De Autocaravana, tenho vindo a viajar ''cá dentro'' e pela Europa... para lá do Círculo Polar Àrtico - até ao Cabo Norte, onde vivenciei o ''Sol da Meia-Noite''.
Viajei em Autocaravana pelo Norte de Àfrica... (mais de uma vez), muito para lá do Trópico de Cancer... até à Guiné-Bissau.
Fui também por estrada à Àsia - Turquia e Capadócia, sendo que no regresso fiz a Croácia e dei um saltinho a Mostar e Saraevo na Bósnia-Herzegovina.
Sem pretensiosismo literário ou outros, apenas pela PARTILHA, dessas e outras viagens vou dando conta neste espaço.

Países visitados em Autocaravana: - EUROPA: ESPANHA – ANDORRA -FRANÇA-ITÁLIA-MÓNACO- REINO UNIDO - IRLANDA -HUNGRIA-REP.CHECA-SUÉCIA-ESLOVÉNIA - ESLOVÁQUIA- POLÓNIA-AUSTRIA-SUIÇA-ALEMANHA-BÉLGICA-HOLANDA-DINAMARCA-NORUEGA-FINLÂNDIA-ESTÓNIA-LETÓNIA-LITUÂNIA-BULGARIA - BÓSNIA HERZGOVINA- ROMÉNIA -GRÉCIA – CROÁCIA – LIENCHSTEIN – LUXEMBURGO – S.MARINO - VATICANO ÀSIA : -TURQUIA-CAPADÓCIA ÀFRICA: GUINÉ-BISSAU – CASAMANÇA – GÂMBIA – SENEGAL – MAURITÂNIA – SAHARA - MARROCOS

Outras viagens:RÚSSIA (Moscovo e S. Petesburgo) -AMÉRICA do NORTE:CANADÁ (Quebec-Ontário-Montreal-Otawa-Niagara falls) - EUA(Boston-Nova Iorque-Cap Kenedy-Orlando - Miami)AMÉRICA CENTRAL:CUBA (Havana - S. Tiago de Cuba - Trinidad - Cienfuegos - Varadero)- ÀSIA :CHINA (Macau-Hong Kong) - VIETNAM(Hanói-Danang-Ho Chi Min) -

domingo, abril 16, 2006

Marrocos 2006 em Autocaravana

MARROCOS 2006 em Autocaravana Percurso efectuado
A primeira visita que efectuei a Marrocos, aconteceu há cerca de 17 anos.
Percorri então as vias que me levaram às cidades Imperiais.
Prometi a mim próprio, voltar um dia... com mais tempo.
Li bastante na Net, sobretudo depoimentos de casais Franceses, que percorreram esse País do Norte de Àfrica por períodos que vão de 1 a 6 meses.
Tracei no mapa os percursos que me permitiriam atravessar cerca de dois terços do País.
Inicialmente tinha programado fazer a viagem ''a solo''...
Convidei dois ou três amigos para me acompanharem, mas, a resposta foi unânime de que nem o País seria seguro e... um mês seria muito...
Finalmente soube de um casal que também tinha pensado conhecer o País, e assim, decidimos  partir nas duas Autocaravanas.
Saída do barco em Ceuta
A preparação da viagem: -
À partida dotamos a bagagem de meia dúzia de apoios importantes, a saber:
=> PDA/GPS com o mapa de Marrocos inserido, com a ajuda imprescindível do Filipe (jovem reformado) carregamos o PDA/GPS com o OziExplorer e os mapas 1:250.000 de Marrocos digitalizados e calibrados cuja utilidade foi indiscutivel,
=> Mapa de Marrocos da Michelin 742;
=> Guia do País, no caso da American Express (em Português);
=> 2 Walky Talkies (ajuda valiosa na comunicação entre as 2 viaturas);
=> Depósitos de água sempre repletos.
A VIAGEM em números :
-> Km percorridos: 6.250 km dos quais 4.250 km em Marrocos.
-> Combustível: cerca de 590 litros - € 500,00
-> Gasóleo 1lt = € 0,749 em Ceuta e = € 0,699 a € 0,76 em Marrocos - Gasóleo ''Euro Diesel''     8,25 Dh a 9,9 Dh.
-> Travessia Algeciras/Ceuta (TransMediterrânea) - € 293,60 (ACaravana + 1 pessoa)
-> Parques de Campismo: Cerca de € 100,00
-> Nº Telemóvel Marroquino utilizado: 00+212+78662943 (carregamentos a partir de € 5,00).
-> Câmbio nas Agências bancárias: € 1,00 = 10,719 Dh ou € 1,00 = 10,723 Dh
Pintura no painel lateral da minha AC - trabalho de Rachid em Agadir
Marrocos, um oásis
Viajar por Marrocos, é conhecer a sua história, a sua cultura, principalmente a popular, descobrir um país diferente, outras paisagens, outras formas de vida. Dizem existir um ditado popular muito antigo, lembrado diariamente: “ A Pressa Mata “! Para sentir Marrocos, é necessário tempo. O relógio terá de ficar em casa ! Existem em Marrocos duas facetas diferentes. Se vamos pela costa ocidental e não repararmos no povo, parece que estamos a viajar em qualquer outro país europeu, só que mais sujo ! Mas se nos deslocarmos para o interior, então o caso muda radicalmente de figura, e embora a pobreza subsista, o povo humilde e simpático, parece não ser deste tempo! Pouco têm para comer, mas logo nos oferecem um chá! É no interior do país, que está a beleza, o encanto o deslumbramento, que nos cativa de imediato. Quem visitar Marrocos, não pode pensar em luxos e comodidades. Terá sempre de se lembrar, que nas suas autocaravanas, têm muito mais condições de vida que os nativos desse país. Muitos povoados, não têm água corrente nem energia; as condições higiénicas destes lugares são bastante precárias e fazem-nos lembrar filmes dos velhos tempos. Ao visitar Marrocos (o verdadeiro, o interior, o povo berbere), dever-se-á ter em conta o seguinte: >· Muita paciência ao entrar na fronteira, cuja passagem será sempre morosa e será sempre bom ter alguns “ conhecimentos “ para que o processo seja acelerado.
3a. idade em Chefchaouen
-> Como documentação, é necessário passaporte, documentação automóvel própria e carta verde para o pais.
->A moeda em circulação é o dirhan (DH), mas é recomendável adquiri-los no ATM (atenção às comissões bancárias) logo a seguir à Fronteira (Matril), caso os Bancos se encontrem encerrados, contudo aconselha-se a levar Euros suficientes para a viagem e trocar em função das necessidades apenas nos Bancos (Câmbio Oficial em todo o País) - evitar câmbio nos Hotéis e Agências por ser mais desfavorável.
->· As emissoras de CB, não são permitidas e na fronteira são rigorosos, pelo que se devem desmontar. No entanto após passagem, poderão voltar a usar-se pois não existe qualquer controlo. Mais de uma viatura, recomenda-se o uso de vulgares ''walki-talkies'' evitando assim o uso de telemóveis cujo ''roaming'' inflacciona o custo da viagem;
->· Não esquecer, que para a moral islâmica, uma vestimenta extravagante ou ousada pode resultar ofensiva. >· Nunca utilizar a palavra “Mouros”
-> Ao fazer compras, é quase obrigatório o regateio, pagando-se por vezes metade do preço pedido. Mas atenção: nunca recusar a compra se entretanto se fez uma oferta!
-> Ao visitar as dunas no deserto ( definitivamente a não perder ) à que encontrar um guia, de contrário não andará mais de dois ou três Quilómetros.
->· Nunca esquecer de levar material escolar (cadernos, esferográficas, etc..) para oferecer às crianças que nos abordam - e são às centenas...
-> ·Pedir autorização, sempre que se pretenda tirar uma foto a alguém nativo.
->· Beber SEMPRE água mineral engarrafada. Não é necessário levar àgua em excesso. Existe abundante oferta por todo o país.
-> Salvo raras excepções, não existem à venda bebidas alcoólicas, apenas nos grandes Hiper-Mercados (Tetouan-Agadir-Rabat e Casablanca), nos Hotéis e muito poucos Restaurantes.
->· Descascar sempre a fruta e legumes, ou lavá-los com gotas de lexívia.
->· Fazer-se acompanhar de medicamentos específicos, tais como antidiarreicos, contra picadelas de insectos e protectores solares.
->· No regresso junto à fronteira é necessário muito cuidado, porque os Marroquinos aproveitam uma pequena distracção para se infiltrar na autocaravana e fazer a respectiva passagem da fronteira.
Alimentação - A comida típica mais frequente, é a ''tajine''. Com uma campânula de barro (base e testo cónico) onde se cozinha a lume brando uma série de hortaliças, as batatas, as ''zanahorias'' os guisados e os ''calabacines''. Cada tajine é diferente, podendo incluir carne de carneiro, novilho ou cabra, incluindo por vezes na costa o pescado e o sempre presente ''cuscus''... Não tivemos problemas de digestão, apesar de havermos frequentado um ou outro restaurante...Um bom método para nos alimentarmos na viagem, poderá ser a inclusão de pequena paragem nas pequenas localidades, junto aos establecimentos onde se cozinham as ''tagines'' sobre o fogo, e consumi-la na AC, acompanhada do vinho da própria adega, pelo que é recomendável ir bem aprovisionados. Há muito poucos locais onde adquirir bebidas alcoólicas (vinho ou cerveja). Uma tagine para 2 pessoas, ronda os 60,00 DH (cerca de € 6,00).
Gaz - Quanto ao fornecimento de gaz, existe em todo o país a possibilidade de adquirir ''camping gaz'', mesmo nos sítios mais recônditos. O recarregamento de botijas de gaz butano apenas está disponível em Agadir, mas limitado a algumas marcas. No restante país, apenas existe essa possibilidade para botijas tipo francês de gaz propano. Uma forma de resolver o problema, será a aquisição de botijas de butano em Marrocos e recarregá-las quando necessário e devolvê-las no regresso.Para adaptar as botijas marroquinas, pode ser necessário dispor de limitador ou regulador prévio com saída entre 1,5 a 2,7 bar.
Combustível - O gasoleo normal, custou entre os 7,0 DH e 7,5 DH (€ 0,70/€ 0,75) e o especial 230 a 9,6 DH (€ 0,96). Recomendamos o abastecimento preventivo, mesmo se no mínimo a cada 100 km encontramos postos de abastecimento. No interior e a sul de Marrakeche, é inútil procurar gasolineira ou restaurante que aceite cartões de crédito pelo que aconselhamos se viage munidos de DH ou mesmo os €...
ATM (Multibanco) - Quanto aos meios de pagamento, se bem que se deva evitar o transporte de verbas elevadas, tendo em linha de conta as altas comissões bancárias nos levantamentos em ATM, desde que se tomem os cuidados apropriados (distribuição por esconderijos na AC), procedemos ao levantamento prévio (em ATM de Espanha) dos efectivos suficientes para fazer face à viagem. O pagamento do Ferry em Algeciras pode ser feito com MB. As caixas ''Multibanco'' existem um pouco por todo o País.
Telemóvel - Útil a compra de cartão com número Marroquino - evitará o descontrolo dos ''Roamings''. Poderá ser adquirido nos sítios mais recônditos. Pedir para alterar a linguagem para Francês e... para inserir os códigos da ''raspadinha'' existente nos cartões de recarga - cartões a partir de 50 Dh ( € 5,00).Menos prático mas com imensa ''oferta'', será adquirir um cartão telefónico para as ''cabines'' existentes em todo o país - é esta a forma mais económica para falar para telefones fixos ou móveis de Portugal.
Língua - Muita gente fala o Francês... mas... o conhecimento do Francês é limitado a conversas simples e têmas habituais. Paciência... a linguagem universal dos gestos e a boa disposição das gentes, ajudaram.
Vendedores - Ao longo das estradas ''tropeçamos'' com uma imensidão de vendedores de diferentes objectos: Quarzazzate/ Marrakech, fósseis, diferentes peças de artesanato, etc., Os vendedores precipitam-se nas estradas, correndo ao lado das viaturas para oferecer as suas mercadorias, com o consequente susto se nos apanham desprevenidos...
Pinturas em Auto-Caravanas - -No camping de Agadir - Rachid Tioualine - Telemóvel 00+212+(0)68721250.
Taxi - Marrakeche - O Camping de Marrakeche dista cerca de 15 km no sentido de Rabat - No Camping ''opera'' com carrinhas de 9 lugareso simpático Fedli Mohamed - Telemóvel (0) 61552401 - cobra 10 Dh (€ 1,00) para transportar os campistas ao centro de Marrakeche e 100 Dh (€ 10,00) viagem de ida e volta com visita à cidade meio dia.
Antenas Parabólicas - Na zona de Agadir - vai aos Camping's o jovem Sahid (0) 72225320.as parabólicas na Medina de Casablanca (flashage - descodificação de satélites!...)
Este é o relato da nossa viagem a Marrocos.
Pretende-se com ele, reflectir as nossas experiências, com a esperança de que sirvam para esclarecer dúvidas que se colocam frequentemente, sobre a segurança e a viabilidade de uma viagem a um país africano, a bordo de uma auto-caravana.
(à chegada... a equipe avança com ''um chá''...)
Os protagonistas: 3 jovens aposentados, A. Resende, A. Castro e Emília.
2 Autocaravanas FIAT Ducato 2,8 JTD percorreram no total 6.250km dos quais 4.250 km em território Marroquino.
Confirmamos tratar-se de país de contrastes. Paisagens que vão do verde dos campos e das palmeiras, dos Vales (Oásis dos Rios Ziz e Toldra) , até aos grandes picos de montanha do Alto Atlas - as dunas do Erg Chebbi e o imenso deserto de pedra, aos brancos gélidos das neves e ainda ao amarelo maravilhoso das zonas desérticas.
Percorremos várias cidades imperiais, as suas medinas, os seus ''sucos'', os seus Casbahs. Cada uma destas visitas, justificam por si mesmas a viagem. Entramos em contacto com a sociedade, e experimentamos boas sensações.
Percurso efectuado: -
Eis o itinerário percorrido nos trinta e cinco dias de viagem:
Braga - Estarreja - Viseu - Guarda - Castelo Branco - Badajoz - Mérida - Sebta - Martil - Tetouan - Chefchaouen - Volubilis - Meknès - Mopulay-Idriss - Fès - Sefrou - Ifrane - Azrou - Col du Zad - Midelt - Desfiladeiro N'Zala - Gargantas do Ziz - Errachidia - Oásis de Meski - Erfoud - Merzouga - Dunas de Erg-Shebbi - Rissani - Tinerhir (palmeiral) - Gargantas do Todra - Boulmalne Dadés - Gargantas do Dadès - Msenrir - El-Kelaâ M'Gouna - Quarzazate - Âit-Benhaddou - Tizi-n-Tichka - Marrakech - Tamemelt - Attaouïa Ech-Cheibiya - Cascatas de d'Ouzoud - El-Kelaã-des-Sraghna - Asni - Tizi-n-Test - OladBerhill - Taroudant - Tiznit - Aglou-Plage - Sidi-Ifni - Guelmin - BouizaKarne - Tiznit - Tafraoute- Âit-Baha - Biougra - Inezgane - Agadir - Taghazoute - Tamri - Essaouira - Safi - Qualidia - El-Jadida - Azemmour - Casablanca - Mohammedia - Rabat - Salé - Kenitra - Moulay Bousselham -Larache - Asilah - Grutas d'Hercules - Cabo Spartel - Tanger - Sebta - fim de uma viagem repleta de uma variedade imensa de aspectos paisagisticos, históricos e sociais - Ceuta - Algeciras - Sevilha - Badajoz - Campo Maior - Portalegre - Guarda - Estarreja - Braga

Dia 24FEV06
BRAGA - ESTARREJA - GUARDA - C. BRANCO - BADAJOZ - TORREMEJIA
Saída de Braga pelas 10 h. até V.N.Famalicão - via A3 - PORTO, AE A24 em direcção a Estarreja (Scut), seguindo pela AE A25 até Viseu, onde almoçamos na área de serviço ao Km 210. Continuação pelo IP5 até à Guarda. Vislumbramos neve no alto da Guarda. O tempo portou-se lindamente já que as poucas núvens deixavam o dia claro. Continuamos pela Auto-Estrada até Castelo Branco (Scut) entrando no IP2 ao Km 407 em direcção a Elvas, passando por Campo Maior. Em Portalegre o piso estava molhado, mas à nossa passagem, não chovia, o mesmo não se passando em Braga onde nos disseram, chovia copiosamente.
Passamos a antiga fronteira do Caia ao Km 538, pelas 18,30h.
Pernoitamos numa pequena povoação depois de Cáceres ao Km 625.
Dia 25FEV06
- Sevilha - Algeciras - Ceuta - Sebta - Martil (Camping)
Em Matril, o chá,... dia chuvoso e frio.
Dia 26FEV06
- Martil - Tetouan (Parque estacionamento ao lado da Medina 5 Dh) - Chefchaouen (Camping)
Chefchaouen (A cidade... os tons de azul do casario e...a disposição da azeitona de cores diversas... coloridos e odores inesquecíveis...)

 (a galinhada... o pó com a tonalidade de paredes e o artesanato...)

Dia 27FEV06
Chefchaouen - Quazzane - Volubilis - Meknés
Meknés no final da tarde...
Dia 28FEV06
Meknés - Fès
Dia 1MAR06
Fés - Sefrou - Ifrane - Floresta dos Cêdros (macacos e neve) - Azrou
(Fêz)
(imperdível em Fêz...)
Dia 2MAR06
- Azrou - Col du Zad - Midelt - Desfiladeiro N'Zala - Garganta do Ziz - Errachidia - Meski - Erfoud
(Azrou... neve e macacos...)
(e se surgisse outra viatura em sentido contrário???...)
(neve e mais neve... )
esta árvore, terá mais de 500 anos!...

Dia 3MAR06
Erfoud - Merzouga às Dunas de Erg-Shebbi.
Saída às 5 horas da manhã numa vintena de Jeeps em direcção às dunas de Erg-Shebbi. O silêncio da noite e o nascer-do-sol são verdadeiramente fantásticos!
graças a estes heróis, conseguimos uma ''boleia'' para as dunas - gente amiga de Braga
Pelas 10h. da manhã, partimos em direcção a Asrir (onde passamos pelo Restaurante Moskinie onde Elizabete Jacinto é conhecida) - Tinerhir (palmeiral) - Gargantas do Todra - Boulmalne Dadés - Gargantas do Dadès - Msenrir (fim da ''picada'') pernoita junto à esquadra da Guarda Real.
Dia 4MAR06
- Msenrir - Boulmalne Dadés - El-Kelaâ M'Gouna - Quarzazate
(o talho no mercado...)
Dia 5MAR06
- Quarzazate - Âit-Benhaddou - Tizi-n-Tichka - Marrakech

Âit-Benhaddou

Dia 6MAR06
- Marrakech -

(figos... amendoíns... cajú... e muitos mais...)
(a praça El Fnã à noite...)
(O polícia dá boleia... e a moto,... aguenta...)

Dia 7MAR06
Marrakech - Cascades D'Ouzoud -
(Cascades d'Ouzoud
(Uma espécie de ''banho turco''... )
Dia 8MAR06
- Cascades D'Ouzoud - Tizi-n-Test - Taroudantt
(o alto de Tzi-N-Test... ao cair do dia...)
(imensas pradarias de amendoeiras em flôr...)
Dia 9MAR06
Taroudantt - Agadir -
Dia 10MAR06
AGADIR
Camping Caravaning Int. - Bd. Mohammed V - AGADIR (6+15+2dh) - 23 dh / dia (2 dias)
11MAR06
12MAR06
13MAR06
14MAR06
15MAR06
Dia 16MAR06
- Camping International de Taghazout - AGADIR (1 p. 5 dh + AC 15 + Elect 3dh ) 23 Dh (€ 2,30)
DIA 17MAR06
Dia 18MAR -
Camping Int. Taghazout - Agadir - (5+15+3dh)
Parking Essaouira 30 Dh/24 horas
Dia 19/MAR06
ESSAOUIRA
(Parque de estacionamento - centro de Essaouira)
- Camping Int. SAFI (20+20 dh).
Dia 20

21mar06
22MAR
- Camping Carav. Int. D'El JADIDA (14+22+10%TVA?) 2 dias
23MAR06
24MAR

- Camping OASIS Casablanca - aV. oMAR eL kHAYAM -(eX-Avenue Jean Mermoz) - Quartier Beau-Séjour. (15+15+25DH)/DIA
A forma utilizada para lá chegar, foi questionando os condutores nos semáforos ou a Polícia. Quem não tiver paciência para ultrapassar o stressante tráfico algo anárquico, deverá recorer a um ''petit táxi'' - que lhe cobrará € 1 a € 3 consoante a distância a que estiver.
Mohammedia - Snack El Farah - Chez Bouchaib - Rue Farhat Hachad, nº. 1 - Gsm 68469844 Tel 23324956- Sem que tenhamos ainda pedido a ''lista'' apresentaram-nos na mesa ... saladas, molhos, prato com 8 sardinhas pequenas e camarão frito e ainda uma paelha, mais a Coca Cola, tudo por 70 dh (€ 7,00) pêna não servir bebidas alcoólicas-
25MAR06
a 26MAR
- Camping de la Plage - Salé (Rabat) - 2 dias = 120 Dh (dia 15+30+15)
Dia 26 e 27MAR - Camping Int. Moulay Bousselham (13+30+10 dh)
Dia 27 e 28MAR - Camping Echrigui - Ville d'Asilah - (30+15+15dh)
Dia 29 e 30MAR - Camping Miramonte - Tânger (30+15+15 dh)
Dia 31MAR06 - TÂNGER - SEVILHA -
Posted by Picasa

'Posted
As Medinas: -
Um dos objectivos da viagem era conhecer as medinas. Apesar de haver lido bastante sobre o tema, a realidade transborda qualquer imagem pré-formada. A Medina é um Mundo em si mesmo. Um microcosmos autosuficiente que conserva uma forma de vida milenária. Cada Medina é diferente, mas é comum a todas uma série de elementos que a caracterizam em cada bairro: o forno de pão, o fontanário, a mesquita, a escola religiosa (madrasta), a forma como se estabelecem os negócios ou os truques, os banhos e os diferentes ''sucos'', um para cada artigo.
Os Guias.-
Pessoas que se oferecem para nos acompanhar por uma Medina a troco de retribuição negociada. O que é verdade é que à roda de um turista gira uma série de pessoas cuja forma de vida se baseia no engano e na venda de falsa hospitalidade. Uma hospitalidade imposta e remunerada que nada tem a ver com a hospitalidade real do povo. Nem mesmo os guias oficiais cumprem com o seu trabalho. Forçam os turistas a visitar ceramistas, curtidores, tecelãos... tudo na mira de uma comissão nas compras efectuadas.
A medina de Fez é a única onde se justifica a ajuda de um guia, pelo seu tamanho e a disposição das suas ruas estreitíssimas. Apesar desse facto, o mais divertido, se se dispõe de tempo, será ir à descoberta. Se entretanto acontecer ''a perda do norte''... teremos sempre o recurso de dar uma moedas a algum ''chavalito'' para nos tirar do labirinto. O único risco de deambular sós por uma medina, é suportar as palmadas no ombro dos ''xatos'' que não nos largam com as suas técnicas ancestrais de ''marketing''...
Perante esta persistência, a melhor recomendação, é a firmeza cortês: ''Obrigado não necessito nada'' (Oualú). O permanente acossar de falsos guias, cuja táctica é o interrogatório para descobrir quanto tempo estaremos no país e o nosso potencial económico de compra, é a ''praga'' que falta superar para que o turista se sinta super cómodo.
Enviar um comentário