sempre como capital da cerveja, coração da Bavária, e associada à Oktoberfest, Ludwig e seus castelos, e ainda saborosas wurst de todos os tipos, parques e festivais, Munique é um daqueles raros locais onde o ritmo de cidade grande convive em harmonia com deliciosas tradições.



Neues Hathaus (Câmara Municipal), o coração de Munique. Todos os dias, centenas de pessoas reunem-se  na praça Marienplatz para apreciar o Glockenspiel, famoso carrilhão da cidade, situado no alto da fachada principal. Pontualmente as 11, 12 e 17 horas, durante 8 minutos, os seus 43 sinos executam  um verdadeiro concerto. São grandes bonecos de madeira que se movem acompanhados por músicas, representando momentos importantes da história, como o casamento de Wilhelm V e Renata von Lothringen em 1568, e dançarinos comemorando o fim da peste que assolou o país em 1517.. 











filmagens...


a Feira dos petiscos...

tinha de ser!!!





De acordo com a  tradição, as figuras humanas do poste representam todas as profissões daqueles que trabalham neste local.
Às sete da tarde locais, fecha o comércio e as ruas como que por artes mágicas começam num ápice a ficar desertas.
Já no Metro, um fulano Alemão com ar de professor aí com uns quarenta anos de idade, meteu conversa tímidamente só após avistar o emblema do meu boné e abriu-se  para nos dizer que quando era jovem ia de moto para o Algarve e fala bem Português do Brasil pois esteve lá uns anos a trabalhar. Em Portugal não sou fã de bandeiras ou coisas do género mas em viagem para mim tem sido um passaporte para dialogar com pessoas e fazer intercâmbio de experiências e entender melhor o país que se visita.



À chegada ao Camping, as notícias na TV e… toca a não sair pois troveja ao longe e a chuva de novo visita-nos deixando que durante o dia fiquemos livres dela… veremos amanhã o que nos espera.
Um aspeto negativo do Camping é o facto de apenas existirem 4 pontos de ligação de internet na recepção o que num universo de clientela tão grande inviabiliza de novo a sua utilização (o custo é de € 1,00/ ½  hora).
Camping: N 48º 05’ 34.2”  / E 011º 32’ 46.6”
Percorridos: 4.020 Km (Dia 260 Km)
Dia 21 – 5.JUL.12 – 5ª. Feira
MUNIQUE (MÜNCHEN)
Uma noite sem chuva. Amanhecer quente.
De novo rumo ao centro da cidade.
De acordo com a  tradição, as figuras humanas do poste representam todas as profissões daqueles que trabalham neste local.







À chegada à Rathaus ao bater as 11h. da manhã, os sinos tocam uma melodia e os bailarinos na torre sineira dançam. Milhares de turistas registam o evento.
Fizemos depois a visita à parte em falta na véspera, ou seja em direcção a Karlstor – Conhecida por porta de Karl, a entrada oeste da cidade velha que fazia parte das fortificações medievais. 






















Add caption




Entramos na Augustinerbräu – A fábrica de cerveja mais antiga e mais famosa de Munique que foi fundada pelos monges agostinhos em 1.328 e actualmente ocupa duas casas oitocentistas com belas fachadas.
tinha de ser...
Antes a visita obrigatória à Bürgersaal, construída entre 1709 e 1710 para uma congregação mariana como um local de adoração e reunião. Inclui uma igreja inferior no r/C e uma outra repleta de beleza no 1º andar.










já no Camping



matrícula PT... jovens Brasileiros a estudar em Lisboa
A paragem para descanso e retoma de forças… a chegada das tais jangadas… com orquestra musical e muita cerveja… e o fausto almoço – pataniscas com arroz de feijão vermelho – que a Emília e Artur  fizeram  questão de me convidar... agora... deixar assentar tudo e regressar de novo ao centro citadino.








Para fechar a manhã, entramos no eléctrico e fizemos todo o percurso até Moosach, já na periferia da cidade e regressamos de Metro por se tratar do términus do Metro U3 que nos levaria ao Camping.

eram 6 os filhotes... ninho aquático...
Dia 22 – 6.JUL.12 – 6ª. Feira
MUNIQUE (MÜNCHEN) - FÜSSEN (D)
Como acabamos por passar uma noite de acalmia, havia que deixar secar o toldo e restante material que ficou debaixo de chuva aquando da nossa ida à cidade.
Feitas as tarefas de arrumações e limpezas, havia que aproveitar para dar um passeio na enorme zona verde contígua ao camping.
Cisnes, patos e outros duas patas animavam o rio e lagos.
O almoço no magnífico camping antes da partida.


o PARQUE CONTÍGUO ao Camping







estou ali... a 1ª parabólica...

 Avançamos uma trintena de quilómetros por auto-estrada e após isso, por estradas nacionais serpenteando campos e florestas com paisagens campestres agradáveis. 
A chegada ao destino onde sem dificuldade nos surgem duma só vez três áreas para AC num raio de cem metros.









 A região encontra-se repleta deste tipo de estruturas. Boas instalações, eletricidade e net, mais parece um camping. Logo ao lado uns quatro supermercados tipo Lidl.
Preparava-nos para dar uma olhada à povoação que dista apenas um quilómetro e eis que uma forte trovoada acompanhada de fortes bátegas nos visita.
Amanhã veremos que visitas fazer dependendo da Méteo.
Percorridos: 4.147 Km (Dia 127 Km)
Camper Stop - 10º 42' 2'' O  /  47º 34' 56" N
Dia 23 - 7.JUL.12 - Sábado
Füssen (D)
ficamos AQUI

Da parte da manhã, com o tempo a recompor-se, a visita pedestre da pequena mas bonita cidade de Füssen, que dista apenas 15 Km de cidade Austríaca do Tirol.
 
Os Alemães projetam ciclovias paralelas às estradas razão pela qual milhares de famílias viajam desta forma... atrelados atrás com as crias e lá vão elas felizes.
 
Muito embora no edifício do turismo obtivesse a informação de que seria fácil visitar os "castelos" de bicicleta... puro engano... mais um trampolho para transportar... ainda bem que não acreditei em tal.

Fiz os 5 km com os meus parceiros de autocarro (€ 2,00), até lá... óbvio que a bicicleta seria uma boa opção... acontece que para subir até Marienbrücke... só de Mini-Bus... ou a pé...

Os meus amigos optaram pelo mini-bus... eu... fiz-me ao caminho... não sei os km's... sei que a 1ª subida foi de 20 minutos até ao Schloss Neuschwanstein (em obras e com lista de espera) e mais 20 minutos até à ponte mais lá acima.

Como já levava a "embalagem"... acabei por descer - dizem que todos os santos ajudam? - e cá em baixo... os meus amigos de novo na "paragem do autocarro" e... desta vez decidi queimar mais calorias... fiz tudo até ao meu bairro... 

Cheguei um pouco "marreca" mas contente e alegre!!!???
a cidade lá em baixo... o grande lago... e os dois castelos.
Por certo que esta noite dormirei que nem o meu gato...
do alto da ponte em Marienbrücke... lindo!
 
sobre a ponte
não muito longe, as montanhas Austríacas do Tirol.
 
tinha de posar, claro
 
 
 
 
 
Posted by Picasa
Enviar um comentário