De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

sábado, fevereiro 20, 2010

Calcedónia em Autocaravana

Não. Não fui de Autocaravana, mas podia... estou aqui tão perto.
Existe estrada de alcatrão do Gerês até lá... pelo que é um local visitável com a dita.
Preferi a ''viagem'' de automóvel e ''castigar o corpinho'' serra acima.
Sou o mais ''idoso'' do grupo - mas, tenho felizmente arranjado a necessária pedalada para enfrentar tal adrenalina... e desta vez, foi mesmo isso que sentimos...
Uma delícia.
Subida à Calcedónia, uma das coroas de gloria cá da terra. A tarde estava como um veludo, e as fragas, amolecidas pela luz, pareciam broas de pão a arrefecer. Do alto, a paisagem à volta era dum aconchego de berço. Muros sucessivos de cristas — círculos concêntricos de esterilidade — envolviam e preservavam a solidão. Nas vezeiras, resignadas, as rezes esmoíam os tojos como quem ajeita um cilício ao corpo. E mais uma vez me inundou a emoção de ter nascido nesta pequena pátria pedregosa que é Portugal. Há nessa condenação como que uma graça dos deuses. Também é preciso ser de eleição para merecer certas pobrezas...
 
Miguel Torga - Diário VI
Gerês,6 de Agosto de 1952
Clicar na imagem para ampliar
 É claro, que Torga escreveu há já 58 anos e os trilhos para a Calcedónia, já não são o que eram.
Por cima das núvens...
Mesmo assim e com o tempo a fazer caretas, lá despertamos às 6, saída ponto de encontro às 7 e ''arranque'' caminheiro do ''São Bento da Porta Aberta'' pelas 8h e 15m da manhã.
Uns 4 km de subida de respeito, por pequeno estradão, até ao enorme tanque de águas límpidas...
A partir daí, seguimos o percurso assinalado em cartografia militar,...
Uma autêntica aventura!
Adrenalina a molhos!...
2 cá em cima e 3 já lá no fundo...
O trilho era imaginário, um desbravar em subindo de matos e silvados dignos de serem desbravados à catanada... mas não imaginávamos tal cenário, e lá tivemos de ''furar'' o matagal que abraçava o corpo inteiro e com períodos de chuva agreste... os nossos ''ponches'' sofreram vários ataques do silvado pelo que ficaram com fendas várias que os inutilizaram.
Sempre na esperança de atingir o ''cume'' da CALCEDÓNIA ou um qualquer trilho sem que nada tivesse surgido por entre os arvoredos cerrados, salvo pelas 14,3o horas...
Enfim, finalmente a estrada de alcatrão que nos levaria à Calcedónia e em sentido contrário, às Caldas do Gerês...
Decidido abandonar o alcatrão após 50 metros para não termos de ir de táxi até ao local de partida.
Os dois GPS disponíveis lá ''encaixaram'' no ''track'' previamente ''gizado'' e uma hora e meia após fomos conduzidos por pequeno estradão até ao local de partida...

Ao lado o tão desejado restaurante onde o almoço da 16horas retemperou o esforço caminheiro.


Enviar um comentário