De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

quinta-feira, novembro 03, 2011

Escapadela... cá dentro!

O ''pára-brisas'' é maior que o ''retrovisor''...
Daí que o caminho que tenho pela frente é mais importante que o que deixo para trás.
Dia 1  - 29.OUT.11 - Sábado
BRAGA - ?
Não sabemos ainda para onde rumar... zona centro (Bioparque de Carvalhais em S.Pedro do Sul) ou Trás-os-Montes... 
A meteorologia diz-nos que o sol brilhará hoje e amanhã.
Após o fim de semana teremos alguma pouca chuva 2a. e 3a., então há que decidir - nascente ou sul - logo se verá.
Atestar de combustível, água e... Voilá... a caminho!
BRAGA - ESTARREJA - Termas S. PEDRO DO SUL
Encontramo-nos com os amigos habituais e decidimos optar, mesmo sem jogar à moeda ao ar, pela ida para São Pedro do Sul (Termas).
Até ao Porto, há muitos anos que a AE é paga e já se tornou hábito rolar nela pois a EN torna-se fastidiosa e lenta.
Saímos em Grijó e sempre com o sol a raiar, percorremos a EN até Albergaria, prosseguindo após pela atual ‘’Scut’’, com  paragem no Parque de Estacionamento das Termas de S. Pedro do Sul, junto ao Rio Vouga por ser um belo local para pernoita mesmo se existe AS para AC a uns 300 mts. .
O local é procurado também por AC que frequentam as termas.
O circuito pedestre na pequena localidade, logo à chegada com a visita obrigatória às ‘’fontes’’ de água fumegante ou não fora a água sair a 70ºC… Já que a noite com a mudança da hora será mais longa, nova caminhada  após o jantar pelo mesmo percurso pois não existem alternativas.
As antigas Termas já restauradas
Uma terra acolhedora e termas seculares enquadradas por paisagem serrana e onde ainda persistem aldeias de xisto o que tornam a zona atrativa.
O enquadramento passa pelas vizinhas serras da Arada, Gralheira e São Macário, uma zona de grande beleza natural, onde a vida tranquila permite a harmonia saudável com a natureza.
A água fumegante do chafariz
Enfim, uma estância termal oitocentista que nos dá bons motivos para aqui descansar uns dias, sabendo nós que as termas ajudam à ‘’cura’’ dos males respiratórios e reumáticos.
70ºC

Uma Pensão, com uma ramada especial: KIWIS
Noite calma e imensamente sossegada, com o ‘’boiler’’ a manter a temperatura interior (constante) nos 19ºC. Lá fora 9ºC..
Percorridos: 170 Km
Dia 2 – 30.OUT.11 – Domingo
S. PEDRO DO SUL (Termas) – S. PEDRO DO SUL – CARVALHAIS (BIOPARQUE DO PISÃO)
O pós despertar
O amanhecer surgiu com o contínuo chilrear da passarada… o que fez com que o edredão fosse ainda mais apreciado.
Já para lá do meio da manhã, rumamos a S. Pedro do Sul, que dista 3km e de seguida subimos até ao Parque Biológico de Carvalhais. O Parque encontra-se bem sinalizado, contudo, para quem nunca lá foi, assusta-se quando a uns 2 km o percurso embora em bom piso é feito por vias estreitas ladeadas de casario… se surgir outra viatura, uma delas terá de recuar… nada de grave.
Um espaço vedado, com uma agradável AS para AC (luz,água wc  despejo químico), só faltando a água quente dispensável no nosso caso pois tudo temos no nosso espaço. Para quem gosta da natureza e se desloca de automóvel, tem ao dispor pequenas casas de madeira disponíveis.
AS para AC
Uma pena o acesso wifi estar disponível, mas pago.
O almoço ocorreu no exterior pois as cadeiras e mesas neste local apetecem.

Coisa linda...






metade granito, metade tronco de árvore...
Uma caminhada em redor, visitando os inúmeros ‘’moínhos de água’’, alguns deles com a mó ligada triturando o milho… àguas rolam até aos moínhos pelo ‘’miolo’’ de meias-árvores sulcadas para o efeito… bonito…




Lá no alto... a metade do ''circuito'' pedestre
No percurso lá íamos abrindo os ‘’ouriços’’ que iam caindo de maduros retirando do seu interior  belas castanhas.
Um moínho de água ''vivo''...
Como esperado, o dia encurtou e mais não nos resta que assar as castanhas (para que serve o forno da AC?) que nos aquecerão as almas regadas por um maduro tinto à medida.
A TV satélite, mesmo que no local a captação dos 4 canais generalistas seja um fato e… o repouso necessário.
Bio Parque: GPS N 40º 47’53.56’’  -  W 8º7’44.11’’
Percorridos: 183 Km (Dia 13 Km)
Dia 3 – 31.OUT.11 – 2ª. Feira
CARVALHAIS – S.PEDRO SUL – VISEU
Após a acalmia da noite, o despertar num profundo silêncio. Uma pacatez perfeita para um levantar/despertar tardio.
As tarefas de reabastecimento de água e… com bom tempo outonal, o percurso até a cidade de Viseu, aquela a que chamam a ‘’Cidade granito’’ – Cidade alta – envolvida por paisagens serranas, onde as marcas do passado são uma constante. Viseu é também um espaço urbano moderno, com novos espaços de lazer.
Aí chegados reparamos que o Parque térreo indicado nalguns sites autocaravanistas, é um local ruidoso e desaconselhável.
O ''funicular''...

Recentemente  foi renovado um enorme parqueamento, de onde parte o também novo ‘’Funicular’’ que nos leva à Sé de Viseu.
Incrível, uma obra um tanto ou quanto megalómana, um funcionário em cada uma das cabines e um terceiro na ‘’estação de controlo’’…  e sabem quanto custa a sua utilização?
Imaginem:  € 0,Niente!! Mas quem paga este luxo de uma centena de metros? A ‘’tróika’’?!
A Sé de Viseu
É claro que aproveitamos para ‘’estar’’ a tecnologia Suiça e Espanhola… e da Sé fomos percorrendo o já conhecido centro histórico.
O Museu da Misericórdia
Uma cidade ciosa do seu património e tradições, para onde convergem as inúmeras estradas do distrito. Uma terra em expansão que aposta enormemente na modernização, com as suas rotundas de arte e os novos espaços de lazer como o Campo Viriato e o espaço Multiusos, mesmo aqui ao lado do nosso ‘’bairro’’ (2 AC de PT, 2 Francesas e 1 Espanhola).
Lá em baixo avista-se a nossa casa rolante...
O centro mantém nos tempos de hoje enormes árvores centenárias que dão um toque ecológico e purificam o ambiente citadino.


Pelo percurso na cidade antiga, percorremos toda a ‘’Rua Direita’’ com o seu traçado tortuoso, as suas casas de granito e por vezes  surgindo uma ou outra bela varanda ou janela ‘’manuelina’’, arcos e torres da antiga muralha e um sem número de comércio tradicional que lhe dão um certo ar de ‘’charme’’ e vida.
No centro o revisitar do Rossio, dos painéis de azulejo (1930) e o Jardim das Mães.
Estacionamento/pernoita no novo Parque Viriato contíguo ao Funicular e à Cava de Viriato: N 40º 39’ 53.1’’  - W 7º. 54’42.7’’
Percorridos: 215 Km (dia 30 km)
 Dia 4 – 1.11.11 – 3ª. Feira (Feriado Nacional/Todos os santos)
VISEU – TONDELA – SANTA COMBA DÃO - MORTÁGUA - BUÇACO - LUSO - PATEIRA DE FERMENTELOS - AVEIRO
Após alguns terem visitado a enorme ''feira', saímos optando por não passar na Scut, mesmo se os ''pórticos das portagens'' ainda não foram ligados.
Pequena paragem em Tondela para visita à pequena localidade.
Tondela

Nova paragem em Santa Comba Dão.
Santa Comba Dão

O ''velho'' ditador já não andava por lá, mas deve-me ter ''rogado uma praga'' pois ao ligar o ''bóiler'' para usar no final do almoço... o mesmo ''pifou''...

Havia que ''lavar a loiça'' com água fria...

Na saída da localidade, o GPS leva-nos por uma rua estreita... terá sido a segunda ''praga'' pois mesmo sendo estreita surge na parte final um ''taipal'' de obras de restauro... havia que ''encolher'' um dos espelhos e passar uma tangente entre o muro granítico e o taipal... 

Como não somos saudosistas do antigo regime, não visitamos o ''chefe'' neste dia de ''finados''!
Um pequeno centro histórico renovado




Pelos vistos a casa onde o ''velho'' nasceu... é esta... do painel... 
Uma terra tão pequena com tantos parques pagos...


A Biblioteca
Prosseguimos viagem, com passagem em Mortágua, onde não vislumbramos nada digno de visita.
Mortágua
Estava prevista a visita ao Buçaco. Acontece que à entrada da ''Mata do Buçaco'' (propriedade do Estado) foram colocadas ''portagens''... Um ligeiro paga € 5,00 para entrar, e a AC € 7,00!
Não justificava a visita pois já conhecemos. Na próxima passagem próximo, há que estacionar no Luso e fazer uma caminhada pela Mata.
Paciência. A portageira permitiu que fossemos mais adiante inverter a marcha e paramos no LUSO.
Os garrafões enchem as bagageiras das viaturas... Água do LUSO.
Para terminar o dia, resolveu-se passar na AS para AC de Sangalhos. Apenas se nconsegue lá chegar com a ajuda do Gps. O local simpático mas quase ermo, não fora ao lado existir o Centro de Saúde. Prosseguimos quando na estrada para Aveiro surge a placa anunciando a Pateira de Fermentelos.
Pateira de Fermentelos

Confesso que não conhecia ainda. Um enorme lago digno de visita, sobretudo com bom tempo. Voltaremos certamente.
Presentemente, a Pateira corresponde ao assoreamento e espraiamento do rio Cértima, perto do local onde desagua no rio Águeda.
A maior lagoa natural da Península Ibérica ocupa actualmente uma área de superfície e profundidade variáveis, de acordo  com a estação do ano, que, no seu  expoente máximo,  atinge mais de 5 Km2. Estes, estendem-se, maioritariamente, pelo concelho de Águeda, abrangendo também o concelho de Aveiro e Oliveira do Bairro.

O termo “Pateira” encerra a especificidade da região do Vouga e afluentes designando, por si só, abundância de patos.
Chegada a Aveiro já fazia noite.
 AVEIRO

Fora do fim de semana, o local é calmo e agradável.
A ''voltinha'' da noite.
Um passeio pedestre nas margens da ria, onde algumas AC pernoitam.
Percorridos: 348 Km (Dia 133 Km)
Dia 5 - 2.NOV.11 - 4ª. Feira
AVEIRO - FURADOURO - PORTO - BRAGA
Após quatro dias práticamente soalheiros, eis que pela manhã surge o vento e a chuva.
Havia que passar em Angeja para ver o que se passava com o ''bóiler''. Tiro e queda, detetada a ''avaria'' foi substituida a ''placa eletrónica'' que não fora o período de garantia me teria custado € 300,00! Obrigado Marco!
Ovar
Resolvido o problema, apontamos para casa, com paragem no Furadouro para almoço num Restaurante Asiático.
No habitual largo fronteiro ao mar... no Furadouro, encontrei a ''menina dos meus sonhos''... esta todo o terreno alemã... 
Passagem na AS da A3 para substituição da ''Via Verde''. Dizem que a mesma estaria ''avariada'' e... lá tive de adquirir nova (€ 27,50!)...
Demos assim por terminada esta ''escapadela de 5 dias'' super agradável.
Mesmo com pequenas saídas ''caseiras'' vamos descobrindo locais agradáveis e não muito procurados aqui tão pertinho.
Percorridos: 525 Km (Dia 177 Km)
Enviar um comentário